+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Não ligues, eu sou uma tola

Não te preocupes com as minha lágrimas!

Eu sou mesmo assim, sou nostálgica e sonhadora. Agarro-me a pequenos detalhes e perco-me nas entrelinhas dos sentimentos que poucos sabem traduzir. Levo a peito o amor e não sei deixar de incriminar quem com ele brinca.

Não ligue, isto passa!

Um dia vou acabar por te esquecer. Talvez depois de te ter perdoado por não me teres amado como eu sonhava. Um dia esqueço todas as promessas que me fizeste e quando me olhar no espelho vou utilizar a minha frase de sempre ” Sou a palavra certa na frase errada“.  Nada é eterno, nem mesmo a memória das pessoas que nos desiludem.

Não ligues porque eu sou mesmo tola.

Sou frágil como o vidro, com uma única diferença é que quando caio não me divido em mil e um pedaços que se espalham pelo chão da sala e em que alguém se pode ferir se pisar esse chão. Eu não sou assim, levanto-me a cada queda, colo todas as migalhas das memórias passadas e sigo em frente. Volto a ser quem sempre fui, mas cada vez mais forte. E mais, o que tu não é que o amor faz milagres e é ele que me dá força. Esses são milagres em que tu não acreditas porque não sabes o que é amar. Não sabes que o amor junta o melhor de nós para nos ensinar por onde deveremos seguir depois de uma desilusão. O amor torna-nos diferentes e foi essa diferença que não fostes capaz de entender. Eu dava-te o que tu não sabias receber, por isso desististe de mim com receio de que o amor acabasse com essa liberdade que tu julgar amar e não sabes como usar.

Tu ainda tens muito que aprender com o amor!

Não ligues, eu estou de novo a divagar.

Sim eu acredito que quem ama continua a ser livre, basta deixar que tudo o que sente se solte livremente para dar mais cor à vida do outro que nos ama incondicionalmente. A nossa liberdade não nos dá o direito de magoar o outro.

Não ligues ao que digo e não percas o teu tempo a tentar compreender o que sinto e de que sou feita.

A vida é mesmo assim. É difícil aprender a conviver com aqueles que não cantam a nossa melodia e não querem aprender a dançar ao nosso ritmo. É difícil ensinar a amar a quem não aceita o amor que lhe oferecemos. É complicado dividir a nossa intimidade com que se esconde na sombra dos seus segredos para que nunca possamos saber de que é feita a pessoa que amamos e que afinal só se está a divertir à custa do nosso sentimento. É difícil aceitar que alguém nos abandona depois de nos ter prometido um futuro, sem ter perdido um minuto que fosse para pensar na dor que estava a plantar naquele peito.

É difícil amar pelos dois e eu, uma vez mais, tentei fazê-lo.

Amei-te por mim e por tudo o que não és. É difícil mudar quem não sabe o que faz no caminho que a vida lhe traçou. Por isso, não ligues ao que ainda sinto porque tudo já passou e nem essa tempestade me derrubou.

Não ligues eu sou uma tola e sonhadora. Sou aquela que acredita que o amor nos faz felizes e se um dia descobrires o que é o amor saberá que primeiro te perdoei e só depois é que te esqueci.

Share this article
Shareable URL
Prev Post

Estado da arte da educação superior em Portugal 

Next Post

Com todos os sentidos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

Diário de um Pai

Chego a casa, após um dia intenso de trabalho. Sinto-me irritado. Por norma, saio do trabalho e vou com os meus…

Meio caminho andado

  Fiz 40 anos no Verão que agora termina. Quando era criança, quem tinha 40 anos era velho e acabado. Aos…