fbpx
ContosCultura

Hipotenusas redondas

Se tu soubesses como ainda sinto a tua presença, sentirias que a chama continua acesa. Se tu soubesses como ainda sinto que estás ao meu lado, sentirias que a atração nunca acabou.

Se tu soubesses como desejo estar de mão dada contigo, sentir as curvas todas do teu corpo, ouvir o teu coração bater, saber que o teu abraço era meu. Se tu soubesses como sinto que morro e que nunca mais te conseguirei ver.

Se tu soubesses como não consigo dormir só de pensar em ti, de saber que não estás aqui. Se tu soubesses como ainda sinto o teu respirar, do amor que era nosso, do que fazíamos em cada momento e que nunca vai morrer.

Se tu soubesses como ainda oiço a tua voz junto ao meu ouvido, segredando pequenas delícias que me levavam à loucura. Se tu soubesses como gostava dos teus beijos, do teu toque no meu pescoço, das carícias que os teus dedos me faziam, do delírio que se atingia.

Se tu soubesses como te amo ainda, com as mesmas forças da juventude, do primeiro dia em que te vi e a tua imagem ficou impressa em mim. Se tu soubesses como odeio as noites solitárias sabendo que não estás vagueando por pensamentos, perdendo-me em mortes lentas onde o cais é o teu colo.

Se tu soubesses como ainda me fazes tremer, como sonho contigo, como ainda te desejo, como sinto que sem ti vou morrer. Se tu soubesses o que representas para mim, saberias que ainda te espero. mesmo sabendo que não chegarás.

Se tu soubesses o que eu seria capaz de fazer, até onde poderia ir, só para te ter para mim. Se tu soubesses como desmaio de prazer, recordando os nossos instantes, em que o amor era constante.

Se tu soubesses que apenas a ti amei, com intensidade maior, num tempo que persiste em ficar. Se tu soubesses jamais terias ido, saberias a verdade, continuarias a amar com a mesma perdição de sempre.

Se tu soubesses tudo o que sentia, aquilo que me empurrava, o tanto que te queria, a vida que ansiava. Se tu soubesses seríamos felizes com pequenas porções recheadas de muitos amores.

Se tu soubesses que por ti seria capaz de tudo, talvez tivesses ouvido o coração que sangrava, que morreu naquele instante em que viraste as costas. Se tu soubesses as lágrimas que chorei, a raiva que acumulei, o ódio que criei, a dor que nunca limpei.

Se tu soubesses, talvez ainda me amasses. Se tu soubesses, talvez tivesses ficado. Se tu soubesses, quanto ainda te amo. Se tu ainda soubesses…

Se tu soubesses…

Tu….

Margarida Vale

A vida são vários dias que se querem diferentes e aliciantes. Cair e levantar são formas de estar. Há que renovar e ser sapiente. Viajar é saboroso, escrever é delicioso. Quem encontra a paz caminha ao lado da felicidade e essa está sempre a mudar de local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo
%d bloggers like this:

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.