EconomiaPolítica

Custo do trabalho em Portugal

Sempre que é criado um negócio é necessário o recrutamento de pessoas que estejam dispostas a fazer esse negócio desenvolver-se. A verdade é que reunir trabalhadores que possam colaborar para que este desenvolvimento aconteça traz custos para a empresa que os contrata. Sendo assim, torna-se bastante importante possuir trabalhadores motivados e produtivos já que quanto mais produtivos forem, mais rendimentos vão trazer para a empresa.

No nosso dia-a-dia não nos questionamos muito acerca de quanto custa, realmente, um trabalhador para uma empresa. A realidade é que são raros os que pensam no custo do trabalho em Portugal já que para o trabalhador o salário é sempre baixo e para o patrão é sempre demasiado alto. Ou seja, um quer receber o máximo que puder e o outro quer pagar o mínimo que conseguir. A questão que aqui se coloca é “porquê?”. Quais são os motivos que levam o empregador a ter de baixar o salário ao seu empregado?

Segundo Rodrigo Ferreira, presidente da Associação Nacional das Empresas de Recursos Humanos (ANERH), “quando os salários atingem 60% ou 70% das despesas totais de uma empresa, por vezes, as primeiras vítimas são os recursos humanos”. Para que isto não aconteça, para que não haja despedimentos ou grandes baixas nos salários, é então necessário calcular quanto custa cada trabalhador para a empresa em questão.

Em contrapartida, Manuel Sousa Antunes, vice-presidente da Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas (APG), diz que não é possível definir um número exato para os gastos com recursos humanos já que o número de pessoas de que cada empresa usufrui é diferente. Consequentemente, uma empresa constituída por um maior número de pessoas vai ter, naturalmente, custos mais elevados com os seus trabalhadores, “um call center é sobretudo formado por pessoas, e aí a empresa tem custos mais elevados com os trabalhadores. Na indústria, ou na distribuição, já é diferente”, refere Manuel Sousa Antunes.

Feitas as contas, os trabalhadores representam uma das maiores parcelas no que diz respeito aos custos de uma empresa. É verdade que são estes trabalhadores que movem as empresas mas, ao mesmo tempo, gastos elevados com os mesmos podem conduzir a empresa ao fiasco. No último trimestre de 2014, os custos de trabalho em Portugal caíram 8,8%, fruto dos encargos com salários que diminuíram 9,7% de Outubro a Dezembro do ano passado.

Tags
Show More

Cátia Barbosa

Uma aspirante a jornalista que ama escrever, viajar, e que, acima de tudo, quer ser feliz.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: