Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CulturaMúsica

The Pink Star

A Pink é uma força da natureza.

Não só pela personalidade, mas também pelo que canta e pelo seu timbre de voz, tão dela.

A força é o que transmite em cada música e em cada atuação. Lembro-me da primeira vez que vi um vídeo dela no VH1 e pensar: “UAU! Que poderosa!

É uma mulher fora de convenções, rebelde, inconformada, original e única. A música Pop Rock da Pink é dela e de mais ninguém, não se confunde com mais nada, não se associa a outras pessoas ou atuações. É o toque de singularidade que torna a Pink única no panorama musical.

As questões do corpo que recaem, maioritariamente sobre as mulheres, caíram também sobre a Pink: demasiado masculina e com peso a mais, criticaram os mais conversadores ou invejosos – digo eu. Até nisso é única, se olharmos bem para a fisionomia da Pink, percebemos isso claramente. É robusta, forte, musculada com um corpo bonito, percebe-se que tem cuidado com ele, apesar de não ser esquelética. O cabelo curto, rosa ou louro platinado, meio maria rapaz com “pêlo na venta” de quem não deixa ninguém sem resposta.

Passado toda e qualquer controvérsia que o estilo da Pink possa levantar, se nos concentrarmos só na música dela, podemos perceber que é uma mulher apaixonada, que se debate por temas polémicos, que não se importa de se expor, que canta com alma.

Maravilhoso é ouvi-la cantar. Se fosse pequena, acho que poderia dizer: Quando for grande, quero ser como a Pink!

E porque não?

Reparem como é de arrepiar o que ela canta.

Tags

Sofia Cortez

Licenciada em Comunicação Empresarial pela Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa, mestre em Publicidade e Marketing sobre o tema: “As bandas como marcas que constroem os novos mitos: o caso dos THE DOORS e uma pós-graduação em Marketing Management pelo ISEG. Autora do Blog e da página de Facebook: omeuserendipity e do livro: “Devemos voltar onde fomos felizes” de 2018 pela Editora Cordel D’Prata. Apaixonada por palavras, textos e livros e tudo o que faça a criatividade mexer e construir coisas novas! Imperfeita, desajeita, chata e cabeça dura.Profunda, taciturna e pensativa mas incapaz de fingir. Aquela que atende uma chamada a qualquer hora. Que tenta a todo o custo não deixar mensagens por responder. Silenciosa mas cheia de vida. Capaz de amar as pessoas mais improváveis e de chorar com as situações mais inusitadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: