Florbela Caetano

Florbela Caetano

Gosto dos mundos que se dizem contraditórios: a publicidade e o jornalismo. Gosto de pensar que os dois nos podem ajudar a viver num mundo melhor. Gosto de sentir que informar pode repor a serenidade no meio de caos. Deixo-me fascinar com a imagem e perco-me na escrita. Entre todas as alianças de universos ao nosso dispor, quero dizer as palavras e criar imagens com o som.
Almocei num dinner americano, na Alemanha

Almocei num dinner americano, na Alemanha

Não, este título e subtítulo não têm demasiadas referências. Pelo menos tendo em conta a dimensão do globo azul que…
O COVID-19 já nos deu muitas oportunidades

O COVID-19 já nos deu muitas oportunidades

Dizem que estes tempos de quarentena são uma oportunidade para estar com a família, repensar prioridades e que, quando finalmente…
Maravilhoso barulho meu

Maravilhoso barulho meu

Antigamente, fazia-me impressão ver pessoas a andar na rua, de auscultadores postos nos ouvidos. Afinal de contas, o mais certo…
Uma solidão por dia não sabes o bem que te fazia

Uma solidão por dia não sabes o bem que te fazia

Ligar o rádio no volume que te apetece, sem o receio de estares a incomodar alguém. Ler uma revista, sem…
Ponteiros sem tempo procuram-se

Ponteiros sem tempo procuram-se

Há umas semanas, o meu relógio estragou-se. O pulso sentiu falta do controlo permanente dos ponteiros e os olhos fartaram-se…
Não é arrogância, é envolvimento

Não é arrogância, é envolvimento

Um dos melhores anúncios de 2019 é da Nike e põe a nu uma forma de sexismo quotidiana. Finalmente alguém,…
O dia em que a Jane Austen destruiu o meu toucador

O dia em que a Jane Austen destruiu o meu toucador

Adoro as obras clássicas da literatura. Encanto-me com as histórias de amor conturbadas que desafiam a razão. Por isso, durante…
Tenham medo. Tenham muito medo.

Tenham medo. Tenham muito medo.

Parece-me que nunca se falou tanto de medo como agora. Fala-se em voto pelo medo da imigração. Discute-se o medo…
“O material tem sempre razão, tu tens de ser sincero”

“O material tem sempre razão, tu tens de ser sincero”

No final dos anos 60, um dos criadores da banda desenhada “Astérix” fez três pranchas que mostravam a famosa personagem…
Sobre a arte de ser insubstituível

Sobre a arte de ser insubstituível

Entre tudo aquilo que me causa angústia por falta de entendimento, a expressão “ninguém é insubstituível” é perita em pôr-me…
Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker