Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Bem-EstarCrónicasLifestyle

Deixa-me ser, que eu… deixo-te estar

Porque é que, no fundo, nos achamos especiais e notáveis, quando a realidade é que passamos despercebidos? O Homem tem o (mau) costume de achar que é especial e único, contudo, ele é apenas mais um na multidão, uma gota no oceano, uma partícula de pó na imensidão do planeta.

Talvez, se cada um de nós saísse do seu pedestal e parasse para olhar para o lado, a vida fizesse mais sentido, mas como? Quando temos a capacidade de sair da bolha e de olhar para o próximo de igual para igual, passamos a olhar para dentro de nós, com outra perspectiva. Surge em nós, a capacidade de reconhecer que tudo é efémero, que o que nos move, não é, nem será, o que os outros esperam de nós!

Quando deixamos de viver como se fossemos os únicos seres insubstituíveis à face da Terra, aprendemos a libertar-nos das amarras que, tantas vezes, sentimos em relação aos outros. O segredo é sermos sempre “nós” com toda a autenticidade, fugindo dos rebanhos, das ideias pré-concebidas, das massas de pensamentos. Quando nos conseguimos distanciar de um padrão, as expectativas que os outros têm sobre nós diminuem e, consequentemente a pressão que sentimos deixa de ser relevante.

Muitas vezes, o que os outros esperam de nós é precisamente o oposto de tudo o que é da nossa natureza. Só quem tem a capacidade de assumir a sua verdadeira essência, em detrimento do que os outros possam pensar, é quem consegue alcançar a paz e a tranquilidade. Quando a vida é vivida para agradar a todos, há sempre uma parte no nosso interior que se perde no caminho, que deixa de se reconhecer.

O segredo é oferecer a nossa singularidade, a nossa verdade ao mundo e o mundo saberá conformar-se com o que lhe escolhemos dar, mesmo que tenhamos escolhido ser ninguém.

Show More

Helena Barbosa

Nascida em Braga,na metade da década de 80, no pico do calor. Encontrou na escrita, uma paixão para a vida...encontrou a terapia que lhe faltava! Tem um amor imenso por chocolate e uma obsessão pela cor amarela... que ninguém entende de onde vem! Apaixonada por flamenco e romances de fazer "chorar as pedras" da calçada. Quem a conhece bem sabe que ela é o riso e a gargalhada. Mãe de uma pérola pré-adolescente... que é só e apenas... a personificação do amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Check Also

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: