CinemaCultura

The Mule

Nunca é tarde para tornar os sonhos realidade

The Mule é um filme intimista, que prende o espectador ao ecrã com a simplicidade e genialidade (genuína) do grande, enorme Clint Eastwood. Um filme simples, sem grandes desvios para preencher lacunas que não existiram, vive dos diálogos e do sentimentalismo que Earl cria com a sua família desde o início. Foi um pai ausente, “perdeu” a sua esposa pelo seu amor maior às flores. Não deixa de ser irónico. Na metade descendente do filme (não em conteúdo e argumento, mas numa perspectiva sequencial), ele próprio diz: “tinha vergonha do falhanço que era em casa, só queria ter orgulho em ser eu mesmo com as flores” (citação ligeiramente adaptada).

De realçar que há, na parte final, um diálogo emocionalmente sublime com a esposa, em que a mensagem essencial é: “– Amo-te (Earl). – Mais hoje do que ontem? (esposa). – Não tanto como amanhã”. Achei perfeita esta sequência de desabafos.

O filme ensina muito sobre a forma como devemos encarar aquilo que é realmente importante, do início ao fim, na nossa vida. Aquilo que, nos vaivéns da existência, permanece eterno na terrível imensidão de ser. O filme mostra que a família é tudo. Tudo o que importa. Seja ela qual for.

Por isso, não nos esqueçamos de amar o próximo, se o nosso coração nos guiar nessa direcção. O caminho é, todo ele, incerto. A rota, essa, um maravilhar de sensações. Um paraíso de possibilidades. De felicidade.

Obrigado, Clint Eastwood, por mais uma obra-prima (à frente e atrás de uma câmara onde os sonhos se tornam realidade).

The Mule

Argumento - 80%
Interpretação - 90%
Fotografia - 80%
Produção - 80%

83%

Emocionalmente elucidativo. O florescer de um génio.

Tags

Tiago Ferreira

Um jovem sonhador, com uma atitude sagaz e espírito crítico, que gosta de estar a par da actualidade e de, sobretudo, questionar as entrelinhas. Centrando-me no essencial, gosto de acrescentar uma visão muito pessoal às coisas e de, acima de tudo, partilhar a minha verdade. Apaixonado por cinema, devoro literatura — sobretudo fragmentos e poesia —, e a escrita é a paixão primordial desde sempre. O grande desígnio passa por fazer a diferença no mundo através da sensibilidade e humanidade que fazem de mim um poeta da simplicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: