+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Porque é que a extrema-direita está a ganhar força?

Atualmente é fácil aceder a informações políticas sobre os quatro cantos do mundo, isso faz com que façamos constantemente comparações com a forma como vivemos no nosso País, isto tanto para o bem, como para o mal. Arranjando culpados, é muito mais fácil convencer alguém que existem soluções de rápida resolução, e é desta maneira a extrema-direita ganha força.

Se fizermos uma reflexão e análise sobre Portugal, encontramos problemas que se tornam cada vez maiores. Um salário baixo, pessoas altamente qualificadas que não têm emprego na sua área, preços absurdamente caros de supermercados, imobiliária, tecnologia, entre outros. Não é só pelo fato de os jovens quererem aproveitar um pouco mais a sua disposição jovem, de não terem dependentes que saem de casa ou casam ou têm filhos cada vez mais tarde. É sim, também porque grande parte imagina que irá passar dificuldades financeiras familiares.

Um dos motivos que continua a persistir para haver imigrantes em Portugal é a sua segurança, essencialmente para as mulheres, que podem andar sozinhas, coisa que em alguns países é altamente perigoso. Convencer os portugueses que isso pode mudar com a imigração, ou culpar minorias, fomentando que ser demasiado permissivo e solidário é como mostrar um doce a uma criança é só apontar no argumento da marginalidade. Isto é, afirmar que o problema da má colheita é a fruta podre, que assim se convence um país que a promessa de melhora é garantida. Esta é a maior arma para destronar a atual democracia como a conhecemos, demonstrar que a solidariedade e permissividade é o cancro das pessoas de bem e trabalhadoras.

O problema nestes casos, é que a extrema-direita não salvaguarda exceções, isso causa precedentes e desordem. Infelizmente, não podemos fazer uma análise de carácter dos imigrantes para os aceitar ou não num país, e desta maneira negamos oportunidade a pessoas honestas que só procuram uma vida melhor em relação à miséria em que vivem. Quando digo miséria, não é não ter dinheiro para comprar um Iphone, ou um carro, mas sim não ter o que comer, ter uma casa em ruínas e viver sob ameaça de armas todos os dias. Ou também procurar um ambiente mais seguro e uma melhor educação para criar os seus filhos que é o caso de todos os Brasileiros.

Neste sentido, a extrema-direita só necessita acumular informações um tanto indigestas à população, como apoios, subsídios, juntar todas essas informações numa panela e fazer um grande cozinhado.  Para dar o toque perfeito a estas campanhas, é só culpar os atuais governantes de todas as questões. Este é um caminho estratégico bastante atraente para chamar apoiantes.

Deixo aqui a seguinte reflexão, apesar da extrema-direita ter razão em alguns argumentos, não nos podemos esquecer que os extremos são autoritários. Esta característica típica em todos os que vestem a extrema-direita permite que discordem deles em alguma questão?

Devemos pensar se isto só é útil, até ao momento que prive a liberdade dos outros e não a nossa.

Nota: este artigo foi escrito seguindo as regras do Novo Acordo Ortográfico
Share this article
Shareable URL
Prev Post

Eu ou o Chat GPT?

Next Post

Coup de Chance (2023) – Um Golpe de Sorte

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

O sabichão

Foi a 13 de Maio (não, não foi na Cova da Iria) que foi anunciada a existência de uma bolha, citado, então, por…

Fazes-me um like?

A minha avó paterna passava o dia em frente a uma televisão. Quando estávamos juntas contava as histórias que…

O perigoso optimista

Há duas atitudes que se confrontam, inadvertida ou inconscientemente na vida. A postura optimista e a sua irmã,…