+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Aprender a pensar

Ultimamente tenho evitado comentar publicações no Facebook, quer sejam de amigos quer sejam notícias. Todos nós temos noção que a forma e os conteúdos dos comentários nas redes sociais, deixam muito a desejar. No entanto, não faço parte do grupo de pessoas que consideram que tudo o que é publicado ou divulgado nas redes sociais é lixo! É preciso saber fazer a triagem das coisas que o algoritmo empurra para a frente dos nossos olhos.

O que ainda me espanta neste espaço é precisamente a falta de debate que existe! É certo que temos o direito de expressar a nossa opinião, dentro dos limites do respeito pelo outro, é claro! O facto de outra pessoa não concordar com o nosso ponto de vista, não lhe dá o direito de nos enxovalhar mas infelizmente é muito isso que acontece. Discordar argumentando e debatendo ideias é saudável e desejável mas é também uma prática que pouco se exercita em Portugal. O problema começa logo na base – em casa e na escola.

Em casa os pais “mais antigos” (e alguns das novas gerações também) assumiam-se como a verdade vigente, pelo menos no espaço do lar o que não permitia qualquer contestação ou questionamento. Na escola, muitas vezes os professores só querem que os alunos decorem a matéria em vez de pensarem sobre ela! Não existem temas que possam ficar de fora de reflexão, todos são passiveis de serem discutidos. Como é que vamos compreender alguma coisa se não questionarmos alguns porquês?

Dei por mim a pensar nisto tudo, porque comentei outro dia um artigo/notícia no Facebook sobre a posição assumida pela Pipoca (comentadora do BB – confesso que vejo aos Domingos) e expressei a minha concordância. É incrível como os comentários que se seguiram foram de ataque a mim, à Pipoca e todas as pessoas que concordam com aquele ponto de vista. As pessoas andam amarguradas com vida, o covid, a incerteza e sei lá mais o quê mas isso não lhes dá o direito de distratarem quem quer que seja. Sente-se a raiva em cada letrinha escrita!

Recordo uma formação que tive no inicio da minha vida profissional em que formador nos disse, que os espaços de comentários nos jornais americanos e outras plataformas são utilizados para a melhoria na vida em sociedade e nas comunidades. Eles valorizam o que se escreve e a partilha, por saberem isso as pessoas fazem questão de deixar a sua opinião e existe debate ideias nestas plataformas. Nem tudo será assim, cor de rosa de certeza, outras pessoas terão a mesma postura das pessoas nas redes sociais que é ofender, mal dizer e destilar raiva por se saberem protegidos pela distância que um ecrã de telemóvel ou pc proporcionam.

A utilização das redes sociais e das áreas de comentários que são colocadas ao nosso dispor, põem a descoberto a falta de comportamento cívico que existe. Em vez de se usarem para debater questões que importam e que podem fazer a diferença, discute-se o tamanho da saia ou do decote e aproveita-se para ofender A ou B seja porque motivo for.

É urgente ensinarmos as pessoas a pensar de forma construtiva, logo de tenra idade! Ter a capacidade de pensar e reflectir sobre as situações do passado, presente e futuro. Só assim conseguimos progredir em sociedade. A partilhar e debater aprendemos mais sobre nós próprios e sobre os outros, dá-nos capacidade critica para não aceitarmos os factos como verdades absolutas.

Photo by Felicia Buitenwerf on Unsplash
Share this article
Shareable URL
Prev Post

Aïda Muluneh

Next Post

À procura de uma vida, meio propósito, copo de sonho e um amor cheio!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

Números e mais números

Certa vez, li uma frase enquanto fazia refresh no feed do Facebook que traduzida para português dizia algo como:…

A ditadura da juventude

O ser humano foi o último animal a povoar este planeta, mas rapidamente lhe tomou as rédeas e o tentou dominar.…