Bem-EstarLifestyle

A Química, a atração e o exercício empático

Se a simpatia, é um dom inato onde a pessoa tem a a aptidão para tratar de forma afável os outros de forma natural, já a empatia é a capacidade de estabelecer uma conexão emocional com alguém, algo que pode ser aprendido e trabalhado com o tempo, cultivar o hábito de ser empático traz muitos benefícios na relação com o próximo. Já o sentir química por alguém, é de facto o mais virtuoso, espontâneo e verdadeiro no contexto dos relacionamentos interpessoais.

Em todos os tipos de relações humanas que experenciamos no decorrer da nossa existência, vamo-nos deparando com mais ou menos dificuldades nessa aproximação a qualquer outro ser, sendo que, há pessoas que nos tocam sem usar um dedo, umas de forma mais positiva que outras… Simpatizamos, detestamos ou adoramos, aquela pessoa que para ti pode ser a melhor pessoa do mundo, outro pode olha-la como um monstro. É tudo uma questão de empatia, ou mais autêntico, é preciso haver química!

Por mais simpáticas que duas pessoas possam ser, uma relação amorosa, só tem sucesso, se duas pessoas tiverem atração e  química, só então poderá haver física. O mesmo é valido para outros tipos de relacionamentos, por muito mais superficiais ou banais que possam ser ou parecer.

Quem fica tranquilo em deixar o carro num mecânico, para ser todo revisto, travões, pneus, óleo… sem que tenhamos química com essa pessoa? Se não confiarmos na pessoa, se o vocabulário, a linguagem não se contextualizar com o nosso raciocino?

Que vontade temos de estudar uma matéria, lecionada por um professor, que nos irrita ou não conseguimos decifrar, quando toda a informação que ele tenta passar, entra por um ouvido e sai no outro? Qual o sucesso académico que podes esperar, sem química? Zero!

Quantas promoções ou avaliações positivas, vais ter, no teu emprego, caso o teu chefe não tenha química ou empatia contigo, ou vice-versa? Mesmo que sejas o mais cumpridor, eficiente e responsável empregado do mundo, se não houver química entre empregado e patrão, ou funcionário e coordenador ou diretor, que futuro profissional podes almejar? Fracasso!

Afinal, o que é que nos faz sentir atraídos por algumas pessoas e outras não?

Há quem defenda que esta chamada química ou atracão interpessoal, dependa de uma conjunção de fatores sociais, biológicos e psicológicos. Outros defendem que os opostos se atraem, outros que acabamos por ter uma química natural com aqueles que apresentam ter valores e comportamentos semelhantes aos nossos.

Pegando na teoria da física quântica, tudo aquilo que não se vê, os sentimentos, o pensamento, tudo será energia. Os átomos não têm estrutura física, porque são feitos, na verdade, de energia invisível,portanto tudo é energia, nós somos energia, desta forma está estabelecida a conexão entre física quântica e a espiritualidade, e consequentemente a convergência emocional entre pessoas.

Para facilitar as relações interpessoais, na falta de química natural, é importante cultivar a simpatia e desenvolver o nosso lado empático. Quando essa química surge, por ser ainda algo inexplicável cientificamente, faz com que essa energia compatível seja espontânea e mágica!

Tags

Ricardo Manuel Santos

Mais que um profissional IT, sou um colecionador de experiências e viagens. Atento à relação entre o progresso tecnológico e inerente evolução social. Critico e opinativo por natureza, procuro sair da minha zona de conforto para evoluir, acredito que a única constante da vida é a mudança. De caligrafia torta e ideias rasuradas vou continuando a escrever o meu próprio destino! Visto-me de paixão e faço o hoje valer a pena, pois tudo é viver. Simples assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: