fbpx
CinemaCultura

American History X

image

Este filme é um dos que mais me marcou, já perdi a conta das vezes que o vi, e nunca deixo de me surpreender com ele e de pensar sobre o enredo, é um filme que não nos deixa ficar indiferente. Um filme de 1998 com uma classificação de 8.5/10 no IMDB.

Não querendo fazer spoiler, porque aconselho mesmo a que o vejam. Basicamente é a história de um líder de um gangue Neo-nazy, Derek Vinyard, protagonizado por Edward Norton, vemos a sua evolução, um rapaz normal que ia à escola, fazia desporto para um homem com ideias anti-semitas, racistas. O seu irmão mais novo, Danny Vinyard, protagonizado por Edward Furlong, crescendo com o seu irmão segue o mesmo caminho pela intolerância, sem perceber que isso irá influenciar o seu futuro, mas é pelas memórias dele que vemos a ascensão do líder Neo-nazy, o que despoletou esta sua maneira de ser e de pensar e os resultados das suas escolhas e acções, para a vida dele e para a sua família.

Na minha interpretação deste filme, percebo vários pontos que afectam a vida de todos nós, independentemente se somos tolerantes ou intolerantes, não olha a raças, géneros, orientações Etc. Uma das suas lições mais importantes, é que as nossas acções e escolhas ficam para sempre gravadas na nossa vida, como uma tatuagem na pele, podemos mudar, mas esse passado nunca mudará e a sua marca ficará para sempre em nós e nas pessoas que nos rodeiam. Não há ninguém que não tenha no seu passado, algo que o assombra, impossível de esquecer até pode ser escondido de outras pessoas, mas não de nós, quando nos olhamos ao espelho lá está ele sobre nós.

Outra questão muito importante que retemos e que nos leva a reflectir é a origem destes pensamentos racistas, xenófobos. Associamos muitas vezes este pensamento, pelo grupo de pessoas com que nos damos, afinal “diz-me com quem andas e eu digo-te quem és”, mas será que a origem está nos nossos pares ou advém de uma hierarquia superior? E se o problema começa no núcleo familiar? Será que podemos culpar a 100% as más decisões, será que a fonte do problema não deveria ser também responsabilizada? Afinal nós somos o resultado, do trato e educação que os nossos pais nos deram.

Este é um filme a que eu aconselho vivamente a verem. Se estivermos atentos às mensagens que o filme passa e se reflectirmos sobre elas, vamos ver muitos pontos em comum com situações das nossas vidas ou das vidas que nos rodeiam. Talvez se percebêssemos estas mensagens, a Humanidade não se perdesse tanto, seríamos melhores um para os outros. Já conheci muita gente, que torceram o nariz, quando aconselhei este filme, visto ter alguma violência, mas chegando aos Créditos todas elas admitam que era um Senhor Filme, uma verdadeira obra de arte. American History X, é um filme que nos agarra ao ecrã, não é feito com aqueles enredos cliché, cada vez mais comuns na Sétima Arte.

“We are not enemies, but friends. We must not be enemies. Though passion may have strained, it must not break our bonds of affection. The mystic chords of memory will swell when again touched, as surely they will be, by the better angels of our nature.”

― Abraham Lincoln

Nota: este artigo foi escrito seguindo as regras do Antigo Acordo Ortográfico

O que pensas deste artigo?

2
Adoro
0
Estou in Love
0
Não sei bem
0
É Divertido

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.