fbpx
Ciências

Folhas em branco ou já rabiscadas?

Sou morena, porque a minha família é morena. Sou alta, porque grande parte da minha família é alta. Tenho olhos castanhos porque a minha mãe tem olhos castanhos, e entre olhos castanhos da mãe, e olhos azuis do pai, normalmente “ganha” o castanho. Gosto de conhecer pessoas novas porque a minha mãe…

Espera…

Gosto de conhecer pessoas novas porquê?

Porque a minha mãe também gosta ou porque eu gosto?

Durante a minha passagem pela universidade, aprendi que cada pessoa nasce como uma folha em branco e a sociedade trata de nos moldar e formar. Primeiramente, a nossa família imediata, depois, a escola e os amigos, e por fim, a restante sociedade. Daí, pensarmos nas nossas origens e quão diferentes poderíamos ser, se tivéssemos nascido no seio de outra família. John Locke defendia a ideia de que a mente nascia como uma folha em branco, e ia sendo moldada consoante as experiências vividas pela pessoa. Jean Jacques Rousseau idealizou que o ser humano nascia puro, mas era corrompido pela sociedade.

Podíamos ter vidas completamente diferentes, no entanto, a nossa personalidade pode ou não ser afetada?

A ciência diz que apesar de ser a sociedade que nos forma, os nossos genes também afetam a pessoa em que nos tornamos ao longo dos anos.

Não me batam os entendidos, pois sei que o que vou dizer não é assim tão linear, mas é uma boa forma de me fazer entender. Imaginemos duas crianças, uma vem com o gene para se tornar um psicopata, no entanto, a educação que recebe e o ambiente em que cresceu faz com que tal nunca venha a acontecer. Contudo, a segunda criança, que vem sem qualquer gene que indique se venha a desenvolver um psicopata, pode, por razões de mau ambiente ou violência, por exemplo, crescer e vir a tornar-se num homicida psicopata.

Pessoalmente, sempre tive um problema. Falo demais. Desde miúda que ouvia “ganhavas mais em estar calada”, e é uma frase que me irrita profundamente. Honestamente, qual é o mal de ter uma opinião minha, e vocaliza-la?! Resposta: O mal é que ninguém gosta de ouvir verdades. A verdade nem sempre é agradável. E onde é que isto me afligia especialmente, quando via as pessoas que não falavam logo (como eu), mas se continham e falavam depois, pelas costas, dizendo coisas muito piores que eu.  No entanto, como são pessoas muito mais caladas e reservadas, mesmo pela sua natureza, ficavam muito melhor na “fotografia”.

Resumindo, se fosse uma corrida, seriam os nossos genes um peso extra? Somos levados a acreditar que somos uma folha branco ao nascer, no entanto, parece-me que a folha já trás alguns traços do que viremos a ser.

Para mim, felizmente não. Pois aprendi, com a educação que me foi dada, a contornar esta e outras lacunas. Como esperado com o nosso crescimento, enquanto seres humanos. No entanto, nem todos têm a mesma sorte.

Os nossos genes são o que nos foi dado. Só nos resta fazer o melhor uso possível dos mesmos.

Filomena Pires

De Faro e nascida no belo ano de 1992. Sou Licenciada em Ciências da Comunicação mas neste momento estou a formar-me numa especialização técnica em aplicações informáticas de gestão. Vamos lá a ver no que isto dá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.
%d bloggers like this: