Ciências e TecnologiaTecnologia

O Vazio da Solidão

Eu pensava que a pior coisa na vida era acabar sozinho. Não é. A pior coisa na vida, é acabar com as pessoas que fazem você se sentir sozinho.

Robin Williams

Todos os tempos têm uma epidemia que se regista para a história da humanidade, e que anos mais tarde se recorda nos registos históricos que relatam o modo como os antepassados viviam. Nesta época que agora vivemos, a solidão aparece como a nova dor de quem tem imensos seguidores nas redes sociais, quantas vezes desconhecidos, em vez de amigos.

Se por breves momentos observarmos em volta, seja em que lugar for, na praia, nas esplanadas, até à mesa nos restaurantes, deparamo-nos com as pessoas fixadas no telemóvel, encorajando amizades virtuais, a quem prestam mais atenção do que aos amigos de carne e osso que estão por vezes a precisar da sua atenção. Dá que pensar…

Qual é a necessidade que temos de ter sucesso nas redes sociais? Será por uma questão de auto estima? Será porque simplesmente gostamos e alimentamos este tipo de amizades? Ou será que é um modo de nos sentirmos menos sozinhos?

Afinal, que valor tem a solidão na era das redes sociais? Acredito que muitas vezes as redes sociais serão uma alternativa à vida pouco interessante que temos e por isso a necessidade de mostrar ao mundo cada passo e cada atividade que fazemos, no fundo estas redes são peças fundamentais na promoção do nosso marketing individual, estarei enganada? Não sei.

A solidão é um estigma por vezes mal associado ao facto de não sermos sociáveis e consequentemente não ter amigos. Não posso discordar mais, a solidão se saudavelmente vivida pode ser um verdadeiro balsamo para estes dias de stress que o mundo nos obriga a viver.

Teremos que ser nós a auto educarmo-nos e muitas vezes saber estar sozinhos, e estar sozinho não é sinónimo de não ter amigos, estar sozinho é ouvir os nossos pensamentos, perceber a nossa alma e revigorar as nossas forças.

O melhor que podemos dar aos outros é a companhia de alguém feliz, e só podemos ser amigos dos outros e ser felizes, se conseguirmos encontrar dentro de nós essa paz, tranquilidade e harmonia que se encontra quando sozinhos e em silêncio escutamos o que dizem os nossos pensamentos.

Pessoalmente aprecio muito a minha companhia, e entendo que por vezes, alguns momentos de solidão podem ser muito benéficos para sermos melhores pessoas e até mesmo mais felizes, é preciso saber estar só para conseguir estar em grupo, ninguém será boa companhia para o outro se não estiver bem consigo próprio.

No entanto, é necessário algum cuidado para que a solidão não seja perversa, é fundamental que consigamos mantê-la como nossa aliada, enquanto facilitadora da nossa vida e do relacionamento que temos com os outros, e que não permitamos que se apodere de nós incapacitando-nos de manter e desenvolver as relações interpessoais que nos mantém vivos enquanto pessoas individuais e no geral enquanto sociedade.

Afinal o que é a amizade neste contexto das redes sociais? Estamos mais sós ou mais acompanhados do que estávamos antes da sua existência?

Eu diria que como em tudo na vida, a utilização das redes sociais é apenas uma questão de bom senso, elas podem ser óptimos precursores da verdadeira amizade, podem até permitir reencontros com amigos de quem não tínhamos notícia há imenso tempo. Em suma podem ser fomentadoras de grandes amizades até, o segredo está no modo como tiramos partido das ferramentas que elas nos fornecem, sem que nos deixemos dominar/manipular por elas.

Como alguém diria, a melhor rede social que pode existir é uma mesa repleta de amigos, onde se conversa em tempo real e se sente e vive a presença de cada um dos que partilham aquele momento!

Tags

Ana Paula Marques

Assumo sem qualquer tipo de pudor o grande gosto que tenho pela escrita, e pelo ato de escrever palavra após palavra, construindo momentos de reflexão e procurando embelezar os nossos dias. Verter palavras transformando-as em textos, são momentos de criatividade que me fazem mais feliz, e que espero, possa transformar de algum modo a vida de quem lê o que escrevo com tanto amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: