Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Bem-EstarCrónicas

É como dizem: não se faz um amigo, reconhece-se!

Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos.

– Sócrates

Enquanto seres humanos é bem verdade que todos temos defeitos e a perfeição é uma utopia ao alcance de ninguém… no entanto, e apesar de tudo, quando gostamos de verdade temos muito a tendência de ser o verdadeiro cavaleiro da armadura, que chega e tenta resolver o problema que o outro está a viver naquele momento…

Por vezes a ânsia de ajudar supera a eventual perceção da necessidade que o outro tem de apenas ser ouvido, ter um momento em que alguém se lhe dedica em exclusividade, essa é a beleza da amizade e o encanto de ter amigos, por vezes basta estar presente, estar perto, segurar a mão e simplesmente partilhar o silêncio.

O resto acontece por inerência do sentimento, há um gesto de ternura, um afagar de mão e tudo melhora, porque por vezes o que existe realmente é a necessidade de perceber que alguém se preocupa e que está ali para nós no momento em que necessitamos apenas de verbalizar todos os nossos dramas e dilemas existenciais aos quais por vezes, gostamos de conceder uma dimensão surreal e quase esmagadora.

Na maioria das situações a única necessidade que essa pessoa tem é apenas ser ouvida. Mas para isso precisamos de estar atentos, e mais do que olhar quem está em volta, é observar o que nos rodeia. Muitas vezes ainda que longe fisicamente fazer-mo-nos presentes através do envio de uma mensagem, de um telefonema que por momentos confere a proximidade não existente fisicamente e ajuda aquele que precisa de nós a sentir-se um pouco mais feliz.

Sobretudo, importa despir-mo-nos da indumentária egoísta que vestimos todos os dias, preocupados que estamos connosco próprios e com os nossos sentimentos e ou inquietações, perceber que não somos o centro do universo e consequentemente o mundo não gira apenas em nossa volta.

Se conseguirmos ouvir mais quem está ao nosso lado poderemos ter a verdadeira perceção de que fazemos a diferença na vida do outro. No fundo, desligarmo-nos da centralidade que damos à nossa existência. Costuma dizer-se que não podemos mudar o mundo sozinhos, é bem verdade, mas não é menos verdade de que podemos fazer a diferença na vida daqueles que estão perto de nós. E se não podemos mudar o mundo sozinhos, podemos com toda a certeza contribuir para que o mundo daqueles que nos rodeiam seja mais sorridente, mais feliz e mais rico de sentimentos.

Os verdadeiros amigos são como as estrelas no céu, são mais claros nos tempos de escuridão.

Ana Paula Marques

Assumo sem qualquer tipo de pudor o grande gosto que tenho pela escrita, e pelo ato de escrever palavra após palavra, construindo momentos de reflexão e procurando embelezar os nossos dias. Verter palavras transformando-as em textos, são momentos de criatividade que me fazem mais feliz, e que espero, possa transformar de algum modo a vida de quem lê o que escrevo com tanto amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: