fbpx
CulturaLiteratura

Trinta Anos

(…) todos têm medo da morte, embora só nela se possam salvar da monstruosa ofensa que é a vida.

Se na definição de Prazer de Ler couberem as obras que lhe dão corpo, então, Trinta Anos, da austríaca Ingeborg Bachmann, tem presença garantida.

Não conhecia a autora, quando aproveitei a troca de livros da Biblioteca de São Domingos de Rana e, no canto onde deixamos um livro e trazemos para casa a esperança de uma leitura agradável, deixei A?s e ?s, A Lei de ? e uma colectânea de frases de ?? para trazer, entre outros, Trinta Anos.

(…) agarramo(-no)s firmemente a hábitos com medo de um modo de pensar sem tábuas de proibições e tábuas de mandamentos, com medo da liberdade. Os homens não amam a liberdade. Onde quer que ela tenha surgido, condenaram-se a si com ela.

Tenho na Europa Central (tal como na América do Sul, por razões opostas) a melhor geografia literária. Stefan Zweig, Hermann Hesse ou Thomas Bernhard marcam presença no panteão dos herdeiros de séculos sombrios. A escrita de Bachmann, com o pessimismo, as dúvidas angustiantes capazes de esticar a vida até ao limite e uma lucidez e clareza que me apaixonaram, forma mais um exemplo desta corrente. Nascida em 1926, Bachmann entrou na Literatura pela poesia no pós-guerra, no Grupo 47. Conseguiu congregar algo nem sempre comum nas artes: a popularidade com a qualidade marcada pela vertente autoral.

Trinta Anos reúne sete contos. Qual deles o melhor?

Então aconteceu. Um choque atingiu-o por dentro do cérebro; surgiu uma dor que o fez desistir, os pensamentos tornaram-se mais lentos, confusos, e saltou do baloiço. Tinha ultrapassado a sua capacidade de pensar, ou melhor, lá onde ele tinha estado ninguém podia pensar mais para além. (…) Pensou que tinha enlouquecido e agarrou-se desesperadamente ao seu livro. (…) Estava no limite.

Bachmann deixou-nos como escreveu, atravessando a fronteira que continha a ânsia pela compreensão do seu lugar no mundo: viciada em álcool e barbitúricos, sobrevivente ao conturbado relacionamento à distância com o poeta surrealista Paul Celan (as cartas trocadas entre eles foram recentemente publicadas em Portugal), à homossexualidade do compositor Hans Werner Henzel, com quem chegou a equacionar o casamento, ou ao adultério do escritor Max Frisch, foi perdendo a sensibilidade à dor. O seu corpo deteriorou-se com as queimaduras acumuladas pela cinza dos cigarros que ela deixara de sentir. Na noite de 25 de Setembro de 1973, um incêndio – pensa-se que devido a um cigarro – originado no colchão da cama do quarto onde estava hospedada, leva-a ao hospital. Os médicos, desconhecendo a sua extrema dependência, testemunharam a violenta reacção perante a falta dos comprimidos. A “intelectual brilhante” – nas palavras do prémio Nobel Heinrich Boll – morreu no hospital no dia 17 de Outubro desse ano

Da abertura do conto Tudo:

Quando nos sentamos como duas personagens petrificadas à mesa, ou quando à noite nos encontramos junto da porta da entrada porque nos lembrámos os dois ao mesmo tempo de a ir fechar, sinto a nossa tristeza como um arco que vai de uma ponta à outra do mundo – de Hanna a mim, portanto – e que nesse arco retesado está preparada uma seta, pronta a atingir o céu imóvel em pleno coração.

António V. Dias

Tendo feito a formação em Matemática - primeiro - e em Finanças - depois - mais por receio de enveredar por uma carreira incerta do que por atender a uma vontade ou vocação, foi no Cinema, na Literatura e na Escrita que fui construindo a casa onde me sinto bem. A família, os amigos, o desporto, o ar livre, o mar, a serra... fazem também parte deste lar. Ter diversos motivos de interesse explica em parte por que dificilmente me especializarei alguma vez em algo... mas teremos todos que ser especialistas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo
%d bloggers like this:

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.