fbpx
Portugal

Zé Banquinho

Numa altura em que a malta está a pensar no reembolso do IRS, para pagar o IMI, eis que vejo algumas empresas (e bem) a darem mais-valias aos seus funcionários, a recompensarem o trabalho, a dedicação e esforço.

Fico de coração cheio, quando vejo olharem para os seus funcionários com olhos de ver, aqueles que observaram e viram pessoas, não meros números. Números? Espera lá, prémio de produtividade a gestores do Novo Banco? Wow!

Sei que não sou cliente, nem alguma vez ponderei em ser, mas nada relacionado com o Banco Bom, o Banco Mau, Velho, Novo… mas só assim por acaso, alguém tem uma explicação sobre este merecido prémio? Quando alguém tiver oportunidade, que me explique como é que se pondera atribuir um prémio aos gestores do Novo Banco.

Então, o Banco Mau, o tal BES, foi ao fundo e houve malta a perder muita coisa (até tinham o rótulo de “lesados do BES”), chegando ao ponto de levar, pelo menos uma pessoa ao suicídio. Sim, ao suicídio. Imaginem o desespero, a angústia, o murro no estômago sem aviso prévio de alguém que tudo tinha e, sem nada que o fizesse prever, ficou a zero.

Alguém que me explique, como é que, passados alguns anos, havendo pessoas ainda a lutar pelo que era delas, sem obter os resultados desejados, conseguem ler que o Novo Banco, aquele renascido dos euros, perdão, das cinzas, teve novamente um prejuízo de milhões (nem sei quantos zeros tem) e posteriormente se fala em atribuir uns euritos (li algures que ascende a 1 milhão) à equipa de gestão. Como diz a voz do povo, isto é gozar com o pobre.

Eu nem sei se gostava de perceber, pois fica a sensação que, quanto menos se produz, melhor fica um gajo na fotografia. Ainda assim, eu acredito (nem por isso) que a equipa de gestão, após receber o bónus, vai recusar, doar ou oferecer tal valor, pois irão reconhecer que aceitar o prémio seria ou será uma enorme afronta para muitos outros.

Pensando em outro quadro, aquele onde se tenta dar um incentivo pela gestão, para que se pense que, se com prejuízo se ganha X, imaginem o Y que se poderá ganhar com a existência de lucro. Deve ser essa a mensagem! São as tais letras pequenas e rápidas que passam por vezes e não as conseguimos enxergar.

Esqueçam a explicação que pedi no início. Como diz o Zé Povinho, se tens inveja, toma.

Bruno Marriço

Como alguém escreveu um dia, “não basta que todos sejam iguais perante a lei. É preciso que a lei seja igual perante todos."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
%d bloggers like this:

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.