+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Fifty Shades of Grey por Ela

Baseado no mundo obscuro do sexo, o sucesso literário, “50 Sombras de Grey”, chegou aos cinemas, após uma longa espera por parte dos muitos fãs. E.L. James, a escritora criou uma história sem tabus, onde o amor convencional é inexistente. O livro pode ter sido um best-seller, mas o filme não encantou.

Não li o livro e devo ser das poucas a dizê-lo, mas vi o filme. Talvez tenho mesmo de o ler para perceber o grande mediatismo em volta do tema.“Mr. Grey will see you now” é com esta frase que tudo verdadeiramente começa. Anastacia Steele, finalista do curso Literatura Inglesa, entrevista o magnata Christian Grey. Com perguntas meio desajeitadas e uma timidez típica da situação, Ana começa a sentir-se atraída pelo jovem milionário. Afinal de contas ele tem tudo: charme, beleza e poder. O que se torna numa combinação irresistível. Até aqui nada de novo. Porém, são os gostos peculiares de Christian que tornam este romance fora do comum. A película foi um sucesso inegável de bilheteiras e todos queriam ver no grande ecrã o erotismo representado nas páginas escritas por E.L.James. Contudo, após a visualização do filme, a desilusão foi imensa. 50 Sombras de Grey é acima de tudo uma história de amor, abordado apenas por uma pornografia muito soft. Nas cenas de sexo, faltava mais ousadia e sensualidade. Esperava-se mais. Sam Taylor-Johnson esforçou-se na realização das cenas íntimas entre o casal. Uma boa filmagem, esteticamente idealizada com coreografias bem sincronizadas e uma banda sonora a acompanhar toda a luxúria.

CP_50sombrasgreyporela
Será amor, ou exagero?

Quanto ao diálogo, este é pouco elaborado. Talvez para se igualar aos textos originais do livro. Tal factor contribuiu para o medíocre desenvolvimento das personagens e não estou a falar apenas das principais. Falta acção e drama. Todo o filme estende-se sobre a indecisão. Anastacia quer um namorado “normal”, mas também gosta de toda aquela adrenalina e as emoções na descoberta da sexualidade. Já Christian diz que não é dado a romances, mas quebra as suas regras. O sadomasoquismo é o tema principal, mas nem sequer é referenciado. O filme apenas se preocupa com a aceitação, ou negação do contrato de submissão.

A integridade da mulher é posta em causa neste parâmetro. Onde apenas demonstra como Grey (na minha opinião, é um homem cheio de problemas) utiliza o seu charme como dominador da relação. Facto inegável é que 50 Sombras de Grey entrou na cultura pop e veio abrir um novo mundo de descoberta da sexualidade feminina. Talvez vá daí o seu sucesso. Vários itens utilizados no filme como algemas, as típicas gravatas cinzentas utilizadas pelo protagonista e ainda os chicotes têm esgotado completamente nas lojas. Existe mais liberdade e curiosidade sexual, a vergonha já foi posta de parte.

No final, não convence. Tudo o que tinha para ser o filme mais quente do ano, apenas foi morno, aos olhos de quem assistiu. Não apresenta nada de novo. Claramente, este é apenas um filme para fãs do livro. Contudo, parece-me apenas mais uma estratégia para rechear ainda mais as contas milionárias de E.L.James, pois os filmes não vão acabar por aqui.

[slavia_review]

Share this article
Shareable URL
Prev Post

A Grécia Antiga e os mestres pensadores*

Next Post

Inimigo nº1: Ego

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

ABBA

ABBA GOLD foi o primeiro álbum que tive na vida. No final da década de 80, início de 90, o meu pai saía muitas…

A fotografia

Hoje tirar uma fotografia está ao alcance de qualquer um. Os telemóveis dispõem de aplicações que as conseguem…