+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Realidade ou magia: a Microsoft responde

Quando se fala em Microsoft, é de se esperar que uma simples conversa se torne uma discussão calorosa sobre a eterna rivalidade entre esta empresa e a eterna oposição empresário-tecnologica, Apple. Esta rivalidade pode ser compreendida pela genialidade de ambos fundadores, Steve Jobs e Bill Gates. A Microsoft sempre foi comandada pelo seu fundador, ao contrário da Apple, que por determinados períodos esteve sem a presença integral de seu maior tutor. Mas se as semelhanças são tantas, porquê que a Microsoft não tem um passado recente tão glorioso quanto a sua arqui-inimiga?

A Microsoft teve início no mesmo período de sua concorrente, no ano de 1975, quando Bill Gates e seu amigo estudante Paul Allen, decidiram fundar uma empresa de nome Microsoft (cujo termo deriva de Microcomputer e Software), o que inicialmente foi criada para desenvolver um software para a empresa IBM rodar em seu computador Altair 8800. Quatro anos depois, a IBM contrata oficialmente a Microsoft para desenvolver seu sistema operacional com a intenção de concorrer com o futuro projecto do computador Lisa, da Apple.

Conjuntos de acasos acabaram por traçar esta magia que envolve a dinâmica do mundo das tecnologias que mais nerds arrasta. E um nerd que seja nerd que se preze, sabe que a Microsoft oscila bastante…entre a magia e a dura realidade!

É inegável a popularidade que o sistema operacional da Microsoft, o odiado e amado Windows, possui no segmento em que actua. A pesquisa de mercado mais recente publicada no TecMundo aponta que o SO está presente em mais de 90% dos computadores do mundo todo. Gostando ou não, esse é um resultado bastante expressivo e que mostra que a companhia domina a categoria com muita folga. Mas, como muitos devem saber, nem sempre foi assim. O Windows não nasceu da forma como o conhecemos e nem com todos os recursos com os quais estamos familiarizados. Houve um processo gradual de evolução em que a Microsoft aprendeu quais eram as necessidades das pessoas e aperfeiçoou funcionalidades para equipar o seu programa.

Lançado em 2012, o Windows 8 foi a tentativa mais radical da Microsoft de alterar o visual do seu sistema operacional. A mudança foi motivada por causa da chegada dos dispositivos que respondem ao toque, eliminando, por causa disso, o Menu Iniciar e dando lugar a uma tela totalmente nova que se baseia no uso de “tiles” (pequenos quadrados que representam um programa).

A mudança na aparência não agradou a todos, o que culminou no “fracasso” do sistema operacional. Apesar disso, o Windows 8 é ligeiramente mais rápido que seu antecessor e trouxe muitas novidades, como o suporte ao USB 3.0 e a Loja do Windows. Uma versão para dispositivos móveis e com suporte para processadores ARM, baptizada de Windows RT, também foi lançada, mas não fez o sucesso que a companhia esperava. É caso para dizer que a realidade foi bastante dura!

A 30 de setembro de 2015 a Microsoft realizou um evento para mostrar que o seu sistema operativo está a ser reformulado, graças à nova major update apresentada para consumidores e membros da imprensa. Sim, chegou o novo Windows 10 — pois é, esqueceram-se do “nove” —, que vai substituir o Windows 8 no mercado. Este novo sistema trará mudanças a nível de unificação, ou seja, o mesmo Windows 10 utilizado por computadores será também de tablets, smartphones e outros aparelhos. Além disso, as novidades mais relevantes expressam-se pela existência da operação de várias janelas, possibilidade de visualizar na tela vários ecrãs de trabalho, explorador de arquivos, entre muitas outras…será esta a magia que tanto esperávamos?

Podemos pular entre o bom e o mau desta companhia. Podíamos pular entre escândalos. Mas o mais importante é esta magia que a Apple parece não ter: as memórias de ter um sistema que cresceu connosco e que, tal como nós, passou por pontos duros da vida.

Share this article
Shareable URL
Prev Post

Homens VS Mulheres

Next Post

Muse. Mais do que uma banda, uma Teoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next