Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Desporto

Os mais recentes destaques da temporada de F1

 

Cumpridas mais 3 corridas da temporada de F1 de 2016 há que fazer a respectiva analise das corridas. Desta vez, os Grandes Prémios do Canadá, Europa e Áustria.

Disputado no Circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, o Grande Prémio do Canadá não decorreu sem as normais controvérsias. Daniil Kvyat e Marcus Ericsson sofreram ambos uma penalização de três lugares na grelha de partida por, durante o Grande Prémio do Mónaco, terem causado acidentes evitáveis. Kevin Magnussen correu o risco de não poder correr o Grande Prémio por não ter cumprido a regra dos 107%, que obriga os pilotos a cumprirem um tempo inferior a 107% do tempo do primeiro classificado, deixando a participação na corrida a cargo dos stewards. Kevin Magnussen e Carlos Sainz, jr. sofreram ambos uma penalização de 5 lugares na grelha de partida, por terem trocado a caixa de velocidades antes do previsto.

Sem surpresas a pole-position foi para Lewis Hamilton e o segundo lugar para o seu companheiro de equipa, Nico Rosberg. E voltam os problemas na equipa Mercedes. Logo no arranque, Hamilton, não abrindo espaço suficiente para Rosberg, obriga-o a sair fora de pista. Felizmente não houve problemas de maior para ambos os carros e a corrida continuou normalmente. Hamilton ganhou com Vettel e Bottas em segundo e terceiro.

Grande Prémio da Europa. Disputado em Baku, capital do Azerbeijão. Como já disse, não encontraram nenhum sitio mais longe para realizar este Grande Prémio. Um dos poucos circuitos citadinos do calendário. Disputado entre a zona velha e a zona nova da cidade, este Grande Prémio valeu apenas pela beleza extrema e pela inovação do circuito. O alcatrão foi montado na semana anterior à corrida e no dia a seguir foi outra vez desmontado. Algo que nunca se tinha feito, nem sequer tentado. A pole-position foi para Rosberg, que mostrou a qualidade de piloto ao aprender rápida e eficientemente o traçado do circuito. Uma bela resposta ao colega de equipa, Lewis Hamilton que na qualificação não foi além da 10ª posição e que terminou a corrida em 5º lugar. Sérgio Pérez da Force India-Mercedes, Kevin Magnussen da Renault e Carlos Sainz, jr. sofreram uma penalização de 5 lugares na grelha de partida por trocarem a caixa de velocidades antes do previsto. Kevin Magnussen foi obrigado a partir da via das boxes pelas modificações feitas ao carro em condições de parc fermé, isto é, as boxes estavam encerradas e os engenheiros a trabalharem no carro, algo que o regulamento não permite. A corrida foi ganha, sem grande surpresa por Nico Rosberg, que arrancou e seguiu viagem. Segundo e terceiro lugares para Vettel e Pérez, com o ultimo a provar que tem categoria para uma equipa de topo (Ferrari e Mercedes estão a ouvir-me?)

Grande Prémio da Áustria, disputado no Red Bull Ring. O fim de semana começou com boas noticias para os amantes da F1. Rosberg e Hamilton tinham enterrado o machado de guerra. Não iríamos mais ver cenas como em Espanha. Hamilton fez a pole-position com um tempo magnifico de 1:07:922. Rosberg e Vettel sofreram 5 lugares de penalização na grelha de partida por uma troca de caixa de velocidades antes do previsto. Palmer, Haryanto e Nasr sofreram 3 lugares de penalização na grelha de partida por não terem abrandado, durante uma situação de bandeiras amarelas na primeira ronda de qualificação. Massa e Kvyat partiram da via das boxes – Massa por ter trocado a asa frontal e Kvyat por ter trocado de célula de sobrevivência.

Apesar do tempo encoberto e da possível previsão de chuva, a corrida decorreu sem grandes incidentes, pelo menos até a ultima volta. Com Rosberg e Hamilton em primeiro e segundo, na segunda curva do circuito, Rosberg vira tarde demais para fazer a curva, colide com o carro de Hamilton e danifica ambos os carros, empurrando Hamilton para fora de pista. Enquanto Rosberg tenta perceber o estado do seu carro, Hamilton passa-o e fica em primeiro. Durante a última volta, Rosberg ainda é passado por Verstappen e Räikkönen, terminado em 4º lugar.

Pontos positivos: Max Verstappen e Sérgio Pérez. Apesar de ter apenas 18 anos e de correr certos riscos desnecessários, Verstappen tem tudo para ser campeão do mundo antes dos 25. A sua prestação no Grande Prémio da Áustria foi completa, total e absolutamente desprovida de erros. Pérez não aparece sempre, mas, quando aparece, relembra-nos os Grandes Prémios de antigamente, em que os pilotos estavam apenas concentrados no Grande Prémio que estavam a disputar.

Pontos negativos: Mercedes, Rosberg e Hamilton. A Mercedes continua a insistir em ter dois pilotos nº1. Hamilton e Rosberg naturalmente competem entre si e depois temos cenas como as que aconteceram em Espanha e na Áustria. O ambiente dentro da Mercedes não é frio, já congelou mesmo.

Próximos Grandes Prémios: Inglaterra, Hungria e Alemanha.

Tags
Show More

Manel Gabirra

Estudante da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa no Curso de Línguas, Literaturas e Culturas. Grande apaixonado por automobilismo e política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: