EstiloLifestyle

Mercedes-Maybach G650 – a loucura da Maybach

Desde que foi lançando em 1979, o Mercedes Classe-G tem estado, a par dos Range Rover, entre os melhores todo-o-terreno. O brilhante sistema de tracção ás 4 rodas e o uso de redutoras, transforma qualquer obstáculo num ligeiro incomodo. Ao longo dos anos a Mercedes tem actualizado o Classe-G, maioritariamente a nível de interiores e de carroceria, sendo que em termos mecânicos, só existiram alterações quando se justificava. Excepto em 2013 quando apresentou o Mercedes G63 AMG 6×6 e, em 2015, quando apresentou o Mercedes G500 4X4 2 (a versão de 4 rodas do Mercedes G63 AMG 6×6). Em ambos os casos, alguém deixou os engenheiros sem supervisão durante 30 segundos e quando voltou os loucos tinham tomado conta do asilo.

Foquemo-nos no G500 4×4 2, durante um bocadinho. A grande diferença deste modelo para os restantes Classe-G é o facto de fazer uso dos eixos pórticos (portal axle), uma configuração off-road que aumenta a distancia ao chão. No caso do G500, são exactamente 41 cm de altura. A estes juntam-se 2.2 metros de altura, 2.1 de largura, a capacidade de atravessar águas até um metro de profundidade e um V8 de 4 litros e 420 cavalos de potência. Mais o sistema de tracção as 4 rodas as redutoras. Portanto, dizer que o G500 4×42 ultrapassa obstáculos sem dificuldade é dizer pouco.

Quando, em 2014, a Mercedes apresentou o Mercedes-Maybach S600, começaram a correr logo rumores de que poderia haver um SUV com a luxuosa insígnia. Nada de concreto, pode ser um SUV, pode ser outro carro. Vimos aparecer o S650 Cabriolet e perdemos a esperança. Isto até as imagens do G650 Landaulet terem aparecido na net. Tendo por base o Mercedes G500 4X42, o G650 é quase igual exteriormente. Continua a apresentar os mesmos arcos das rodas alongados e em carbono, os mesmos eixos pórticos, e o mesmo aspecto e capacidade off-road que o G500 4×42 apresenta. Isto conclui as semelhanças. Vamos ás diferenças.

Estamos a falar de um Maybach, portanto, sai o V8, essa configuração plebeia, e entra o nobre V12. Mais uma vez, a Maybach faz uso do bloco dos modelos 65 da AMG, isto é, o G650 apresenta um V12 biturbo, de 6 litros com 620 cavalos de potência e uma caixa automática de 7 relações. Só o barulho do V12 é capaz de nos deixar com um sorriso de alegria na cara. A Maybach também afinou ligeiramente a suspensão para tornar a viagem mais confortável para os ocupantes, afinal estamos num Maybach. Mecanicamente são estas as diferenças.

Felizmente os engenheiros não ficaram por aí. O G650 é cerca de 60 cm mais comprido que o G500 4×42, ou seja, toca os 5.3 metros de comprimento. 60 cm esses que foram todos para a traseira para conforto dos ocupantes traseiros, transformando-o numa verdadeira limousine. Aliás a cabine traseira é igual á do Mercedes-Maybach S600. Isto não é bem assim, desculpem. Sim, há os bancos individuais reclináveis, a consola central com as mesas de escrita, os dois ecrãs de 10 polegadas, uma divisória a separar as cabines e todos os luxos a que temos direito. O que o G650 tem, e que mais nenhum carro se pode gabar de ter é uma capota. Uma capota que cobre só os ocupantes traseiros. O G650 é um landaulet, isto é, enquanto o motorista vai tapado pelo tejadilho de metal ou ocupantes traseiros vão a apanhar banhos de sol. E essa capota torna-o só no mais luxuoso dos Classe-G. E com o futuro Classe-G já a caminho é a perfeita despedida de um modelo icónico.

Ora, tanta potência e tanto luxo tem de ser exclusivo. Serão feitas exactamente 99 unidades do G650. E a um preço para cima dos 700 mil euros o provável é que já todas as unidades estejam vendidas. Pessoalmente tenho sentimentos conflituosos sobre este G650. Se por um lado a mecânica e o luxo me captivam, por outro, a capota afasta-me. No entanto para mim, o pior é saber que esses 99 felizardos não irão usar o G650 como um verdadeiro off-roader, mas sim como um meio de transporte dentro da cidade quando ele é para ser usado em terra ou areia, na savana de África ou nos desertos da Arábia.

Tags
Show More

Manel Gabirra

Estudante da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa no Curso de Línguas, Literaturas e Culturas. Grande apaixonado por automobilismo e política.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: