fbpx
CinemaCultura
Em Destaque

One Night in Miami

Um encontro icônico entre personalidades afro-americanas nos anos 60

Estão reunidos em um quarto de hotel: Muhammad Ali, Malcolm X, Jim Brown e Sam Cooke. A debater temas como o racismo, a segregação e uma revolução. Será?
“One Night in Miami”, de Regina King, é um filme baseado na peça de mesmo nome, de Kemp Powers, com diálogos fictícios e imaginações do que poderia ter acontecido naquele icónico encontro em Miami.
O filme tem uma boa história, com grandes personalidades, boas atuações, mas não empolga.
***RESUMO COM SPOILER***
Em 25/02/1964, o pugilista Muhammad Ali, então Cassius Clay (Eli Goree), tornou-se campeão mundial de pesos pesados do boxe, e ao invés de celebrar a vitória em um hotel de luxo, seguiu para o Hampton House Motel junto com Jim Brown (Aldis Hodge), Malcolm X (Kingsley Ben-Adir) e Sam Cooke (Leslie Odom Jr.).
Grande parte do filme se passa dentro do quarto deste hotel, em que a diretora Regina King dá foco aos personagens e o que eles tem a dizer.
Há ali uma visão e exigência de Malcom X a respeito do papel deles enquanto homens afro-americanos com fama, que precisam usar esta notoriedade a favor da comunidade negra e pela luta de seus direitos civis.
Contudo, as conversas reais ocorridas naquela noite permanecem um mistério, e é em cima da imaginação que “One Night in Miami” trabalha, com as possíveis reflexões e assuntos debatidos por essas personalidades.
“One Night in Miami” discute o tempo sombrio da década de 60 nos Estados Unidos, com questões que são discutidas e pelas quais há luta até hoje.
Após o encontro, Cassius Clay, motivado por Malcolm tornou-se Muhammad Ali, convertido ao islã; Jim Brown deixou a carreira no futebol para torna-se ator em Hollywood; Malcolm X passa a ter discursos mais entusiásticos e explosivos, passa a sofrer atentados e é assassinado em fevereiro de 1965; Sam Cooke, o rei do soul music, grava a famosa canção “A Change is Gonna Come”, e também acaba assassinado em dezembro de 1964 por um gerente de hotel em Los Angeles.
É um longa que vale a pena assistir, mas deve-se fazer com atenção! E esteja preparado para diálogos longos, complexos, com momentos de monotonia.
O filme está disponível na Amazon Prime video.
* Nota: Este artigo foi escrito seguindo as normas de português do Brasil.

One Night in Miami

Argumento - 90%
Interpretação - 100%
Fotografia - 70%
Produção - 100%

90%

Pontuação Final

“One Night in Miami” discute o tempo sombrio da década de 60 nos Estados Unidos.

Maria Carolina Mello

Acho sempre difícil falar sobre mim porque a descrição vem sempre como um "rótulo": sou filha, mãe, esposa, jornalista, produtora audiovisual, assessora de imprensa. Mas o meu eu verdadeiro, aquele cheio de inspirações, e que me permite sonhar e almejar vai muito além dos rótulos. Sou mulher, uma força cheia de expressões e com intensidade nos sentimentos e ações. Acho que o "eu" e a minha descrição, na verdade, só são possíveis de se conhecer quando convivemos, quando expomos nossas cicatrizes e a nossa história. Então, deixo aqui o meu rótulo, e um pouco do que sou nos textos, porque a escrita tem essa vantagem, ela sempre revela um pouco sobre nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo
%d bloggers like this:

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.