+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Um Mundo de Oportunidades

Aproveitar a experiência de quem nos é próximo, ouvir os seus conselhos, tomar decisões tendo em conta várias vertentes da nossa vida e ser prático em relação a vários assuntos são capacidades que podem levar-nos longe. No entanto, quando descuramos a nossa verdadeira essência em prol de pressões exteriores, acabamos a desperdiçar oportunidades e a destruir, aos poucos, a nossa individualidade.

Tantas vezes tomamos decisões baseadas no que nos aconselham em vez do que aquilo que pensamos ser melhor, ignoramos o nosso instinto porque alguém nos diz que não é a melhor opção, tememos o que podem pensar por seguirmos ou não um determinado caminho, por não correspondermos às expectativas que tinham de nós, e acabamos a fazer algo pelo qual não nos sentimos entusiasmados.

Esta é a realidade para muitas pessoas que acabam por adiar as suas paixões, por ignorar os seus sonhos e por escolher o que é mais seguro e confortável. Não é algo pelo qual devemos ser julgados. Às vezes a procura por estabilidade e segurança fala mais alto. Contudo, não tem que ser sempre assim.

Não temos que viver uma vida com a qual não nos identificamos apenas para sobrevivermos, apenas para estarmos estáveis, apenas para nos sentirmos confortáveis.

Primeiro: isso não acontecerá. Passaremos por altos e baixos sempre. Haverá momentos bons e maus, mais alegres e mais difíceis. E escolher aquilo com o que nos identificamos não é uma mera banalidade ou pormenor. Não é uma ingenuidade. É sim escolher aquilo pelo qual vale a pena ultrapassar qualquer obstáculo. É ter em conta o que queremos que seja a história da nossa vida.

Porque lutar por algo em que não acreditamos, passar uma imagem de alguém que não somos ou dedicar o resto da nossa vida a algo que não nos diz nada não é jogar pelo seguro, não é escolher o caminho mais sensato. É desperdiçar todas as oportunidades, todo o potencial e toda a capacidade que temos.

Mas, mais do que isso, é desperdiçar uma vida e carregar connosco o peso de um sonho que nunca foi concretizado, de uma realidade que nunca chegou a materializar-se. E o que ganhamos com isso, se não infelicidade, desgosto e arrependimento?

Qual o sentido da vida se não para sermos e fazermos o que nos motiva, o que nos faz sorrir e o que nos apaixona? Sim, há momentos em que fazemos algo que não gostamos ou passamos por experiências menos boas. Isso é completamente normal. No entanto, aquilo que queremos fazer, ser e transmitir não é algo pelo qual vale a pena arriscarmos?

Share this article
Shareable URL
Prev Post

A beleza é relativa? Sim e isso é bonito

Next Post

“Mad Men”: retrato de um estilo de vida

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

LAW & ORDER

Esta é uma das minhas séries preferidas, não fosse pela temática que a define, e cujas vítimas são, na sua…

Não!

Não se deve começar um texto com um não e talvez não seja bonito fazer discursos à boa maneira de um concurso de…

Os maiores em idade

É essencial valorizar a nossa saúde – todos concordamos. A saúde tem de ver sobretudo com a optimização da nossa…

Desfruta a viagem

Seguirmos o nosso sonho não é mais que a atitude mais íntegra (e, no entanto, mais fácil) que temos que tomar…