+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Bandas Tributo

As bandas de tributo a outras bandas designadas de “bandas de culto”, ficam no limbo obscuro da história da música. O que é uma injustiça!

Não são o original, é verdade! E nem pretendem ser. O intuito não é substituírem os originais, mas, sim, dar continuidade ao seu legado musical. Muitas destas bandas fazem música com grande qualidade quer em termos instrumentais quer vocalmente. Para quem não teve oportunidade de ver ao vivo uma banda que goste, esta é uma excelente alternativa.

Confesso que nunca me tinha apercebido do potencial que têm até ter visto os “THE FLY” – banda tributo aos U2 em Oeiras. Fui vê-los, mas ia cheia de ideias pré-concebidas a achar que iria assistir a uma espécie de karaoke manhoso! Os U2 são uma banda com uma presença e marca forte de que gosto muito e já assisti a vários concertos, daí a minha “cautela” em relação a este tipo de bandas. E qual não foi o meu espanto quando percebi que são incríveis! Não só tocam bem como têm uma presença em palco que quase supera a música. A prova disso é que voltei repetidas vezes para revê-los e ouvi-los!

Depois temos os Hybrid Theory – The Linkin Park Tribute, este sim um caso ímpar de sucesso com o Altice Arena a meio! Como se costuma dizer “já não estão a nadar na piscina dos pequeninos”, já fazem espetáculos em salas de grande dimensão, porque são muito bons e porque temos em Portugal uma legião de fãs dos Linkin Park que não perdoariam o deslize!

22Estas bandas são portuguesas a dar cartas internacionalmente como bandas tributo certificadas! Sim, porque tanto as bandas como os fãs são muito exigentes! Se é para se fazer, tem de ser em bom e com o aval de todos.

Em junho vou-me estrear a assistir a uma banda britânica de tributo aos The Doors os “The Doors Alive” que se intitulam: The no 1 tribute to The Doors (estão a ver o meu grau de expectativa?). Pelo que tenho assistido, são capazes de ter razão. Mas lá estarei eu, a ir para Almada numa sexta-feira em junho… com filas a perder de vista, só para ouvir ao vivo música que tanto adoro!

É por isso que as bandas tributo são importantes, fazem-nos viajar no tempo e reconfortam a alma, coisas que só a música consegue.

Darei notícias…

Podem pesquisar mais:

https://www.facebook.com/TheFlyTributoU2/?locale=pt_PT

https://www.facebook.com/HYBRIDTHEORYPT/

https://www.instagram.com/thedoorsalive/

Foto de Akshay Chauhan na Unsplash

Share this article
Shareable URL
Prev Post

Amizades intra-género

Next Post

Bikram, Yôgi, Guru… predador

Comments 5
  1. Fazer tributo a bandas épicas e inimitáveis, como os the Doors, é por si só, ter de garantir o satisfazer de expectativas que só podem ser altas. Confesso que não conhecia esta banda tributo, mas em 2002 assisti aquele que foi o melhor concerto da minha vida, da banda tributo “ The Doors 21st century “ ainda com Ray Manzarek e Robby Krieger, com Ian Astbury dos The cult, como vocalista. Isto aconteceu no pavilhão atlântico, hoje conhecido como altice arena. Tenho ainda na memória o início arrepiante do concerto, onde na frente do palco desceu uma tela gigantesca, com o retrato de Jim Morisson, ao som de “Carmina Burana”.

    1. Sim! Também lá estive… como mais tarde estive no Coliseu. É essa a memória que guardo: “Carmina Burana” e a imagem do Jim Morrison, acho que só não chorei porque estava demasiado eletrizada pela experiência! Mas foi absolutamente incrível! Um sonho quase tornado realidade…

  2. Sério!? Fico feliz por, num espaço de partilha de opinião e pensamento, saber que alguém outrora, viveu emoções iguais ou parecidas às que vivi! Tou mesmo contente!!
    Obrigado

  3. Boas…
    Das centenas de concertos que já tenho nas pernas, esse está no meu top 10!
    O Ian foi soberbo!
    O cheiro a erva…
    O mandarem a produtora se Fud34 e tocarem mais 20 minutos de luzes acesas!
    E a semelhança… PQP!
    Abraços

  4. Para repor a verdade e corrigir o meu imperdoável lapso, esse épico concerto aconteceu no dia 06 de dezembro de 2003 ( quase 20 anos depois do não tão épico meu nascimento, e há quase 20 anos atrás).
    Reposta a verdade e para suavizar o meu lapso, deixo aqui a setlist ordenada desse concerto.

    Roadhouse Blues
    (The Doors cover)

    Break On Through (to the Other Side)
    (The Doors cover)

    When the Music’s Over
    (The Doors cover)

    Love Me Two Times
    (The Doors cover)

    Alabama Song (Whisky Bar)
    (Kurt Weill cover)

    Back Door Man
    (Willie Dixon cover)

    Five to One
    (The Doors cover)

    Spanish Caravan
    (The Doors cover)

    The Changeling
    (The Doors cover)

    Love Her Madly
    (The Doors cover)

    Been Down So Long
    (The Doors cover)

    Cars Hiss by My Window
    (The Doors cover)

    L’America
    (The Doors cover)

    Riders on the Storm
    (The Doors cover)

    Hyacinth House
    (The Doors cover)

    The WASP (Texas Radio and the Big Beat)
    (The Doors cover)

    Not to Touch the Earth
    (The Doors cover)

    L.A. Woman
    (The Doors cover)

    Encore:
    Wild Child
    (The Doors cover)

    Light My Fire
    (The Doors cover)

    Encore 2:
    Soul Kitchen
    (The Doors cover)

    Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

Uma Separação

Uma Separação é do tempo-fronteira entre a época em que abusávamos do torrent para sacar filmes, séries e música…