+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Livre-arbítrio

Numa altura em que se houve tanto falar na palavra “Liberdade”, ou não fosse este o ano em que se comemoram os 50 anos da revolução, fico boquiaberta com as contradições a que temos vindo a assistir.

Todos apelam ao direito ao livre-arbítrio, à liberdade, de ser, de estar, de expressão, porém, e por outro lado, assiste-se a uma censura constante e castradora relativamente a essa mesma liberdade.

Então, em que ficamos?

Não se pode “abrir a boca” sem o receio de se ferir algum tipo de susceptibilidade. Já não se pode brincar, contar anedotas, fazer piadas fáceis sem se ser repreendido ou sem se ser olhado com um olhar reprovador. Ora não será isto precisamente o oposto da liberdade que tanto se apregoa?

Se as pessoas querem ser livres de fazer as suas escolhas, têm, por seu turno, que respeitar as escolhas de outrem, que poderão ser divergentes das suas. 

Desde miúda que ouço esta expressão: “a nossa liberdade acaba onde começa a liberdade do outro”.

Não confundamos, portanto, liberdade que pode ser definida pela possibilidade de escolha, espontaneidade, independência e autonomia do ser humano, com libertinagem, cujo significado é tão somente o uso errado dessa mesma liberdade, acarretando, na grande, maioria das vezes irresponsabilidade e até negligência.

Neste contexto, e em tom de resumo, vou tomar a liberdade de partilhar convosco um poema que escrevi em 25 de Abril de 2021, que continua actual e a ir ao encontro daquilo que penso, sem qualquer tipo de influência política.

Liberdade não é infringir leis…

Liberdade não é poder dizer e fazer o que nos dá na real gana sem receio de represálias…

Liberdade não é discordar impondo a nossa vontade…

Liberdade não é enganar em prol de benefícios próprios…

Liberdade não é usar o poder para prejudicar outrem…

Liberdade é saber viver de acordo com as regras sociais, sem se sentir prisioneiro, sem oprimir e sem ser oprimido,

É lutar pelos direitos cumprindo os deveres…

Liberdade é poder agir de acordo com os nossos princípios e, ainda assim, permanecer de consciência tranquila…

Liberdade é ter paz de espírito…

Liberdade é poder sonhar. É poder voar em pensamento…

Liberdade é poder correr atrás da felicidade…

É poder sentir o calor do sol,

A chuva fria no rosto,

O vento nos cabelos,

E sorrir…

Porque não há maior manifestação de liberdade do que um sorriso rasgado,

repleto de alegria e luz, vindo directamente da alma…

Nota: Este artigo foi escrito seguindo as regras do antigo acordo ortográfico.

Share this article
Shareable URL
Prev Post

As mães dizem não à guerra

Next Post

Crepúsculo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

Os Loucos anos 20

Já todos passámos por esta fase. Os loucos anos 20. Não, não. Tenham calma, não vai haver nenhuma “aula” de…