Bem-EstarLifestyle

Quando o Medo Nos Impede de Agir

Todos temos receios e barreiras que julgamos serem inultrapassáveis. Baseamo-nos em experiências passadas e criamos as nossas próprias limitações. Ainda que digam que aquilo com que sempre sonhamos está do outro lado do medo, daí até termos a coragem necessária para agir parece ir uma grande distância.

Muitas vezes quando estamos perto de algo que nos assusta, algo a que não estamos habituados, sentimos uma forte tendência a recuar. Em relação a medos físicos e psicológicos, medo de coisas ou situações. Recuar para um lugar seguro e confortável parece a solução mais lógica.

Contudo, o que acaba por acontecer é que nos deixamos definir pelo medo, somos o medo em toda a sua forma e não nos dissociamos dele. Assim, ao identificá-lo e enfrentá-lo estaremos, efetivamente, a provar o contrário do que sempre pensamos, a retirar limites e barreiras ao território que consideramos ser a “zona de segurança”.

Mas, afinal, qual é a importância de ultrapassar medos, se isso parece retirar-nos do ambiente que é tão reconfortante?

Fazer o que julgávamos impossivel é o que nos motiva para continuar, para ultrapassar barreiras interiores e aproveitar ao máximo todo o nosso potencial. Dá-nos poder, confiança e capacidade para fazer muito mais e não deixarmos que as nossas capacidades sejam subaproveitadas. No final, esta confiança e experiência deixam-nos sonhar mais alto, permitindo-nos atingir os nossos objetivos mais ambiciosos e sonhos mais inacreditáveis e arrojados.

Os finais maravilhosos existem sim, por muito que haja momentos em que nada parece correr bem, fazer sentido, ou valer a pena lutar. Mas são as pequenas coisas, as pequenas mudanças, os pequenos objetivos atingidos, os pequenos medos ultrapassados que nos ajudam a construir a capacidade, a fé e, acima de tudo, a confiança para largarmos o que não interessa e para agarrarmos com todas as nossas forças as oportunidades mais incríveis para irmos além das nossas limitações.

Nem sempre ultrapassar medos é algo que nos motiva. Nem sempre tudo corre bem. Às vezes só depois de muitas tentativas e desilusões. E parece tão assustador na nossa cabeça, que pensamos incessantemente em desistir, que tentamos arranjar todas as desculpas paa sairmos daquilo que parece, por vezes, absurdo e irrealista. Mas é a ação contínua que nos permite ir mais longe e deformar todos os moldes em que nos encaixávamos antes. Porque as limitações não passam de sinais do caminho que devemos seguir para nos tornarmos quem sempre quisemos.

Tags
Show More

Beatriz Guerra

Apaixonada por escrever, ler e viajar. Adoro ouvir histórias de vida e histórias de sucesso. Interesso-me, igualmente, por temas como: bem-estar e estilos de vida, desenvolvimento pessoal, viagens, cultura, idiomas e sociedade.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: