Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
PersonalidadesSociedade

O Flamego de Antonio Banderas

Se vos perguntassem para nomearem um actor masculino espanhol, provavelmente o primeiro nome que se lembraria seria Antonio Banderas. Com características típicas de um macho de raça latina, pele com tez morena, cabelos negros compridos, olhos densos castanhos e alguns pêlos no peito assim consigo descrever o actor. Facilmente reconhecido pela sua aparência e sotaque latino. Com 57 anos, mantém uma carreira sólida com a participação em cerca de 80 filmes, excluindo participações em animações e na televisão. Antonio Banderas é dos actores mais requisitados em Hollywood e as suas origens e talento são os principais motivos para a escolha nos filmes que participou.

Em 1960, num dia quente de Agosto nascia em Málaga, Jose Antonio Dominguez Banderas. Nas nossas terras vizinhas, em Espanha, ser actor não estava no primeiro lugar da escolha da sua carreira profissional. Em adolescente, sonhava ser jogador de futebol. Aos 14 anos, um infortúnio (ou talvez não, tudo acontece por uma razão), Antonio partiu um pé e os seus sonhos mudaram de rumo. Pela sua boa disposição e disponibilidade foi incentivado por um professor a seguir teatro. Concluiu o curso de representação na escola ARA e mais tarde seguiu para a faculdade de Artes Dramáticas, tudo isto na sua terra natal, em Málaga. O seu trabalho no teatro, em animação de ruas, conduziu-o ao seu palco final, o Teatro Nacional de Espanha.

Em 1982 e com 22 anos, o jovem Banderas trabalhava em empregos part-time para conseguir algum dinheiro extra e sobreviver na capital. A vida de actor era inconstante e insegura, além disso foi “apanhado” no movimento cultural intitulado de La Movida Madrileña, que marcou a era moderna de EspanhaEm época pós-ditadura de Franco, este movimento criado pelos jovens, apresentava a liberdade de expressão, transgressão dos tabus impostos pelo governo de Franco e o interesse constante pelas culturas alternativas. Um dos principais nomes que se destaca da La Movida é Pedro Almodóvar. Portugal tinha Manoel de Oliveira e Espanha tem Pedro Almodóvar. O realizador espanhol conheceu o jovem Banderas nessa época. Destacou-se pelo seu carisma e capacidade para o entretenimento. Nesse mesmo ano, trabalharam juntos no filme “Laberinto de Passiones“. Não se ficaram por aqui. Passados cinco anos, Banderas voltou a participar num filme de Almodóvar, “A Lei do desejo”, um novo marco na carreira do actor, quando deu o primeiro beijo homossexual na televisão.

A carreira do actor ainda não tinha sido lançada, só no seu país era reconhecido. Ainda sobre o ano de 1986. Casou com Ana Lez, dez anos depois estavam divorciados. O motivo foi uma loira de lábios vermelhos e corpo voluptuoso, com quem começou um relacionamento em 1995. Contudo, isto são histórias mais para a frente, antes disso, Antonio Banderas foi apresentado a outra reconhecida loira.

A diva da pop, Madonna, conheceu Antonio Banderas através de Almodóvar, que organizou um jantar comemorativo em Madrid. A cantora suspirou logo de amores pelo actor latino e, parecendo que não, foi ela que o levou para Hollywood. Só que, antes disso, ele deu-lhe uma tampa. Em 2011, revelou à revista “Harper’s Bazaar” que “para o bem e para o mal, não queria ser o boy de Madonna“. No entanto, por mais incrível que pareça, deve a sua ascensão na carreira à cantora. Em 1991, numa reportagem sobre a sua vida (“Na cama com Madonna“), afirmou a sua admiração por Banderas: “Estava louca por ele“, confessa.

Antonio Banderas na série “Genius” (2018) da National Geographic onde interpreta o conhecido pintor Pablo Picasso.

Quando chegou aos Estados Unidos da América, matriculou-se imediatamente numa escola para aprender a língua. Só conhecia quatro frases em inglês e isso dificultava-lhe as audições, mesmo com a cunha de Madonna. Aliás, esse sempre foi das suas maiores barreiras no cinema, mas, talvez por isso, consegue um sotaque cativante. Apesar da existência do problema da fonética, conseguiu participar no filme “A Casa dos Espíritos” (1993) ao lado de Meryl Streep e Jeremy Irons. No mesmo ano, era o parceiro homossexual de Tom Hanks no filme nomeado aos Óscares “Filadélfia“, onde se focava num dos temas mais actuais que assombraram o início dos anos 90, a SIDA. Em 1995, conseguiu o seu primeiro papel como protagonista com “Desesperado“, contracenando ao lado da mexicana Salma Hayek. Voltaram a partilhar o ecrã com “Frida“. Mais filmes de sucesso se seguiram, como “Spy Kids, “Mascara de Zorro“, “Pecado Original” e “Evita“, ao lado de Madonna. Em 2001, participou num dos filmes de animação com mais sucesso, “Shrek“, onde deu a voz ao gato com os olhos mais fofos, “O Gato das Botas“, que mereceu um filme próprio em 2011.

Mas voltando ao ano de 1995. Como anteriormente comentei, o actor apaixonou-se pela sua colega de trabalho Melanie Griffith, com quem esteve casado 19 anos e com quem tem uma filha em comum. Até ao momento Banderas vivia a sua vida privada longe dos holofotes da fama, mas com a conturbada Melanie, não conseguia esse sossego.

Em 2011, voltava a trabalhar com Almodóvar em espanhol para o filme “A Pele Onde Eu Vivo“. Considerado como dos melhores desempenhos do actor. Os dois já não trabalhavam juntos desde 1990, antes da sua carreira ser lançada internacionalmente. A vida como actor tem sido intensa, talvez por isso conquistou alguns problemas de saúde. Depois de uma operação às costas, para retirar um tumor benigno, no início de 2017 foi hospitalizado devido a um ataque cardíaco. A recomendação médica era repousar. A  sua vida atribulada devia ter sido levada com mais calma, pois, para além de vários filmes que faz por ano, Antonio Banderas lançou a sua própria marca de perfumes e comprou uma grande vinha em Espanha. Negócios além da indústria cinematográfica.

Antonio Banderas conseguiu construir a sua carreira sólida com muito esforço e empenho. Considerado dos actores com origens latinas mais requisitados para filmes, participa em vários por ano. Actualmente pode ser visto a interpretar Pablo Picasso na série “Genius” produzida pela National Geographic.

Tags
Show More

Célia Paula

Licenciada em Ciências da Comunicação, adoro escrever e ler. Sou lontra de sofá, amante de filmes e séries de televisão, vejo tudo o que que posso. Aprendiz de geek, vivo num mundo de fantasia. Adoro a vida, e ainda há tanto para descobrir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: