CulturaEntrevistasMúsica

A Mensagem das músicas dos Dee Maras

Com algumas mudanças no caminho dos seus três anos de vida, os Dee Maras conseguiram e quiseram manter sempre a transmissão de mensagens pessoais nas suas músicas. Em conversa com eles, soubemos que mudanças foram essas, onde se conheceram e que planos têm para o futuro da banda.

Quem compõe a banda Dee Maras?

Nos seus três anos de existência a banda tem tido as suas mudanças. O grupo chegou a ter 5 elementos mas por razões pessoais tivemos a saída de uma vocalista e de um solista de guitarra.  Entretanto, juntou-se recentemente a nós um baterista, que constituiu um excelente contributo para o nosso som. Os membros neste momento são: Dee (voz e guitarra), Miguel Patrício (baixo e voz secundária), Silvestre Martins (percussão e coros) e Filipe Correia (bateria).

Como é que se juntaram todos?

O Dee chegou a São Luís, onde tem família vinda do País de Gales, em 2011 com o objectivo de começar uma banda. Foram-lhe feitos convites para concertos em Vila Nova de Milfontes e esta oportunidade levou-o a procurar mais músicos. Num método quase de vendas porta a porta rapidamente conheceu a Carlota, o Miguel, o Juergen e o Silvestre. Todos eles habitantes de São Luís.

É fácil trabalharem sempre em inglês?

A música é maioritariamente escrita pelo Dee que estudou em escolas internacionais desde os 8 anos, portanto ele tem facilidade com a gramática inglesa. Entretanto o nosso trabalho como banda envolve uma mistura de inglês e português pois todos falamos ambas as línguas e temos vontade de incorporar mais letras portuguesas na nossa música.

Falem-nos de “Sacrifice”.

O nosso primeiro singleSacrifice” reflecte o sentimento e a direcção do EP. A música chama pela mudança nas nossas ações e métodos de viver: um sacrifício por um bem maior.

De que falam as vossas letras? E o que pretendem transmitir com elas?

As letras vêm de experiências pessoais e de uma opinião mútua entre alguns dos membros da banda que procuram descobrir uma maneira resiliente de ser e estar sem destruir o planeta que nos sustenta. Nós esperamos que a nossa música faça com que os ouvintes reconsiderem a sua posição na sociedade e no mundo, que cheguem a partilhar a urgência e a necessidade que sentimos pela mudança. Tentamos transmitir esta mensagem na nossa música mas entretanto esforçamo-nos para fazê-lo através de um “feel good vibe”, algo cativante que não saia da cabeça tão cedo.  Por vezes as coisas mais simples são as mais bonitas.

Onde poderemos ouvir-vos?

Venham-nos visitar à nossa aldeia de São Luís! De duas em duas semanas abrimos o nosso espaço de ensaio ao público, O Lagar, onde poderão assistir ao desenvolvimento da banda.

Podem ouvir-nos também no site deemaras.bandcamp.com ou sigam-nos no Facebook onde estamos sempre a divulgar eventos: www.facebook.com/deemaras

As seguintes estações da rádio já estão tocando o nosso single “Sacrifice”: Rádio Ansiães (Carrazeda de Ansiães), TLA Rádio (Aljustrel), Rádio Nova Cidade (Açores), Rádio Santiago (Guimarães) e RADIO 5 (Porto).

Que planos têm para o futuro?

A banda neste momento está considerando aumentar o seu número de elementos com a possível entrada de uma vocalista. Além disso, após o EP, continuaremos rumo a um álbum. Mas as nossas ambições não param por aí! A banda também tem uma grande vontade de tocar em mais localidades nacionais e internacionais.

Uma mensagem para os nossos leitores

Não é sobre mim. Não é sobre ti. Não é sobre ela, ele ou eles… Mas é sim sobre nós.

Tags

Inês Faro

Estudante de Línguas e Literaturas Modernas na Faculdade de Letras da Universidade. Vivo para a música e grande parte dos meus interesses está nessa arte, nesse mundo tão vasto e com tanto ainda por descobrir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Check Also

Close
Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: