CulturaCultura

Fogueiras da Noite de Kupala

Desde a antiguidade, vários povos e culturas em todo o mundo comemoram a chegada do Verão. Para muitas destas culturas, o solstício de Verão não era somente um motivo para festejar e rezar, era algo essencial.

O solstício de Verão, fortemente relacionado com a agricultura, era a comemoração de que as colheitas tinham atingido o seu ponto auge. A versão do povo eslavo da festividade que dá as boas-vindas ao Verão, é a Noite de Kupala.

Esta tradição de origens pagãos festeja-se principalmente na Rússia, Bielorrússia, Ucrania, Letónia, Lituânia, Estónia e Polónia. Segundo o país, as datas mudam, porém, acontece sempre entre 23 de Junho e 7 de Julho.

Esta festividade é uma antiquíssima tradição e a sua origem perde-se no tempo. Acredita-se que, durante a época pagã, as pessoas faziam oferendas ao deus eslavo Kupala, deus da fertilidade, a fim de assegurar uma boa colheita. Com a chegada do cristianismo na região, a Igreja tentou apagar estes costumes pagãos e impôs a festividade de São Joao Baptista. Dessa imposição surgiu o que a Noite de Kupala é hoje, uma mistura de tradições pagãs e cristãs. Em russo, o nome João diz-se Ivan, pelo que a festividade conhece-se também pelo nome de “A Noite de Ivan Kupala”.

Nesta festividade, as pessoas acendem fogueiras perto de rios ou lagos, onde a água é o símbolo feminino, o fogo o masculino e juntos formam o simbolismo da fertilidade. As pessoas reúnem-se em volta destas fogueiras, jantam, dançam e cantam. O clima é alegre e de festa.

As fogueiras são o maior símbolo do festejo e é costume que as pessoas saltem através delas para, simbolicamente, limparem-se de todo o mal. Acredita-se também que os casais que saltem através da fogueira com as mãos dadas e que aterrem do outro lado sem se soltarem estarão juntos e serão felizes para sempre.

MG_fogueirasdanoitedekupala_1Para este dia, as jovens confeccionam grinaldas de flores com velas, que de noite são colocadas nas águas dos rios, ou dos lagos. Se esta grinalda for apanhada por algum rapaz, acredita-se que a jovem irá casar com ele em breve, se continuar a flutuar e não for apanhada, a jovem irá casar daí a alguns anos e, finalmente, se a grinalda afundar, significa que a jovem não irá casar nunca. Os rapazes esforçam-se (e muito) para apanhar a grinalda da rapariga de quem eles gostam.

Desde as suas origens, é costume que, após a meia-noite, os casais entrem na floresta para procurar uma planta chamada “paporoti tsvit”, que faz parte do grupo das samambaias e que, segundo a lenda, floresce apenas durante esta noite. Quem conseguir encontrá-la, será rico e feliz para sempre.

Para além disto, durante a travessia nocturna à floresta, os casais têm de ter cuidado, porque, durante esta noite, todos os seres mágicos e assustadores do folclore eslavo andam à solta, como é o caso das Rusalky, belas ninfas das águas que afogam todos aqueles que as visse.

MG_fogueirasdanoitedekupala_2Claro que tudo isto é uma lenda e os casais que entram nas florestas jamais encontram a planta que só florece nesta noite que traz fortuna e felicidade, pois, na verdade, trata-se de uma samambaia que biologicamente não floresce nunca. Contudo, vale a pena dizer que perder-se na floresta, durante a noite, para procurar uma planta mágica, é um bom motivo para esconder-se entre as árvores com a pessoa amada. Não é sem razão que esta festividade é dedicada totalmente à fertilidade, não é verdade?

Tags
Show More

Maria J Gutierrez

Bióloga de profissão, amante da natureza e de todas as suas formas de vida, desde os seres mais gigantes até aos mais pequeninos. Não há nada como estar com a família, descobrir o mundo, aprender, ler um bom livro e cervejinhas com os amigos.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: