SociedadeSociedade

Ser voluntário

Ser voluntário é ser maior, é despojar-se de tanta coisa e dedicar-se aos outros, é ser altruísta e pensar no próximo relegando-se para segundo plano. Na verdade, é preciso ter estofo para isso e estaleca para aguentar as investidas de quem ataca por todas as frentes. Não é fácil ser assim pois a nossa sociedade está cada vez mais materialista e egoísta. São vistos como seres estranhos.

Existem pessoas que se dedicam aos animais, que os cuidam e desejam o seu bem-estar com condições de vida que lhes permitam sobreviver. Essas sabem que não recebem nada em troca, a não ser saber que a sua tarefa teve um bom desfecho, mas continuam a fazê-lo, porque assim o entendem. O certo é que a gratificação sentida é tão elevada que merece tudo. E os seus protegidos sabem agradecer em sol maior.

Outras vivem em prol dos outros. Abdicam da sua vida para ajudar o próximo e prestar-lhes todo o apoio que lhes possa ser dado. Quase se esquecem de si para que o benefício alheio seja maior. Algumas nem são reconhecidas pelo que fizeram, mas a vida é mesmo assim. São os cuidadores que estão sempre na retaguarda dos que são cuidados. As pessoas são imprevisíveis, mas acima de tudo humanas. É natural.

No entanto ainda existe uma margem, larga, dos que estão sempre no sítio certo, na altura certa. Mesmo que não estejam na sua melhor forma, que sintam dores, que estejam desconfortáveis, que sangrem por dentro, o seu colo está sempre disponível. Essas são as de maior coração e aquelas que, mesmo invisíveis, fazem um excelente trabalho. Um ombro que se dá, uma lágrima que se limpa, uma voz que acalma, uma palavra que se pronuncia, uma presença que reconforta.

Dar sangue, participar em campanhas de recolha de alimentos, dar apoio aos sem abrigo, divulgar causas institucionais, ensinar a reciclar, fazer companhia a idosos, visitar doentes que estão sozinhos, alertar para certas doenças e prestar os devidos esclarecimentos, ensinar quem quer aprender e tanto ainda que há por fazer. Isto é trabalho comunitário que é importante ser feito.

Para todos os que se dão, para os que sabem que, mesmo recebendo pontapés e ingratidões, continuam a fazer o que sabem que deve ser feito, vai o meu agradecimento e o desejo que nunca desistam dos vossos motes e intenções. Gosto-vos tanto! São pequenos anjos que flutuam e que afastam as nuvens negras que costumam querer ficar.

O calendário marca o Dia Internacional do Voluntariado. Palavra gordinha e cheia de coisinhas maravilhas. Uma espécie de Kinder surpresa que se constrói e refaz as vezes que forem necessárias. Ainda não se valorizava esta palavra nem se incitava a dar um pouco de si e muito menos se sabe agradecer a quem se dá nestas andanças.

O dia é igual para todas as pessoas, mas o que se faz com ele é do foro privado e cada um decide como o ocupar. Não deixem a vida fugir nem percam os sonhos naturais do impossível. Emprestar o seu tempo, a sua disponibilidade, usar-se para que alguém, nem que seja apenas uma pessoa, se sinta melhor, é uma prenda que pode ser oferecida durante todo o ano. Não necessita de laço, somente de amor e boa vontade.

Tags

Margarida Vale

A vida são vários dias que se querem diferentes e aliciantes. Cair e levantar são formas de estar. Há que renovar e ser sapiente. Viajar é saboroso, escrever é delicioso. Quem encontra a paz caminha ao lado da felicidade e essa está sempre a mudar de local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: