+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Pragas

Transudava circunstâncias de acaso na rua. Nada de relevante, digno de registo ou menção. Escritor que se prezasse inventava para que fosse isto uma grande cousa. Mas, é a vida um transude de circunstâncias pouco febris – e não um pacote de grandes cousas – que mais vale haver escritor que isto assuma em vezes.
Nada que preste ao dia de hoje.

04 de março.

O patriotismo deveria levar-me a dizer, orgulhosamente, que somos um povo pacato. Veja-se, nada de exaltações assinaláveis nesta rua, mas isto, de denúncia a tristes fados, há de tudo. Pacatez é disfarce simpático, que a evidência de almas desassossegadas ou perdidas é escandalosa. Numerosos sonhos perdidos, numerosas calosidades de fartas pragas rogadas à vida.

“Quem roga pragas à vida, quem faz lá disso?” – Todos, todíssimos.

Numerosos pacatos em disfarce.

Share this article
Shareable URL
Prev Post

A incontestável riqueza da vida: Viajar

Next Post

Insuficiente

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

Retalhos de vidas

Ontem o dia deu em chuvoso. Uma chuva miudinha que começou com uma certa timidez e não conseguiu avançar. O…

Fumar

Fumar mata. Não, não mata. Fumar vai matando lentamente… Vai roubando vida à própria vida. Torna as…

Para sempre

Tenho três filhos e o trabalho de uma mãe não acaba nunca. Desde o primeiro dia, em que soube que estava…