Bem-Estar

Gente chata são os outros

Gente chata é um inconveniente. Até um perigo para a saúde pública.

Gente chata faz-nos perder a paciência, trocam-nos as voltas, faz chover os nossos dias. Ultrapassam-nos e aborrecem-nos.

No entanto, nós, em algum dia, por muito bons que sejamos, já fomos os vilões na história de alguém. Já pensaste nisto?

Para a maior parte de nós, a culpa é sempre do outro, o mal está sempre no outro, o outro é que faz isto ou aquilo, o outro é que é assim. O outro é que nos enlouquece, o outro é que não nos aceita como somos, o outro é que não nos respeita. E ficamos ali, nesta roda de culpa e julgamento, com ar angelical a ter um papel secundário na nossa própria vida. E quando damos por nós, somos vítimas do destino, que rola e rebola ao sabor do poder de sabe-se lá o quê.

Que há gente que é insuportável e má? Há.

MAS E SE pensarmos nessa pessoa, como alguém que nos pode ajudar a evoluir? Se pensarmos nesse alguém que nos desafia a ser melhores, que nos ensina a focar no que é preciso?

Às vezes temos o foco no que não interessa, mas atribuímos sempre as culpas aos outros. É difícil de assumir total responsabilidade por aquilo que nos acontece. É desafiante. Se queremos deixar de nos importar com gente chata,  então, porque não nos esforçamos a ver o mundo com outra perspectiva?

A realidade, é que há um reflexo nosso – por mais pequeno que seja – no comportamento de cada pessoa que conhecemos. Cada pessoa que nos incomoda, lembra-nos constantemente que há coisas em nós por resolver. Aquilo que mais desprezamos nos outros mexe connosco porque ainda não está resolvido em nós. É um sinal que não aceitamos o outro como ele é e por consequência, também não aceitamos exactamente como somos, que estamos sempre a arranjar desculpas para ser de uma maneira ou de outra.

Este pensamento pode ser estranho, ou talvez até um pouco difícil de aceitar, mas se compreendermos que todo o ser humano está a trilhar o caminho para a evolução e que sem desafios permanecemos os mesmos, facilmente chegamos à conclusão, que nós somos o espelho uns dos outros e que reflectimos emoções semelhantes e o que é preciso é aceitar o outro, tal como ele é. Vamos encontrar gente chata em todo o lado e gente ainda pior se não estivermos bem resolvidos.

Até este momento, já aprendemos tudo o que precisamos de aprender para escalar todas as rochas que vamos encontrar no caminho. Afinal de contas, não seríamos quem somos, ou teríamos a capacidade que temos, se não tivéssemos encontrado toda a gente chata que nos desafiou a enfrentar os nossos demónios… mas atenção,  se esses demónios continuam a aparecer, é que não foram derrubados de todo.

Andreia Ferreira

Sou inspirada pelo mundo. Tenho a forte crença que tudo acontece no momento certo, que o mestre aparece quando o aluno está preparado e que por detrás de cada contrariedade há sempre uma oportunidade para aprender alguma coisa. A sincronização do universo é das coisas que mais me fascina por isso, estejam atentos ao que o universo vos leva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: