Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CulturaMúsica

Uma volta pelo panorama “underground” do Metal Nacional

Bandas de Originais

Faz umas valentes décadas que ouvi pela primeira vez uma banda de heavy metal que me foi sugerida por um amigo. Desde essa altura que sou uma grande fã e cresci um pouco com grandes bandas e músicas do espetro do metal. Por causa de algumas vicissitudes da vida afastei-me um pouco deste panorama e mantive-me um tanto ou quanto à margem de novos lançamentos e criação de novas bandas, tanto lá fora como cá em Portugal. Mas não, não deixei o metal de lado. Lá ia dando um olho, mas a maior parte iludia-me. Continuava sim a ouvir as minhas bandas de sempre.

Faz agora alguns meses que retornei a este mundo e conheci algumas boas pessoas que me recolocaram em contato com esta realidade. Como tal, fui (tipo mosca) conhecer e ouvir algumas bandas e atender a alguns concertos e eventos relacionados com o metal nacional. O que tenho para vos dizer é que o metal nacional está vivo e recomenda-se. Tenho visto e sentido todo este ambiente escuro e ao mesmo tempo brilhante que é esta família “underground“e grande de bandas e público e de boa música e muita, muita cerveja.

Verifico com alegria que há excelentes bandas a produzir metal nacional com originalidade e com muita força em palco, mais referidas como “bandas de originais”. Haverá também bandas de tributo e dessas irei falar num outro artigo. Nas bandas de originais tenho visto de tudo um pouco, Punk, Trash, Gothic Metal e até Groove Metal. Todas elas produzem material original e esperam vir a atingir o máximo possível de público.

Como tinha algum receio de recomeçar novamente a ir a concertos de metal fui convidada para assistir a um concerto de uma banda de punk com músicas originais de um grande amigo que por acaso é baterista da banda. Estava introduzido o mote, uma boa malha, um ambiente espetacular e uma noite bem passada. Essa banda era a banda SIStema. Foi uma grande noite que me relançou neste corro pio de bandas e locais. E até fui vê-los mais vezes e certamente irei a mais concertos.

Crédito da foto – Ruben Santos Photography

Uns tempos depois visitei o Silveira Rock Fest, em Setembro, no que foi a sua 6ª edição. Fui presenteada com a atuação de 5 bandas nacionais todas elas com excelentes canções e a comportarem-se ao nível de muitas bandas grandes que por aí andam. O ambiente era maravilhoso desde as pessoas, ao local, às bebidas e à comida. Uma sala escura, mas com uma massa de calor humano que agradava imenso. O mérito vai todo para os músicos que lá estiveram. Existem certamente algumas arestas a limar neste evento, mas certamente que para o ano eles irão melhorar ainda o local.

Não posso deixar de referenciar as bandas que tocaram por ordem de atuação: All Against, Inner Blast, Prayer of Sanity, Dollar Llama e os The Temple. Posso dizer que fiquei extremamente fã dos All Against e dos Inner Blast. Para mim têm um excelente caminho em frente e em breve saltarão para palcos maiores.

Crédito da foto Ruben Santos Photograpraphy

Crédito da foto Ruben Santos Photography

Crédito da foto Ruben Santos Photograpraphy

Crédito da foto Ruben Santos Photograpraphy

    Finalmente chego ao que para mim foi o evento do ano que foi o “Back to Skull” organizado pela SFTD Radio e os Xxxapada na Tromba. Foi no clube RCA e o cartaz foi considerado de fazer tremer as paredes. Tive a agradável surpresa de rever a banda All Against que abriu as hostilidades com a apresentação do mais recente EP – Feed The Machine.

    Logo seguidos pelos não menos diabólicos com um pouco de melódicos à mistura os Diabolical Mental State. Mas a surpresa da noite estava reservada para a seguinte banda em palco: os Hochiminh. Com uma presença em palco eletrizante e com uma energia imensa a banda é tão explosiva que até teve direito ao que chamamos de “crowdsurfing” (andar no ar pelas mãos do pessoal) e “stage dive” (subir ao palco e atirar-se para o público). É uma banda que certamente irá longe. Para fechar a noite trouxeram os peso-pesado Equaleft. Não me posso pronunciar muito porque por essa altura tive que encerrar a noite e não pude assistir.

    Foi certamente uma forma de arrancar a temporada nova de concertos que terminará só lá mais para o segundo trimestre de 2019 e eu irei a todos os que puder e ir vibrar com esta malta que nos dá estes espetáculos e boas malhas. Por isso, saudações metaleiras aí ao pessoal!

    Tags
    Show More

    Sabena Costa

    Estou sempre em busca de mais conhecimento. Aprecio boa música e bom cinema, especialmente Terror e SciFi. Devoradora de livros e de banda desenhada. Amante de astronomia e tudo relacionado com gadgets. Paixão pelas 2 rodas. Uma tagarela de primeira... Adoro estar numa mesa rodeada de malta fixe, com muita tertúlia, cervejinha e bons petiscos. Sou boa moça, venham beber um cafézinho comigo que eu prometo que não mordo ;)

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    Adblock Detected

    Please consider supporting us by disabling your ad blocker
    %d bloggers like this: