fbpx
Televisão

Peaky Blinders (2013- Presente) – Crítica

By order of the Peaky Blinders.

– Vários

Peaky Blinders é uma série que retrata um grupo de gangsters nos anos 1900 em Birmingham e mostra a ascensão deste grupo liderado pelo temido Tommy Shelby (Cillian Murphy), enquanto acompanhamos os diferentes jogos da luta pelo poder.

Fantástica série, para mim é A grande obra-prima desta década que passou. Existe aqui uma combinação magistral de direção, fotografia, representação e banda sonora que fazem desta série um clássico moderno e uma que acredito que vá ser lembrada por muitos e muitos anos como uma das melhores de sempre. Cillian Murphy é a grande estrela e arrisco-me a dizer que a sua personagem complexa e cheia de camadas eleva a série como nenhuma outra personagem consegue fazer e isso é mérito de um guião competente e de um ator que parece ter nascido para fazer este papel. Para além de Cillian Murphy, a representação é muito competente por atores já veteranos como a recentemente falecida Helen McCrory, Sam Neil, Tom Hardy e Adrien Brody entre outros.  Para quem nunca viu esta obra de arte só posso dizer que têm uma enorme experiência à vossa frente numa série que temporada após temporada mostra tudo o que uma grande série tem que ter, e o conjuga de uma forma perfeita.

* CUIDADO COM SPOILERS *

Falando mais concretamente agora das personagens, e das diferentes temporadas : Tommy Shelby é sem dúvida a estrela e será difícil encontrarem alguém com outra personagem favorita, tal é o seu carisma e presença em toda a série, de temporada para temporada o peso de tudo o que acontece na vida de Tommy e de tudo o que este já conquistou pesa nos ombros de uma forma que Cillian interpreta como ninguém. Helen McCrory como Polly Gray (tia dos irmãos Shelby) é o coração e a cabeça do grupo em muitos momentos e acaba por ser a voz da razão na família e a única que consegue colocar a irreverência de Tommy no seu lugar quando é necessário. Outro ator que ainda não falei mas que faz um tremendo trabalho é Paul Anderson como Arthur, a personagem mais complexa e com mais camadas de toda a série e  que é interpretada mais uma vez de forma brilhante pelo ator.

Para além deste núcleo principal é de elogiar a forma como os grandes vilões de cada temporada são sempre interpretados por atores magníficos e aqui realço : Sam Neil como Major Campbell que é uma personagem que irrita qualquer um mas que é poderosa na forma como usa a sua astúcia para conseguir o que quer; Tom Hardy como Alfie Solomons que acaba por criar uma estranha amizade com Tommy embora seja em vários momentos seu rival, é uma personagem algo instável mas forte na sua presença; Adrien Brody como Lucas Changretta é uma personagem avassaladora e é, arrisco-me a dizer, o primeiro que de facto cria danos irreversíveis na vida familiar de Tommy, e que faz o público sentir que a família Shelby pela primeira vez não está “à frente” neste jogo. Outras personagens de relevo são Grace Burgess, o par romântico de Tommy, interpretada pela belíssima Anabelle Wallis que, para quem não sabe, passou grande parte da infância em Portugal. Grace funciona como um compasso emocional para Tommy durante toda a série e algumas das melhores cenas musicais têm Grace como personagem central. Michael Gray é uma adição que é feita mais tarde na série mas que acaba por ter um dos melhores arcos e evoluções de todas as personagens.

Para resumir, acho uma série magistral, obrigatória para todos os que querem ver uma série de qualidade em todas as diferentes vertentes, com especial atenção para uma fotografia, uma representação e uma banda sonora que roçam a perfeição.

Vou passar agora a referir alguns dos meus episódios favoritos e o porquê.

3 Episódios Favoritos:

S01E06, (Sem Nome) – Último episódio da primeira temporada e é o culminar de toda a tensão e luta que houve durante a primeira temporada, é um episódio satisfatório com conclusões não só na história das rivalidades da família como na vida amorosa de Tommy que termina com um grande “suspense”.

S02E06, (Sem Nome) –  Último episódio da segunda temporada e para mim ainda é melhor episódio de toda a série, sentimos o mundo de Tommy verdadeiramente perto do fim num episódio cheio de tensão que culmina numa das melhores cenas que tenho memória em televisão em tempos recentes, envolvendo um quase “enterro vivo” de Thomas Shelby.

S04E01, “The Noose” – A estreia da quarta temporada que nos introduziu aquele que para mim foi o melhor vilão da série : Lucas Changretta. É também o episódio em que pela primeira vez vemos a morte de uma personagem integrante do núcleo dos Peaky Blinders e uma morte que vai mudar todas as “regras do jogo”.

Peaky Blinders

Argumento
Interpretação
Fotografia
Produção

10

Uma obra prima dos tempos modernos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
%d bloggers like this:

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.