fbpx
LifestyleTelevisão

Wednesday (2022) – Crítica

image

Use the words ‘little’ and ‘girl’ to address me again and I can’t guarantee your safety.

– Wednesday

Esta série conta a história de Wednesday Addams, uma rapariga com uma personalidade única e pensamentos mórbidos. Quando Wednesday é transferida para a escola “Never More” desvenda segredos, resolve mistérios e faz amizades.

Wednesday é o clássico caso de uma personagem secundária de uma obra muito conhecida e que é colocada como centro da sua trama e tudo através da mente brilhante e algo escura de Tim Burton. Embora Burton só dirija metade dos episódios, a impressão digital dele tanto na realização como na produção torna-se a grande marca da série.

A série resulta em várias vertentes, e se Tim Burton é a grande razão do sucesso da série, Jenna Ortega no papel de Wednesday não fica nada atrás com a sua sólida e fria interpretação da nossa personagem principal. Se esta personagem não resultasse a série como um todo não resultaria, mas felizmente roça a perfeição esta representação da personagem.

Embora a série tenha suspense, intriga, boa direção e uma ótima protagonista creio que existem alguns fatores que a prejudicam e falo de dois em especial. O elenco secundário tem um carisma muito questionável e que não puxa pelo espectador, principalmente em comparação direta com Wednesday. O segundo fator são twists que de tão “inesperados” se tornam um pouco óbvios tendo em conta aquilo a que já estamos habituados no mundo das séries da atualidade.

Uma personagem que merece o seu próprio parágrafo é “Thing” ou “A Coisa” ou “Mão” ou o que preferirem chamar. Enviado para espiar Wednesday, esta personagem torna-se rapidamente o seu maior aliado e torna toda experiência muito mais interessante e é fascinante como nos conseguimos afeiçoar juntamente a Wednesday àquilo que essencialmente é uma mão.

Mais abaixo vou falar de questões mais específicas e com spoilers, indicando também os meus 3 episódios favoritos e o porquê.

Para  quem ainda não viu recomendo pelo menos uma visualização de início ao fim. Para quem não conhece o contexto da personagem e da sua família, é uma série juvenil que se vê muito bem, com uma ótima cinematografia, boas sequências de ação, boa banda sonora, uma incrível atuação de Jenna Ortega e uma brilhante realização de Tim Burton.

* CUIDADO COM SPOILERS *

A série começa com Wednesday a vingar uma partida feita ao irmão, o que acaba por fazer com que esta seja expulsa e por consequência transferida para a escola “Never More” que será depois o grande centro de toda a ação. Embora sejamos levados a acreditar que a família de Wednesday terá um importante papel na história, a verdade é que o tempo de antena é residual e só os vemos de forma significativa num capítulo em 8 episódios existentes.

Catherine Zeta-Jones como Morticia e Luíz Guzman como Gomez são dois dos destaques no elenco secundário e infelizmente quase não aparecem o que acho ter empobrecido a história, ainda que entenda que o foco não é a família e que a série se chama “Wednesday” e não “A Família Addams”.

Falando em “A Família Addams”, existem várias referências aos filmes originais e inclusive a própria Christina Ricci que interpretou a personagem Wednesday nos filmes dos anos 90  tem uma personagem de destaque. Existe até diálogos entre as duas que dizem “nós somos muito parecidas” em que piscam, claramente,  o olho ao público.

O elenco secundário em que a história foca não resulta assim tão bem. Entre o interesse romântico Tyler, os amigos de escola Xavier, Bianca, Enid, a diretora Weems, a psicóloga Kinbott e mesmo a própria Marilyn Thornhill, interpretada por Ricci poucos são os que resultam. Para além dos pais de Wednesday e da Mão, a melhor personagem secundária é Enid que consegue criar uma genuidade muito boa na interação com a nova amiga que não podia ser mais o oposto dela.

Algumas sequências como uma dança “hipnotizadora” de Wednesday que presta até homenagem a interpretações anteriores da personagem, passando por cenas a tocar violoncelo a série tem muitos momentos poderosos, engraçados e dramáticos para prender o espectador.

O final não foi o meu favorito. Para além dos twists de Tyler e Thornhill serem os grandes vilões (eram literalmente as únicas personagens que não pareciam ser suspeitas de nada, por isso tornou-se um pouco óbvio) a temporada acaba de forma aberta sem dar uma resolução e conclusão a toda a história e mesmo havendo mais temporadas preparadas, não gosto de não haver um fecho de ciclo no final de uma temporada.

Ainda assim por todas as razões já mencionadas é uma série muito competente que recomendo.

Deixo por fim os 3 melhores episódios para mim :

T01E07: If You Don’t Woe Me By Now

O penúltimo episódio foi o meu predileto. Para além da introdução do tio de Wednesday, temos um espectro de emoções desde sorrisos, romance e choro, sentimentos nunca antes expressados pela heroína da história.

T01E04: Woe What A Night

Este quarto episódio foi muito importante para prender os espectadores. Com o tema geral de um baile, o episódio tem a cena mais icónica da série com a dança de Wednesday e tem ainda desenvolvimentos aterradores sobre o caso a ser investigado.

T01E08: A Murder Of Woes

O último episódio traz algumas sequências de acção muito boas, assim como várias revelações e momentos de amizade que marcam a série e a evolução das personagens.

O que pensas deste artigo?

3
Adoro
0
Estou in Love
0
Não sei bem
0
É Divertido

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.