Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CrónicasGastronomiaLifestyle

Food 101 – Guia para um Informático que não sabe cozinhar

“The competent programmer is fully aware of the strictly limited size of his own skull;

therefore he approaches the programming task in full humility,

and among other things he avoids clever tricks like the plague.”

(Edsger Dijkstra)

commit*

Em conversa com um amigo, Programador Informático de profissão, obtive um feedback que me deixou a pensar. Dizia-me ele que seguia alguns blogues de culinária com atenção, embora nunca tivesse experimentado confecionar qualquer receita. Achava tudo muito elaborado para pessoas, que como ele, não sabiam cozinhar.

Brinquei com ele e disse-lhe que esse era um handicap perante o sexo oposto. As mulheres adoram um homem que saiba cozinhar (certo, meninas?). De facto, depois de fazer uma pesquisa na web, fiquei com a sensação que o ponto de vista do Gonçalo era bastante válido.

Falei com ele um pouco e tentei perceber os seus gostos. Prometi que lhe passaria algumas receitas de confecção simples, para que as pudesse testar em casa, tendo em conta as suas limitações culinárias. Pedi-lhe apenas que, em troca, fotografasse o prato para a posteridade, desafio que foi aceite.

Há a noção, generalizada pelos filmes e séries americanas, que os informáticos só comem chocolates, batatas fritas, ou qualquer tipo de coisa que seja embalada. Depois, um outro mito urbano existe (e quem trabalha no meio conhece-o bem demais), seja aqui, ou do outro lado do mundo, de que os informáticos se alimentam de bits, bytes e linhas de código e que, por essa razão, não precisam da Hora do Almoço (basta ouvir o quanto os telefones de qualquer departamento informático tocam durante essa hora). Porém, meus amigos: nem só de fritos e chocolates vivem estes senhores (e senhoras). Precisam de se alimentar, como todos.

Portanto, Gonçalo, vamos à lição número 1: Precisas de tachos e frigideiras. Sem eles, esquece lá isso!

Partindo do princípio que tens a parafernália necessária, é suposto teres alguns ingredientes básicos em casa, a saber:

  • Azeite – serve para cozinhar e temperar (keep it simple);
  • Ervas secas (de Provença, Cebolinho, Manjericão, Coentros, Salsa, etc… o que mais gostares, porque elas têm a vantagem de, para além de darem sabor, também evitam o uso excessivo do sal);
  • Alhos e Cebolas;
  • Limão (fresco, ou em sumo);
  • Sal e pimenta.

Se tiveres este Kit Básico, já consegues elaborar algumas receitas.

Vamos às compras?

Para a de hoje vais precisar:

Hamburganheira

400 grs. de carne picada (o tipo de carne que quiseres)

1 farinheira, ou alheira

1 Ovo

20 grs. de pão ralado, ou quatro bolachas de água e sal

Queijo ralado q.b, ou 2 fatias de queijo flamengo

1 cebola pequena picada ( partida em pequeninos pedaços)

1 alho pequeno picado

1 colher de café de Sal

Pimenta q.b.

1 embalagem de salada já preparada

1 queijo mozzarella fresco

E agora preparar:

  1. Picas a cebola e o alho e colocas num recipiente.
  2. Colocas também a carne, retiras a pele à farinheira, ou alheira e desfazes a mesma com as mãos juntando-a à carne.
  3. Esmaga as bolachas de água e sal, até ficarem em migalhas.
  4. Junta ao preparado anterior.
  5. Junta o queijo ralado, ou as fatias de queijo desfeitas em pedaços, o sal (1 colher de café) e a pimenta a gosto.
  6. Se já tiveres as ervas em casa, podes juntar também uma colher de café de uma erva à tua escolha.
  7. Envolves o ovo (gema e clara) nessa mistura e amassas tudo.
  8. Divides a massa que preparaste em 4 partes iguais, formas bolas e espalmas com as palmas das mãos para formares as hamburganheiras.
  9. Coloca-os a descansar no frigorífico, durante meia hora, para que fiquem firmes e não se desfaçam, quando forem cozinhar.
  10. Durante esta meia hora, prepara a salada: Abres o pacote, passa metade por água e coloca numa saladeira. Parte o queijo mozarela em fatias e junta aos verdes. Tempera apenas no momento de servir com azeite, limão e sal.
  11. Meia hora depois, aquece numa frigideira com uma colher de sopa de azeite em lume médio e, quando o azeite começar a deslizar pela frigideira, é altura de colocar os deliciosos discos.
  12. Começa por tostar 3 minutos de cada lado e, caso seja necessário, podes repetir, voltando a virá-los; assim não correrás o risco de os queimar. As carnes brancas (tal como o frango e peru) demoram menos tempo a cozinhar, pelo que, se utilizares carne de vaca, ou porco, tem em conta que necessitarão – até por uma questão de saúde – de cozinhar por mais tempo.
  13. Retira para uma tábua em madeira e deixa descansar por 2, ou 3 minutos
  14. Tempera a salada e está tudo pronto para a tua refeição.

Simple as that!

* commit refers to the idea of making a set of tentative changes permanent.

Tags

Marisa Coelho

Eu, curiosa aprendiz de tachos e letras, inspiro-me nas referências do digníssimo trabalho de outros e dou-lhe o meu cunho pessoal. Conto estórias com personagens, tempos e espaços, condimentadas q.b. E sempre em busca do ingrediente perfeito que muitas vezes se encontra na Dita paixão do que se faz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Check Also

Close
Back to top button

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: