+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

À deriva.

Sem dúvida que a notícia que marca este natal é a morte de um jovem, devido à ineficácia dos serviços de saúde que não conseguiram fornecer-lhe os meios humanos a que os cidadãos tem direito. E não se desculpe a situação com os cortes orçamentais. No Norte do país, tal cenário teria sido realidade. Este absurdo, que não se justifica por se tratar de um hospital público, nem pelos cortes orçamentais, na minha opinião, é fruto de uma má gestão dos recursos. Tenho apenas pena que estas infelizes histórias não sucedam com os familiares de alguns governantes. Decerto haveria processos e julgamentos céleres e não um encolher de ombros e a repetição das políticas de “casa roubada, trancas na porta”.

Não queremos andar à deriva. Não queremos demissões. Queremos um rumo. Queremos consequências para quem tem responsabilidades e falhou. E neste caso alguém ou muita gente falhou.

5_2

Share this article
Shareable URL
Prev Post

Um animal especial e um amigo diferente

Next Post

O Bom, o Mau e o Vilão de 2015

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Read next

Alcoolémia

A música portuguesa está de boa saúde e recomenda-se! No sábado à noite, dia 24 de Fevereiro, voltei ao tempo em…

Love Story

What can you say about a twenty-five-year-old girl who died? That she was beautiful and brilliant. That she…