Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CiênciasCiências e Tecnologia

Porque odiamos?

Desde que começamos a crescer somos alertados pelos nossos pais para a palavra “ódio”. Dizem-nos que é algo muito mau, que nos prejudica enquanto seres humanos e que não devemos deixar que nos domine. Mas o que é, na realidade, o ódio? Porque é que odiamos?

A verdade é que nem sempre nos referimos corretamente ao ódio. Nós dizemos “odeio esta comida” ou “odeio ir para a escola” quando simplesmente deveríamos dizer “não gosto”. Mas fazemo-lo porque sempre nos foi incutido que o ódio é o pior sentimento que existe e nós usamo-lo sempre que queremos descrever algo pelo qual não nutrimos qualquer tipo de sentimento bom. Talvez esse seja um dos motivos para odiarmos: o facto de não provocar em nós qualquer sentimento positivo. Assim sendo, é mais fácil odiar peixe, legumes, sopa, estudar e correr se estes não nos provocam qualquer tipo de bem-estar. É por isto que odiamos tanta coisa ao longo da nossa vida.

Desta forma, em certas alturas da nossa vida, damos por nós a dizer que odiamos aqueles que um dia foram nossos amigos. Talvez isto aconteça porque essas pessoas que um dia nos fizeram feliz já não estão mais ali. Desiludiram-nos e a dor dentro de nós é tanta que o simples facto de odiar nos alivia um bocadinho por dentro. Penso que é esse o grande escape de cada um de nós. Sobrepor um sentimento mau a um bom para nos protegermos e evitarmos que o sofrimento se prolongue. Afinal, se continuarmos a amar alguém que nos fez mal vamos continuar a chorar noites a fio mas se, em contrapartida, nos deixarmos dominar pelo ódio, vamos acabar por conseguir reunir forças para ultrapassar todas as fases más e para mostrar ao mundo que somos capazes.

Assim sendo, se o ódio é um sentimento bom? Não. Se eu acho que nos ajuda? Não. Mas a verdade é que ele existe e, na minha opinião, ele não é mais do que um meio de refúgio. Nós amamos inconscientemente, não o conseguimos controlar. Mas eu acredito que consigamos controlar o ódio e todos os sentimentos menos bons que se colam ao nosso íntimo. Basta querer ultrapassar barreiras com sorrisos ao invés de armas.

Tags

Cátia Barbosa

Dizem que sou sonhadora. Gosto de sonhar acordada mais do que quando estou a dormir. Prefiro o som às imagens e a natureza aos ecrãs. Acredito em magia, em sonhos que se realizam e em tudo aquilo que não se vê com os olhos. O amor move-me e foi ele que me levou às palavras. A licenciatura em Jornalismo e Comunicação tirou-me qualquer dúvida sobre aquilo que quero fazer na vida. E o amor pela rádio só veio aumentar essa certeza.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Check Also

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: