HistóriaSociedade

Todos os dias são dias das mulheres

A criação da Dia de Mulher tem a sua origem nas lutas femininas pelas melhorias de condições de vida e de trabalho. As mulheres eram exploradas e vistas apenas como peças duma máquina que resultava num produto final. Por outro lado, não eram consideradas como seres completos pois não podiam exercer o direito de voto, o que estava apenas reservado aos homens.

Se olharmos para a História, encontramos sempre mulheres nas frentes das batalhas. Não precisamos de recuar muito para perceber que foram peças fundamentais durante e Revolução Francesa. Foram elas que marcharam, determinadas em mudar o sistema que as oprimia e as sufocava. De igual modo eram as peças mestras da engrenagem de todo o sistema social. Na comuna de Paris, sem o seu papel as alterações de fundo não teriam ocorrido.

O século XX vai provar que elas são capazes de fazer tudo aquilo a que se dedicarem. Na Rússia czarista, as trabalhadoras que se manifestaram contra a entrada na guerra, precipitaram a revolução de 1917. Quando os homens se ausentaram para combater e deixaram os postos de trabalho abandonados, estes foram ocupados por elas que desempenharam as mesmas funções. O mundo continuou a funcionar e não foi por serem mulheres que ficou diferente.

Nos chamados loucos anos 20, a sua emancipação começa a ser notada e atinge um ponto alto. Os hábitos e costumes são alterados e tudo muda. Cortam o cabelo, os vestidos tornam-se mais curtos, começam a fumar em público e a noite deixa de ter segredos para elas. A dança e a música passam a fazer parte do dia a dia e a ideia de casamento fica adiada, assim como a maternidade.

No final da II Guerra Mundial, eram elas que, além de esposas e mães, asseguravam o sustento das suas famílias e de todos os seus. O gosto pelo trabalho fora de casa aumentou e a mentalidade, mesmo que lentamente, teve de ser alterada. A sociedade não deixou de ser machista, o que se passou é que muitos homens começaram a perceber que nada seria como dantes.

O ano de 1975 foi declarado, pela ONU, como o Ano Internacional da Mulher e o dia 8 de março como o que marca o seu valor e importância. Serve para relembrar as suas conquistas sociais, políticas e económicas provando que não existem barreiras nacionais, étnicas, linguísticas, culturais ou até mesmo políticas.

Nascer mulher neste mundo é tudo menos agradável e aprazível. É estar, logo à partida, condenada a estereótipos machistas, a uma vida de regras rígidas e de futuro incerto. A beleza ainda é um factor determinante e motivo para uma competição negativa e desenfreada. A conotação sexual é explorada ao máximo e premeia a capa e não a substância. O sofrimento é para a vida.

Em bebé começa logo a lição. Os planos das mães e famílias são bem elaborados e ela vai ter tudo. Contudo, o casar e ter filhos continua a prevalecer. Será sempre incompleta, se não o fizer. E os namorados também nunca são adequados. Todos apresentam enormes defeitos, porque o amor não tem importância nenhuma. O importante é o futuro e a segurança.

Felizmente que o estigma da coitadinha e desgraçada se vai perdendo uma vez que as mulheres provam ser fortes e decididas. Agora ocupam cargos de relevo, tomam decisões mundiais e fazem as escolhas que melhor lhes sabem. É por isso que são cada vez mais elas, as mulheres, a influenciar todas as sociedades.

Todos os dias são dias da mulher e não é uma data, mesmo que carregada de simbolismo, que pode modificar o que tantos anos de luta, demorou a ser conquistado. A batalha nunca termina, é mais que sabido, mas agora as guerreiras estão apetrechadas com armas de maior alcance e potência: o seu verdadeiro valor.

Faças o que fizeres não te desvies da tua rota. Rega as tuas plantas, areja a tua casa, abre as tuas janelas, respira fundo, escreve os teus poemas, lê os teus romances, rabisca os teus desenhos e não pares de sonhar. Acima de tudo sê muito feliz!

Tags

Margarida Vale

A vida são vários dias que se querem diferentes e aliciantes. Cair e levantar são formas de estar. Há que renovar e ser sapiente. Viajar é saboroso, escrever é delicioso. Quem encontra a paz caminha ao lado da felicidade e essa está sempre a mudar de local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: