Uncategorized

Os Heróis do Futuro

AVISO IMPORTANTE: Este artigo não pretende de modo algum fazer qualquer tipo de comparação com nenhum individuo em particular ou no geral, nem tão pouco comparar sofrimentos ou situações reais com ficção, que possam levar o leitor a sentir-se ofendido. O objectivo destina-se unicamente a permitir a analogia aqui descrita para que tome consciência da importância da abertura da mente na observação do caso em concreto.

Abra a sua mente e imagine um ser indefeso que cai num mundo que não é o seu.

Arrisque nesta viagem do imaginário e permita-se conhecer algo que ao vir a este novo mundo não fala a mesma língua, não sente da mesma forma e não comunica como os nativos.

Para este pequeno ser os sentidos estão ao rubro quando tenta identificar novos cheiros, temperaturas, ruídos, paladares, luminosidades e perigos no geral.

O ambiente envolvente é agora um labirinto armadilhado onde qualquer movimento pode ser fatal.

Permita sentir o que este ser sente quando além de tudo isto, ainda é perseguido e só lhe resta correr e fugir, sem saber se caminha na direção certa ou se por outro lado, se encaminha rapidamente para o fim da sua existência.

Quando for finalmente encurralado e apanhado, será com certeza subjugado a testes pouco simpáticos para que consigamos perceber quem é, de onde vem e se nos oferece perigo ou salvação.

Sente neste momento curiosidade em saber do que falo?

Talvez sim, talvez não.

No entanto permita que o deixe um pouco mais curioso e que prossiga com o meu relato.

Agora que até deve estar com pena da criatura, imagine que este ser indefeso tem a capacidade de curar apenas com um toque.

Ele também respira debaixo de água e parece que até aprecia o ambiente liquido.

Além destas magias, consegue ainda criar um elo telepático tão forte que se pode conectar consigo ao nível dos sentidos, e fazê-lo realmente sentir o que ele sente.

Perceba agora que o ser indefeso, tem a formidável capacidade de aprender e apreender toda a informação que recolhe ao seu redor e em pouco tempo consegue andar no novo mundo quase como se fosse seu.

Este ser tem a real percepção de que não pertence a este mundo e sabe bem de onde veio e para onde tem que ir. Tem propósito na sua missão, embora esteja de momento perdido.

Este ser tem o dom da telecinésia, ou seja, a capacidade de mover objectos com a mente. Também é um ser habilitado a usar a tecnologia e a mecânica com mestria.

Nada mau para um ser de outro mundo.

Considerado  a maior bilheteria da história do cinema por onze anos consecutivos, senhoras e senhores, apresento-vos um filme datado de 1982 que tem como protagonista este ser incrível e que todos conhecem como ET- O EXTRATERRESTRE.

Para quem nunca viu, aconselho vivamente. Para quem já viu, nunca é demais relembrar e por isso permitam que vos deixe aqui um link para o efeito, bem como outros que podem ser úteis ou informativos quanto ao assunto.

Mas calma que o artigo ainda vai a meio e não é isto que considero de tamanha importância ao ponto de quase vos esgotar a paciência.

Apelo por isso à vossa boa vontade para que continuem a ler e a entender esta analogia que me parece coerente.

Voltemos então ao nosso imaginário e à abertura das nossas mentes.

Peço-vos, então, que visualizem um ser humano que consegue ler um livro de 300 páginas em 40 minutos, utilizando um olho para cada página.

Imagine um ser humano capaz de aprender e falar fluentemente qualquer língua em apenas 7 dias.

Ou um de nós que consegue resolver equações matemáticas complexas mais rápido do que uma calculadora.

O que dizer de um ser humano que consegue nadar com tamanha cronicidade e agilidade que parece que o seu meio ambiente é de facto o aquático e não o terrestre?

Um ser humano que entende um computador ou qualquer aparelho tecnológico sem nunca ter sido ensinado a trabalhar com os mesmos.

Imagine um ser humano capaz de compor uma sinfonia com apenas 5 anos de idade.

Extraordinário, não seria? Ou será que é?

E se eu lhe disser que muitos destes super-poderes residem ou residiram de facto em certos seres humanos. Eles eram de nacionalidades diferentes, extratos sociais diversos e sem qualquer relação entre si seja de espaço ou intelectual. No entanto, tinham todos um factor em comum:

AUTISMO

Aos olhos da ciência e sob a luz do conhecimento que temos hoje o autismo é descrito como um transtorno neurológico caracterizado por comprometimento da interação social, comunicação verbal e não verbal e comportamento restrito e repetitivo.

Como pode ser isto se têm poderes tão extraordinários?

É verdade que desenvolvem tarefas impossíveis ao ser humano comum com uma precisão, astucia e rapidez impressionantes, mas também é verdade que estes heróis demoram o dobro ou o triplo do tempo a interagir com os seus pares ou simplesmente aprender coisas tão básicas como, a fala, o alimentarem-se ou vestirem-se sozinhos.

Podemos perceber que não diferem muito do nosso amigo ET.

Não me interpretem mal. Não lhes estou a chamar seres extraterrestres ou a apelidá-los de criaturas estranhas. São apenas seres humanos como nós que desenvolvem outras capacidades e elevam-nas a níveis incompreensíveis para o comum mortal, mas que por outro lado têm também uma dificuldade extrema de interagirem na sociedade tal como a desenhamos ou criámos.

Voltando ao filme realizado por Steven Sepielberg, também ele curiosamente diagnosticado com autismo, conseguimos criar um laço com a personagem principal. Conseguimos até colocarmo-nos na pele da criatura e sentir todas as emoções que o mesmo deve sentir.

Aplaudimos a forma como aquelas crianças o protegem, ensinam e o ajudam a regressar a casa.

Reparem que embora o ET tenha feito esforços para se adaptar à vida na Terra, só conseguiu superar os obstáculos porque alguém, em vez de o obrigar a viver aqui, o ajudou a regressar ao seu mundo.

Com o autismo passa-se o mesmo. A intolerância por parte da sociedade, o desrespeito ao próximo e a ignorância sobre o que é o autismo, faz com que a luta de mais de 70 milhões de pessoas no mundo seja muitas vezes quase impossível de suportar.

Temos muito a ganhar e a aprender com pessoas muito diferentes de nós ou dos padrões que criamos na nossa mente. A diversidade neurológica é sem duvida um dos desafios futuros que a Humanidade deve e terá que aproveitar se quiser chegar a bom porto.

Esta ideia não é uma utopia. Na verdade, já existem empresários no mundo que abraçam estes seres humanos e lhes dão condições para exercerem funções que servem de mais valia às empresas.

Infelizmente, parece que em Portugal se acorda lentamente para esta realidade. Não existe grande desenvolvimento por cá no que toca a empresas que abram as portas a pessoas com autismo ou qualquer outra condição.

No entanto, o mundo contraria esta postura cada vez mais, contratando estes génios. É o caso da Specialistern, no Brasil. Deixo o link para que se inteirem do que esta empresa desenvolve, lembrando que não é um caso isolado. Existem mais pelo mundo fora.

Quem pensa, age ou se comunica de diferente modo do nosso nunca deve ser excluído. Pelo contrário, deve ser incluído num contexto de entreajuda onde todos podem e devem ensinar  e aprender para uma evolução pacifica e duradoura.

Porque será que conseguimos emocionarmo-nos com um extraterrestre, mas não conseguimos fazê-lo por um ser humano, apenas porque este é estranho ou diferente de nós?

Porque será que torcemos para que o ET viva feliz no seu mundo, mas não permitimos que um ser humano aprenda a ser feliz num mundo que também é seu?

Porque será que estes super humanos têm que depender, tal como o ET, do amor incondicional de uma família guerreira, que muitas vezes luta isolada do resto da sociedade contra a intolerância dos vizinhos?

Quando será que perderemos o medo do diferente e reconhecemos o amor ao próximo como a única forma de sobrevivência nos tempos que se avizinham?

A todos os “ET´s” por esse mundo fora, desejo as boas vindas e que consigam ser antes de super-heróis, SuperHumanos para nos guiar rumo a um plano mais elevado de consciência, fazendo-nos crescer a todos os níveis.

Video sobre diversidade neurológica

Direitos das pessoas extraordinárias

Por que Pessoa Extraordinária? Entenda aqui

Sobre poderes

https://super.abril.com.br/ciencia/os-maiores-cerebros-do-mundo/

http://www.portalsacaso.com.br/10-personagens-famosos-e-bem-sucedidos-que-sofriam-de-autismo/
Nomes de autistas famosos
https://www.dn.pt/ciencia/interior/famosos-autistas–1338080.html
O que diz a ONU sobre o Autismo
http://enfrentandooautismo.blogspot.com/2013/04/70-milhoes-de-autistas-no-mundo-segundo.html
E se fosse consigo?
https://www.noticiasaominuto.com/pais/595987/e-se-o-seu-filho-tivesse-autismo-ser-autista-em-portugal
FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AUTISMO
http://www.fpda.pt/autismo_1
Filme ET – O Extraterresttre
Filme ET https://www.youtube.com/watch?v=khrsMC7pqVs
SPECIALISTERNE
Mercado de trabalho (Brasil)
http://br.specialisterne.com/sobre-specialisterne/
TENS SÍNDROME DE ASPERGER? TEMOS TRABALHO PARA TI
Artigo sobre o mercado de trabalho para autistas em Portugal
http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-03-27-Tens-sindrome-de-Asperger–Temos-trabalho-para-ti-1

Tags

Sónia Marques

Nasci a 7 de Janeiro de 1977 em Lisboa. Nunca fui uma aluna de excelência, mas sempre fui apaixonada por leitura e escrita. O meu percurso profissional não tomou o rumo daquilo que sinto ser a minha missão de vida, mas deu-me ferramentas poderosas como observadora. O atendimento ao público todos os dias proporciona histórias de vida e ensinamentos que me fazem exaltar a criatividade. E são essas, as estórias de vidas e pessoas reais, os seus desafios e a forma como encaram a vida que me faz crescer e aprender valiosas lições. O comportamento humano, nem sempre positivo, fascina-me.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Check Also

Close
Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: