Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Bem-EstarLifestyle

Não Levar as Coisas Tão a Sério

São frequentes as vezes em que só quando já estamos num estado de stress autêntico que nos apercebemos de como provavelmente estamos a exagerar na forma como avaliamos a gravidade de uma situação. E só nesse momento começamos a tentar compreender como chegamos até ali, quais foram os pensamentos que o desencadearam e como reagimos tão automaticamente ao que se passou. É certo que há alturas em que a situação é grave, mas grande parte das vezes a maior preocupação é gerada pela forma como reagimos.

Preocupamo-nos com o que não conseguimos controlar: o trânsito, as atitudes dos outros, o tempo e até aquilo que hipoteticamente nos acontecerá. Planeamos a nossa vida em torno disso e julgamos que quanto mais prevenidos, mais preparados estaremos.

Estar preparado, planear e analisar vários possíveis resultados pode ajudar-nos a ultrapassar problemas e a conseguir atingir objetivos. No entanto, quando esta atitude envolve uma situação de stress permanente, valerá a pena?

Valerá a pena preocuparmo-nos com o que foge ao nosso controlo, com o que correu mal (e ficar a remoer no assunto), com a gravidade (relativa) de algo que parece o fim do mundo? Terá tudo isto importância dentro de um ano, um mês ou até uma semana? Valerá a pena vivermos a nossa vida em situação de preocupação constante com tudo o que nos rodeia, com todos os pormenores que deixamos escapar, com tudo o que de mal está a acontecer ou poderá acontecer?

Às vezes deixamo-nos levar pelas preocupações, complicamos tudo, tentamos interpretar significados escondidos, focamos a nossa atenção em  detalhes e mais detalhes para que tudo seja perfeito, que nos esquecemos que, por vezes, o melhor que podemos fazer é deixarmo-nos levar. Tentar arranjar algo para rir numa situação menos boa, e simplificarmos assim a nossa vida.

Nem tudo precisa de ser levado tão a sério. Às vezes esquecemo-nos que, enquanto nos preocupamos com pequenos pormenores inúteis, pequenas preocupações sem importância, a nossa vida passa-nos à frente e nem temos tempo para a aproveitar realmente.

Tentar levar a vida num tom menos sério pode ser, muitas vezes, a solução para os problemas. E se pensarmos que sim, isso é possível mas para quem não tem nada com que se preocupar, só fazemos mal à nossa saúde mental e a nós próprios. Ainda que em diferentes escalas, todos o podemos tentar implementar no nosso quotidiano: não levar as coisas de forma demasiado pessoal, aceitar aquilo que temos, rirmo-nos até de nós próprios.

Isto não significa que não nos devemos preocupar com nada, mas sim que devemos escolher melhor aquilo que vale a nossa preocupação. Simplificar e tornar tudo um pouco mais leve. Para que não deixemos que as preocupações definam a nossa vida, para não sermos tão perfecionistas, para relaxarmos, para nos rirmos mais vezes, para que não seja o medo de parecer ridículo que nos impeça de fazer algo divertido, para não pensarmos tanto e, acima de tudo, para aproveitamos cada momento de uma forma mais saudável.

Tags
Show More

Beatriz Guerra

Apaixonada por escrever, ler e viajar. Adoro ouvir histórias de vida e histórias de sucesso. Interesso-me, igualmente, por temas como: bem-estar e estilos de vida, desenvolvimento pessoal, viagens, cultura, idiomas e sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: