LifestyleTelevisão

The Jinx: à descoberta de um monstro

Realizado por Andrew Jarecki (que em 2010 tinha já trabalhado a mesma história no filme All Good Things), The Jinx: The Life and Deaths of Robert Durst é uma obra singular pelo seu final quase único dentro do género. Mesmo que a grande maioria das características da mini-série sejam de grande qualidade, formando uma unidade coesa e consistente, é o seu final inigualável e irrepetível que transforma o documentário de Jarecki numa obra excepcional.

Colocando o seu foco em Robert Durst e no desaparecimento e morte de pessoas a si próximas, o relato dos eventos mais importantes no caso é quase que repreensível, estando cada episódio latamente delimitado por um assunto específico. A colaboração dos detectives responsáveis pelos casos reais (o desaparecimento da sua primeira mulher, o homicídio da sua melhor amiga e a morte de um vizinho), assim também como os testemunhos de familiares e amigos das vítimas, contribuem para um fácil entendimento dos factos por parte do espectador. Para além disto, as dramatizações dos acontecimentos têm uma admirável qualidade cinematográfica, distanciando-se largamente do mau gosto que por norma assombra as cenas homólogas na maioria dos documentários.

No entanto, The Jinx não consegue fugir na sua totalidade ao sensacionalismo a que estas histórias costumam conduzir. Tanto as dramatizações, como os testemunhos reais são enfatizados sem qualquer pudor, por vezes, mostrando alguma falta de moderação no papel a que uma obra do género se propõe a desenrolar. Para além disso, a maior falta de todo o documentário está na visão obtusa que é directamente passada para o espectador. Em nenhuma parte do documentário se coloca a hipótese de Robert Durst ser inocente dos crimes de que foi acusado ao longo da sua vida pela imprensa e opinião pública. Desde o primeiro episódio que Jarecki e a sua equipa dão Durst como culpado de todos os crimes de que é acusado. Mesmo que as razões para o fazerem fossem mais do que fundamentadas, é bem sabido que investigações enviesadas têm apenas um resultado possível.

Ao ver cada episódio de The Jinx é impossível não pensar no podcast Serial. Ainda que por base tenham pontos de partida semelhantes, tanto a investigação, como o resultado final de cada um são fracamente diferentes. Contrastando com o estilo de Jarecki, Sarah Koenig (apresentadora e criadora do referido podcast) mostra-se constantemente dividida entre a inocência e a culpa da pessoa que investiga. Enquanto Serial acaba numa nota algo insatisfatória, devido à falta de resultados concretos, The Jinx acaba por ser a prova irrefutável da culpa de Robert Durst, sendo a confissão involuntária do alegado homicida a última coisa que se ouve antes do último episódio acabar.

Tendo em conta todas as características referidas sobre o documentário de investigação baseado na vida de Robert Durst, é necessário admitir que, mesmo com uma dramatização exagerada, The Jinx é uma obra rara na vida de um realizador, onde o acaso se alia a um bom trabalho cinematográfico para gerar um resultado singular.

Tags
Show More

André Ferreira

“Political junkie”, europeísta convicto e keynesiano por natureza. Ocupa todo o tempo que consegue com séries, filmes, música, livros, podcasts e qualquer outra fonte de entretenimento que consiga encontrar.

Licenciado em Línguas, Literaturas e Culturas pela FLUL-UL e pós-graduado em Ciências Políticas e Relações Internacionais pela FCSH-UNL.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: