Bem-EstarLifestyle

E depois do fim do mundo anunciado, como vai ser 2013?

Depois do tão anunciado fim do mundo, da azáfama da época festiva e de algumas resoluções para este novo ano, nada melhor do que parar uns instantes e respirar. O contexto socioeconómico actual activa, diariamente, nas nossas mentes as palavras “crise”, “medidas de reestruturação”, “perda de…”, “aumento de…”, “greve”… enfim, a lista pode ser exaustiva. Algumas pessoas afirmam que 2013 será o ano mais difícil e penoso de sempre. Outros acham que os meses vindouros serão nada mais do que a continuidade de 2012. Finalmente, há quem considere que a situação irá reequilibrar-se a partir de agora. Pessimismo? Realismo? Optimismo? As opiniões divergem, as influências podem ser numerosas. Que fazer?

Surgem, assim, algumas questões: como contrabalançar emoções de tristeza, desânimo, falta de vontade? Que fazer para não entrar na espiral pessimista? Será que o pensar positivo pode elevar-nos a um plano superficial, quase irreal?

É tempo de sincronização. Isto significa, em primeira instância, não ter medo, nem vergonha e, perceber que é possível mudar a nossa consciência. A física quântica afirma que a consciência modifica a matéria, ou seja, a vida depende daquilo que se pensa. Será? É primordial sair do turbilhão e iniciar um voo diferente para conseguir dar luz às situações mais sombrias. Dar luz significa tomar consciência da volatilidade e efemeridade dos acontecimentos, abrindo todos os sentidos aos sinais que surgem todos os dias. As respostas estão frequentemente mesmo aí, ao lado!

Sincronizar é ainda estar em harmonia consigo próprio. Para tal, parar uns instantes e meditar nalguns pontos permite correr para a vida com amor e alegria apesar das adversidades, pois estas serão transformadas em oportunidades. A vida é demasiado preciosa para permitir que alguém a defina por nós. A mudança de atitude é urgente e começa por perceber de uma vez por todas que, por vezes, o sofrimento existe não por causa da violência que outros nos infligem, mas pelo nosso próprio silêncio. Porquê permitir que alguém o magoe? Afinal, assumir a responsabilidade da sua vida é também dizer “basta” e definir o que se quer. O livre arbítrio é a capacidade de escolha. Então, acção!

No entanto, a dúvida surge, às vezes, quando se decide agir. Perguntas invadem a mente à procura de respostas e a tendência é questionar à volta para obtê-las, afirmando, assim, algo que a alma já sabe. Ouvir a mesma resposta de diferentes pessoas não irá ajudar e é bom saber que não se está a fazer favor nenhum. Dar à sua alma a oportunidade de explorar a vida, aceitando o que se sente, é confiar na sua intuição, acreditar em si-próprio. Tudo está em nós, basta sentir, decidir e agir sem qualquer preconceito, ou impaciência, sem vaidade, ou falsa modéstia, sem julgamento. O senso de auto-estima, a força de carácter e a integridade pedem apenas uma atenção e um momento de expressão.

Em última análise, sincronizar é deixar fluir. Durante 2012 anos, o Ser Humano passou por muitas situações complicadas, chorou, baixou os braços, mas nunca desistiu. Na consciência colectiva, existe a fé, a capacidade de acreditar que se é capaz de algo. Fé é acreditar nas capacidades individuais. Fé está ligada à gratidão e à prosperidade, porque, quando há Fé, semeia-se e, a partir daqui, irá colher-se sem saber o momento, mas com a certeza de que será no momento certo. Por isso, manter o foco em si-próprio passa por ocupar-se ao invés de se preocupar, aceitando as adversidades da vida. Não acredite em tudo o que lhe é dito, faça a experiência. Liberte-se e caminhe para a vida.

“O que for a profundeza do teu ser, assim será o teu desejo.
O que for o teu desejo, assim será a tua vontade.
O que for a tua vontade, assim serão os teus actos.

O que forem os teus actos, assim será o teu destino.”

Brihadaranyaka 

(Upanishad)

Tags
Show More

Margarida Jorge

Desde muito cedo, soube que a Vida é um presente único, intransmissível e muito especial. Sou uma amante e eterna apaixonada da Vida! Formei-me em Linguas e Literaturas Modernas na FLUL, o que me permitiu ter a oportunidade de aperfeiçoar os meus conhecimentos sobre diversos povos e culturas de diferentes épocas, concluindo que todos têm pontos comuns: a VIDA, a ambição de melhorar a sua condição, de um ponto de vista holístico, sem esquecer de aceitar, valorizar e respeitar o que se tem . Enquanto Professora e Cidadã, transmito também esses valores com um único intuito: contribuir para a Felicidade de cada Ser Vivo. Por isso, o Reiki e a Massagem Ayurvédica são duas das minhas paixões. Na qualidade de Terapeuta formada na Escola Portuguesa de Reiki e no IMT, procuro contribuir diaramente para os principios básicos da Vida ajudando quem quer reencontrar-se, promovendo sempre o bem estar e o caminho da cura. Acredito que nada acontece por acaso, pois tudo o que diariamente recebemos é uma benção que nos permite evoluir.
O Amor e a Felicidade estão dentro de cada um de nós!

Related Articles

4 thoughts on “E depois do fim do mundo anunciado, como vai ser 2013?”

  1. Obrigada por esta lufada de ar fesco logo de manhã… Está na hora de “levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima”!!! Bjos

  2. Ola amiga,é sem duvida que estas palavras são um tonico para começar bem o ano,vamos acreditar que temos muita energia para 2013 e não virar as costas ao nosso querido Prtugal,beijinhos e um bem haja,força e energia para todos!!!!!!!!!!

  3. Obrigada mais um vez por este contributo fantastico! Sem duvida que fazer as experiências e manter um pensamento positivo sao a forma de evoluirmos. Vamos então “projectar prosperidade e abundancia para as nossas vidas e para o mundo”
    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: