CulturaMúsica

Justin Timberlake

Quem não conhece este nome?

É um artista multifacetado – músico, compositor, actor, produtor, bailarino e empresário.

Nascido em Memphis, em 1981, a sua carreira começou ainda na infância no programa da Disney, Mickey Mouse Club, no qual participavam também Britney Spears e Christina Aguilera, cujos nomes se tornaram também incontornáveis na esfera musical.

Justin Timberlake conheceu, na mesma altura, JC Chasez com quem fundou, em 1995, um fenómeno da música Pop norte americana, a boys band *N Sync. O nome foi escolhido utilizando a última letra de cada um dos nomes dos seus elementos. Com o sucesso de “No Strings Attached” e canções como “Bye, bye, bye”, os *N Sync confirmaram o seu lugar essencialmente junto do público adolescente, fazendo com que a geração que agora ronda os 40 anos ainda identifique as suas músicas com o som dos primeiros acordes.

Justin Timberlake começa a destacar-se e, quando a banda decide fazer uma pausa, é-lhe dada a possibilidade de começar o seu trabalho a solo. Assim, em 2002, é lançado o seu primeiro registo em nome próprio – “Justified”. Um álbum aclamado pela crítica, com muito R&B contemporâneo e ritmos dançantes, influenciado por produtores de Hip-Hop, como Timbaland. Daqui surge “Cry Me A River”, a sua versão sobre a separação abrupta de Britney Spears, com quem manteve uma relação durante alguns anos.

Timberlake começa a juntar às suas letras um trabalho sonoro que fica no ouvido e cuja componente visual está sempre presente, seja nos videoclips ou nos espetáculos ao vivo, não esquecendo nunca a sua vertente de bailarino.

Começa assim a sua consagração através dos prémios do mundo da música, ganhando Grammys e Video Music Awards (VMA’s).

O seu segundo álbum de estúdio, “FutureSex/LoveSounds”, em 2006, garantiu presença no primeiro lugar das tabelas musicais de muitos países, destacando-se três singles: “SexyBack”, “My Love” e “What goes around… comes around”. A sonoridade de Timberlake em todos estes singles é inconfundível, com todas as suas músicas associadas ao visual, com videoclips marcantes, cheios de sensualidade, dança e ritmo. A produção ficou a cargo, mais uma vez, de nomes ligados ao Hip-Hop e R&B, Timbaland, Will.i.am e, claro, do próprio Justin Timberlake.

Com “The 20/20 Experience 1 e 2”, este artista regressa em 2013, demonstrando que o hiato temporal só o amadureceu: o seu novo álbum é apresentado na Super Bowl, em Nova Orleães, com a frase: “I’m ready”.

Mirrors”, o segundo single deste álbum, é dedicado à atriz Jessica Biel, sua mulher desde 2012, com quem tem um filho. Nesta música, Timberlake canta sobre amor e mais uma vez investe num videoclip marcante, que conta a história dos seus avós maternos que foram casados durante 63 anos até à morte do avô.

Já este ano, surge um novo trabalho, “Man of the Woods”, com “Say Something” a ganhar terreno em todas os tops de música e de rádios.

No meio de todo o sucesso, há lugar também para algumas polémicas, como a sua participação com Janet Jackson na Super Bowl de 2004, em que existe um momento de “nudez acidental”, quando um dos seios da cantora é destapado, durante alguns segundos, por Timberlake.

Justin Timberlake e o seu lugar na música nunca passam de moda. Por isso, mantemos a vontade de trautear o refrão de “Cry me a River” ou então do seu último sucesso: “Sometimes the best way to say something is to say nothing at all…

Tags

Raquel Guerra

Apaixonada pelas palavras desde que me conheço como gente. Ávida consumidora de poesia. Sonhadora. Crente nas pessoas. A escrita como vínculo com o outro. Em construção constante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Check Also

Close
Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: