SociedadeSociedade

Os novos velhos

As gerações nascidas nas décadas de 70 e 80, foram crescendo e interiorizando que a juventude e beleza, desaparecia aos 30 e tal anos. Na década de 80, uma pessoa de 30 anos já era apelidada de cota! Este estereótipo mudou radicalmente, nos últimos 30 anos. Se recuarmos até ao início do século XX, uma pessoa com 40 anos era considerada já uma pessoa no final de vida, como que se tivesse 80 anos nos dias de hoje.

Para sermos fiéis, há 30 anos, os nossos pais aparentavam ser os nossos avós, pareciam-nos acabados, desgastados, velhos. Facilmente comprovável pelas fotos da época, autênticos tesourinhos. Uma pessoa com 30 anos, parecia ter uns 40 e tal! Hoje em dia uma pessoa na casa dos 40, aparenta ter 30… Mas afinal, porque é que as pessoas entre os 30-50 anos, aparentam hoje ser mais jovens?

Desde o inicio do século, que muitos homens começaram a cuidar da sua aparência, sendo rotulados de metrossexuais, devido aos cuidados que começaram a ter com o corpo e vestuário. Mas nunca comparável com o sexo oposto, por isso, vamos dar especial foco nos aspetos que sustentam a evolução da aparência feminina.

A situação económica precária que se vivia, mudou drasticamente, a oferta no vestuário disparou, hoje as pessoas seguem cada vez mais tendências de moda e marcas específicas. Atualmente, as pessoas entre os 30 e 50 anos, tendem a manter um estilo que os ajuda a parecer mais frescos, jovens e divertidos. Jeans rasgados, tatuagens, piercings, roupas arrojadas. No passado, uma mulher com 30 anos teria que se livrar das roupas mais divertidas e vistosas, como minissaias, indumentária considerada ultrapassada para a idade, era mais aconselhado o uso de roupas mais sóbrias e descoloridas. No presente, é muito fácil encontrar um estilo próprio, ser original. Podemos até dizer, que hoje, o visual de uma estudante do liceu, para uma mulher na casa dos 40 ou 50 anos é praticamente idêntico, não há grandes variações.

Um dos motivos pelos quais as pessoas parecem mais atraentes e cintilantes, tem sido o acesso a uma indústria de cosmetologia avançada. As mulheres tornaram-se autênticas especialistas na ciência de cuidar a sua pele, dado o impacto positivo que estes produtos resultam na sua aparência. Hoje, a grande variedade de escolha, permite um acesso fácil a produtos que previnem o envelhecimento da pele e outros que funcionam como embelezadores temporários. Muitas mulheres, usam maquilhagem mesmo sem motivo especial,  pintam o cabelo, mal surja o primeiro branco ou mesmo para refrescar a imagem.

O acesso aos cuidados de saúde aumentou e os avanços na medicina foram enormes. A esperança média de vida cresceu significativamente nestes últimos anos. As pessoas têm mais cuidado com a sua saúde e bem-estar, e usam tudo o que tiveram ao alcance para melhorar o seu aspeto, seja através de cirurgia plástica, massagens ou tratamentos não evasivos. No passado, as pessoas tinham doenças mais cedo, não tinham o conforto consequentemente das novas profissões e modo de vida moderno, e apesar de existirem outras contrariedades, como tendinites, de um modo geral as pessoas têm mais bem-estar e são mais saudáveis atualmente.

Hoje em dia, as pessoas frequentam regularmente ginásios, praticam desporto ao ar livre. Há um mundo novo com know-how acerca das melhores práticas de exercícios, ou sobre a causa-efeito dos alimentos no organismo e consequente afetação da forma física. Presentemente, estamos inundados de ginásios, nutricionistas, blogs com matéria especializada para beneficiar a aparência, através do desporto e nutrição adequada. Quem se preocupava em gerações anteriores, com as calorias, as gramas consumidas e na importância da ingestão de água?

Lifestyle. O tipo de trabalho de há décadas atrás era mais desgastante fisicamente, talvez menos stressante, mas o trabalho no campo, fábricas sem políticas ergonómicas, era duro. Hoje em dia, uma grande percentagem da população vive do sector dos serviços, com trabalhos bem mais leves fisicamente. Por outro lado, a emancipação da mulher, matou por completo aquele estereótipo social, onde elas eram dedicadas em exclusivo à família e à casa, agora, são independentes, com capacidade financeira para investirem nelas próprias. Estão focadas em ser bem-sucedidas profissionalmente, e manter uma jovialidade eterna.

Atitude. Muito daquilo que mudou, foi sobretudo uma mentalização positiva, as pessoas entendem a idade de forma diferente, há uma certa liberdade para olharmos para a idade como um número, e nos sentirmos com a idade que queremos. Está muito na atitude, na despreocupação da matemática temporal e na aposta em um estado de espírito positivo e jovial, ter a capacidade de ser feliz com a idade que se tem, é fundamental.

look das pessoas rejuvenesceu 10 anos, as pessoas com 40 parecem ter 30 e as pessoas com 50 parecem ter 40. Dizem que quarenta é a velhice da juventude e cinquenta é a juventude da velhice, alegrem-se os quarentões e quarentonas, pois são oficialmente jovens. Esta crescente jovialidade, como que saída da piscina do filme “Cocoon”, veio alterar o rotulo de meia-idade para os 60 anos. Que o diga, a menina Jennifer Aniston, com os seus 50 anos e aparência de 30!

Tags

Ricardo Manuel Santos

Mais que um profissional IT, sou um colecionador de experiências e viagens. Atento à relação entre o progresso tecnológico e inerente evolução social. Critico e opinativo por natureza, procuro sair da minha zona de conforto para evoluir, acredito que a única constante da vida é a mudança. De caligrafia torta e ideias rasuradas vou continuando a escrever o meu próprio destino! Visto-me de paixão e faço o hoje valer a pena, pois tudo é viver. Simples assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: