Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CulturaCultura

Dervixes rodopiantes e o êxtase místico

A extrema devoção espiritual e religiosa feita através de votos de pobreza, humildade e castidade pode ser observada em certas ordens mendicantes de monges cristãos, nos sadhus do hinduísmo, nos budistas, nos jainistas e nos dervixes, entre muitos outros.

Literalmente, a palavra dervixe significa “aquele que procura as portas” e refere-se aos praticantes do islamismo sufista. Seguem um caminho anti-materialista e puramente espiritual, estando dispostos a viver em condições de grande pobreza e austeridade, onde o único propósito é alcançar a união entre o ser humano e Alá, sendo isto possível através da elevação da alma até atingir-se um estádio elevado de meditação.

Os dervixes mais conhecidos são os que pertencem à ordem Mevlevi, ordem fundada pelo poeta Jelaluddin Mevlana Rumi, no século XIII, na Turquia. Estes dervixes são mundialmente conhecidos pela cerimónia em que rodopiam sem parar, num acto espiritual que consiste numa dança de meditação, chamada de Sema.

MG_dervixesrodopianteseoextasemistico_1Cada movimento e cada gesto da dança rodopiante da Sema tem o seu significado e simbolismo. Os rodopios não são feitos ao acaso e praticam-se seguindo certas regras: a mão direita posiciona-se estendida no alto com a palma da mão virada para o céu e a mão esquerda posiciona-se da mesma forma, mas com a palma da mão virada para o chão. Assim, desta forma, o dervixe torna-se um mediador entre o céu e a terra, o infinito e o finito, entrando num estado de êxtase místico e em conexão com Alá.

As vestimentas também possuem o seu simbolismo. Observa-se que, ao entrarem no templo, os dervixes cobrem-se com uma capa preta que representa o túmulo de quando forem morrer e, antes de começarem a rodopiar, tiram esta capa, aparecendo em baixo uma vestimenta branca que representa a pureza conseguida, após a eliminação do ego. Os estranhos chapéus cilíndricos, simbolizam o controlo do pensamento e das emoções.

Esta dança espiritual, que é unicamente masculina, é acompanhada por flautas, tambores, violinos e cânticos religiosos, e pode durar horas e horas e, à medida que o tempo passa, os dervixes aumentam lentamente a velocidade e intensidade dos movimentos, até atingirem um estado de meditação e exaltação espiritual.

A ordem Mevlevi foi proibida na Turquia em 1923, por Kemal Ataturk, mas, nos anos 50, o governo deu-se conta que a dança rodopiante desta ordem de dervixes era uma grande atracção turística e permitiu novamente que realizassem a sua dança. Hoje em dia os dervixes costumam apresentar-se em lugares turísticos da Turquia e também em festivais estrangeiros de música. Em 2008, a Sema foi inscrita como Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO.

No vídeo a seguir, podem-se ver estes dervixes rodopiantes a realizarem o ritual da Sema:

Tags
Show More

Maria J Gutierrez

Bióloga de profissão, amante da natureza e de todas as suas formas de vida, desde os seres mais gigantes até aos mais pequeninos. Não há nada como estar com a família, descobrir o mundo, aprender, ler um bom livro e cervejinhas com os amigos.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: