Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
EuropaPolítica

E agora Espanha?

Dia 21 de Dezembro de 2017 vai ser um dia que ficará para sempre na história de Espanha e da Europa. Neste tal dia, a Democracia irá enfrentar um duro teste na Catalunha, e será também o dia em que todos nós (cidadãos europeus) vamos ver a qualidade da Democracia da União Europeia. Tudo isto, porque a forma como o Governo de Mariano Rajoy lidou com a recente crise catalã faz com que tenhamos obrigatoriamente de colocar em cima da mesa a forte possibilidade de Espanha não aceitar um outro resultado eleitoral das eleições para a Generalitat que não seja o da clara e manifesta derrota dos independentistas no acto eleitoral do próximo dia 21 de Dezembro. Impossível é não se olhar para as eleições catalãs desta forma.

Presos políticos, líderes políticos exilados, violência policial nas ruas contra quem quis votar num simbólico referendo da independência da região que tinha, tão somente, como objectivo pressionar Madrid para que a Catalunha voltasse a ser a Região Autónoma que era antes de uma revisão constitucional ad hoc levada a cabo pelo poder central, que retirou à Catalunha – entre outras coisas – a gestão das receitas dos seus impostos em nome do irresponsável e excessivo endividamento espanhol.

Exonerações forçadas nos Mossos d’Esquadra (Polícia da Catalunha, Policia de la Generalitat de Catalunya, em catalão) porque as chefias discordavam da violência gratuita que Madrid promoveu no já aqui referido referendo.

Muitos foram os atentados contra a Democracia, Liberdade individual e de Expressão que o Executivo de Mariano Rajoy levou a cabo sem que os seus parceiros europeus o tivessem sequer ousado chamar à atenção para esta tamanha barbárie ao estilo Nicolás Maduro.

Daí a pergunta que serve de título a este texto. E agora Espanha? Será que destas eleições do próximo dia 21 vai sair um resultado eleitoral que, segundo o representante do PP (Partido de Mariano Rajoy) na Catalunha, irá adiar a questão da independência da região por mais uns tempos? Ou será que o resultado deste forçado acto eleitoral vai ditar uma maioria absoluta dos independentistas presos e exilados no parlamento catalão e colocar, de novo, a questão da independência em cima da mesa?

Não se tenha a mais pequena réstia de dúvida de que a Catalunha avançará sem hesitar para a declaração de independência de Espanha, caso os independentistas conquistem a maioria absoluta nas próximas eleições (até mesmo por coligação pós-eleitoral). E se tal suceder, o que fará Mariano Rajoy? Dará o pontapé de saída numa guerra civil parecida com aquela que Espanha viveu com o País Basco durante décadas?

Tudo isto, claro, se os resultados eleitorais de 21 de Dezembro reflectirem a verdadeira intenção dos eleitores catalães. Para tal seria importante que a União Europeia interviesse na questão como mediador do conflito, mas pedir tal coisa será o mesmo que pedir a um penedo que saia do nosso caminho.

Tags
Show More

Pedro Silva

"É preciso provocar sistematicamente confusão. Isso promove a criatividade. Tudo aquilo que é contraditório gera vida." (Salvador Dalí) Crítico, opinativo e com mente aberta. É isto que caracteriza um Cronista.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: