fbpx
EuropaMundoPolíticaPortugal

Bisnagas e canalhada

Se há ilação que a vida me ensinou é que o passado é para se recordar (não viver). E é para se recordar, porque é com este que aprendemos com os erros e disparates que fazemos. Tal forma de estar aplica-se tanto a pessoas, empresas e países. Agora se as citadas personagens resolvem fazer de conta que o passado não existe e “embarcam”, porque dá jeito e é bem mais fácil ouvir o que queremos para não “massacramos” a massa cinzenta, e voltam a repetir os disparates que fizeram antes, das duas, uma: ou são estúpidos por natureza ou acham-se de tal forma seres acima da média que não aceitam lições de ninguém (mesmo deles próprios).

Isto tudo para aqui dizer que o ano de 2020 não é para se esquecer como muitos dizem e tomam como ponto assente. É, isto sim, para se recordar ou, pelo menos, deveria ser. Só que ninguém se quer dar a este trabalho, dado que a balbúrdia e o planeamento em cima do joelho continuam a ser ponto assente do executivo de Costa e quem bate palmas é a COVID-19 e a nossa Comunicação Social que já percebeu, na sua globalidade, que o que vende é o pânico generalizado e não a informação/crítica construtiva.

O mesmo tipo de lógica se aplica lá fora…

O país “mais democrático do mundo e arredores” viu o Capitólio invadido por uma espécie de “manada racista/xenófoba”, porque Donald Trump e “sus muchachos” se recusam a sair da Casa Branca sem antes “partir aquilo tudo”.

Na nossa Europa (será mesmo nossa?), lá se conseguiu à pressa um acordo para o famoso Brexit. Iniciou-se uma feia e suja guerra comercial, tendo sido a “inocente Europa” a atirar a primeira pedra e sobre a mais do que provável saída da Escócia do Reino Unido e adesão à União Europeia nem uma palavra, quando antes era o “aqui D´el Rei nosso senhor” que isto de um estado dentro de outro estado querer ser independente ia arrasar tudo e mais alguma coisa, estilo a pandemia que estamos todos a gramar.

E que dizer da famosa “bazuca europeia”?

A tão propalada solução para a crise económica e financeira que a pandemia da COVID-19 provocou por esta Europa fora (me engana que eu gosto, ou não tivessem sido os cortes europeus à cega em nome sabe-se lá do quê a provocar tal coisa)? A dita cuja que até “obrigou” a super-defensora da democracia e do principio da separação de poderes que dá pelo nome de União Europeia a negociar e a aceitar sabe lá bem o quê de países homofóbicos e xenófobos que dão pelo nome de Polónia e Hungria (e outros que ainda se juntarão ao festim mais cedo ou mais tarde) para que a tal “bazuca” permaneça – ainda! – num paiol qualquer em sítio desconhecido?

Houve quem apelidasse 2021 do ano da Esperança. Bastou para tal meia dúzia de lotes de uma vacina meio que experimental que, quando aplicada em Portugal, rapidamente se reduziu ao mínimo de doses (e só não acabou, porque não terá calhado) fruto de uma “explosão” de interessados na sua toma, porque nos hospitais toda a gente lida com os doentes COVID… Basta para tal usar uma bata branca e andar de estetoscópio ao pescoço ou então basta um deles ou, então, ser director de uma ala hospitalar qualquer mesmo que ninguém jamais o/a tenha visto(a) mais gordo(a) ou magro(a).

Em suma, entre bisnagas e canalhada, lá temos nós de ir vivendo a nossa vida. Enquanto houver pão e capacidade para o comprar, o Povo lá seguirá o seu caminho e irá bater sempre palmas à peixeirada televisiva que alguém ousou apelidar de “debates presidenciais” ou não estivéssemos nós em tempo de telenovela, pois há que escolher aquele ou aquela que irá utilizar com toda a sua sabedoria e eloquência o OMO para que a roupa suja fique bem branquinha. Quando tal não suceder, é fácil! A culpa é do Povo irresponsável que não cumpre os acordos e contratos de confiança.

Pedro Silva

"É preciso provocar sistematicamente confusão. Isso promove a criatividade. Tudo aquilo que é contraditório gera vida." (Salvador Dalí) Crítico, opinativo e com mente aberta. É isto que caracteriza um Cronista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
%d bloggers like this:

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.