fbpx
Bem-EstarLifestyle

Sempre que observo os outros…

image

Sempre que observo os outros encontro nas imagens que refletem alguns retalhos da minha vida.

Somos todos tão diferentes, mas, no entanto, iguais na fragilidade e na finitude. Já dizia a publicidade, todos diferentes e todos iguais.

Esta época do ano, naturalmente tão inspiradora pela sua natureza, absorve em si todas as nossas energias e luz, deixamo-nos levar que nem meninos e meninas que se arrastam perdidamente na alegria de seguir o pai natal, que sabemos agora, é apenas alguém que se disfarça para nos trazer os presentes, mas seguimos nesta ilusão de que vale sempre a pena acreditar que podemos fazer um mundo melhor.

Afinal é tão bonito acreditar no pai natal, enfim é o mesmo que acreditar na magia de um beijo ou no conforto que um abraço nos pode trazer, somos feitos de encantos e de sonhos, que vamos deixando cair ao longo da vida e perdemos pelo caminho.

Crescemos e deixamos de acreditar em tudo o que nos dizem, tal como acontece quando somos mais pequenos, a ingenuidade é a nossa maior aliada, de mãos dadas com ela a inocência que nos permite, ser simplesmente felizes.

Aprecio mesmo observar as pessoas com quem me cruzo na rua, perceber as suas aflições ou stresses pelo modo como simplesmente se deslocam de um lado para o outro, outras pessoas há que imanam tranquilidade e paz, os pequenos gestos que consigo perceber mostram-me um pouco de cada um deles.

Cada qual envolto no seu próprio universo, a desenhar sonhos ou a idealizar projetos do que quer ser ou fazer no futuro, que afinal é já amanhã, ou mesmo daqui a pouco.

Outros há que se notam muito intensos, pela expressão que levam, parecem carregar nos seus ombros o peso deste universo e do outro, cada um em volta da sua realidade, e ali simplesmente a observá-los conheço um pouco de cada um deles, e como eu gosto de o fazer!

Estes processos de observação permitem-me, creio eu, perceber e conhecer melhor o ser humano, que sempre considerei como um dos maiores mistérios do universo.

“A lei de ouro do comportamento é a tolerância mútua, já que nunca pensaremos todos da mesma maneira, já que nunca veremos senão uma parte da verdade e sob ângulos diversos.”

– Mahatma Gandhi

Somos das criaturas mais difíceis de compreender e entender. Mas em simultâneo o ser humano tem um fascínio imenso, e conseguir entendê-lo, pelo menos na sua generalidade, é assim, algo que quero muito aprofundar um destes dias da minha vida.

O que pensas deste artigo?

1
Adoro
0
Estou in Love
0
Não sei bem
0
É Divertido
Ana Paula Marques
Assumo sem qualquer tipo de pudor o grande gosto imenso que tenho pela escrita, e pelo ato de escrever palavra após palavra... na construção de momentos de reflexão e procurando embelezar os nossos dias. Verter palavras transformando-as em textos, são momentos de criatividade que me fazem mais feliz, e que espero, possa transformar de algum modo a vida de quem lê o que escrevo com tanto amor!

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.