Bem-EstarLifestyle

Conexões dos Signos para Setembro

Setembro já chegou e traz com ele muita energia de mudança. Com dois eclipses e a entrada definitiva, pelo menos nos próximos quase 30 anos, de Saturno em Sagitário, há muito nas nossas vidas a reajustar-se e a reequilibrar-se. É o nosso caminho que precisa de ser reajustado e reavaliado, definido e abraçado com entrega, amor e fé. Por isso temos conexões tão fortes para este mês que é, por tradição, o mês do regresso ao ritmo de trabalho e de vida, onde, na verdade, temos a oportunidade de olhar para o nosso caminho com outro olhar e, dessa forma, potenciar as mudanças que tanto pretendemos para a nossa vida.

As Conexões para a energia dos Signos trazem-nos, juntamente com a energia do Tarot, mensagens, orientações e ideias para as doze dimensões do Ser que estão sempre a operar connosco. Através destas conexões, poderão ver a mensagem quer para o Signo Solar (o “nosso” signo), quer para o Signo Ascendente (se for diferente), e compreender ainda melhor o trabalho a fazer neste mês! Para além da Conexão dos Signos, e já para começar, uma mensagem geral para os próximos dias!

 

Setembro

Sem dúvida que o mês que passou foi forte e intenso, não só no mundo à nossa volta, como também nas nossas próprias vidas. No entanto, tudo o que temos vivido tem o propósito de reavaliarmos as nossas prioridades, o valor de cada coisa que temos nas nossas vidas. O 4 de Ouros recorda-nos que, se estivermos demasiado ligados ao mundo material e ao que ele nos oferece, acabamos por ficar presos às suas constantes exigências. Óbvio que vivemos num mundo material, onde o dinheiro e os bens são necessários, mas o que esta carta nos pede é que saibamos diferenciar essa necessidade, que advém do facto de o dinheiro e os bens serem a energia de troca da Terra, do vivermos em função dessa energia. Quando vivemos apegados a esta energia, não compreendemos que não vibramos em prosperidade, mas sim em miséria, pois precisamos sempre de mais, nunca estamos bem, nunca chega nem é suficiente. Então, acabamos por viver em função de ter mais, anulando o nosso Eu, a nossa Essência e submetendo-nos, como escravos de tempos modernos. É preciso abrir a nossa consciência e mudar a nossa vibração. A energia do dinheiro é a recompensa do nosso trabalho, da nossa entrega, de darmos de nós aquilo que somos, os nossos dons, as nossas capacidades em trazer até ao mundo aquilo em que somos únicos, algo tão profundamente ligado à energia do signo de Virgem, onde o Sol estará a transitar durante maior parte do mês. Quando pensamos dessa forma, vivemos interiormente mais libertos e a energia da prosperidade manifesta-se naturalmente, pois reconhecemos a nossa centelha divina e, dessa forma, sabemos que não viemos à Terra viver em pobreza, mas sim no seu inverso. Muitos podem dizer que é uma utopia, que não funciona bem assim. No entanto, esta carta não nos diz para nos desligarmos inconsequentemente do mundo material, bem pelo contrário, só nos diz para olharmos para nós e compreendermos se vivemos em função dele, e se assim for, que sintamos, no nosso coração, se é esse o caminho que pretendemos para nós.

Carneiro

Nos últimos tempos tem-nos sido pedido que façamos escolhas no nosso caminho e que saibamos romper com as estruturas que não pretendemos mais manter nas nossas vidas. No entanto, este mês a energia que nos é proposta de ser vivida, com O Diabo como carta para estas semanas, é a de olharmos para essas mesmas escolhas e compreendermos como estamos e como queremos exercer o poder que sabemos ter. Iremos permitir manter-nos presos às questões que, das mais diversas formas, nos têm impedido de avançar e de sermos nós mesmos? Que sentimentos e propósitos iremos alimentar dentro de nós? Quando sabemos bem o lugar de cada coisa nas nossas vidas, quando nos entregamos de coração à nossa essência e respeitamos cada parte do nosso ser, então libertamo-nos de todas as amarras que podem tentar colocar-nos. Este mês o desafio é do assumirmos, em definitivo, o que pretendemos para nós, o nosso poder pessoal, o nosso caminho e o nosso propósito. Escolher a forma como aplicamos esse mesmo poder, como caminhamos no nosso trilho, é o que estará em cima da mesa nestas próximas semanas e do qual dependerá o nosso avanço. Se dermos mais valor às dependências, aos apegos, aos nossos vícios e medos, em vez de abrirmos o nosso coração e deixarmos que ele nos oriente e nos guie, então, continuaremos a sentir-nos presos, continuaremos a andar em círculos na nossa vida, batendo com a cabeça incessantemente, sofrendo desnecessariamente e não focalizando a nossa energia no que é mais importante, sermos os líderes da nossa própria vida.

Touro

Os desafios têm estado muito presentes para a energia de Touro e este mês não é excepção. No entanto, o que nos é pedido nestas próximas semanas é algo que é essencial para que possamos encontrar a estabilidade que tanto procuramos. O 10 de Paus lembra-nos que, muitas vezes, encontramo-nos sobrecarregados com as várias questões que a vida nos coloca, com todas as coisas que precisamos de tratar, de resolver, de vivenciar. Tantas vezes também, por não sabermos dizer um simples não, por querermos ser aceites por todos, por não querermos magoar ninguém, ou simplesmente por medo, acabamos por ter em mãos mais do que aquilo que conseguimos, realmente, gerir e executar. Isso faz com que estejamos excessivamente cansados, que fiquemos frustrados com o caminho que estamos a viver e, invariavelmente, mais cedo ou mais tarde, tropeçamos e caímos. Esta carta pede-nos para pararmos um pouco e nos reorganizarmos, sabermos definir as nossas prioridades e orientarmos as nossas vidas. Se o fizermos, conseguiremos atingir todos os nossos objectivos e propósitos, ultrapassando-nos a nós mesmos. No entanto, dois factores temos de ter em conta. O primeiro, já referido, é que é preciso aprendermos a dizer não. Para tal, é preciso atingirmos o segundo factor, estarmos conscientes do nosso Eu, conhecermos os nossos limites, mas também o que pretendemos nas nossas vidas. Largar aquilo que nos pesa e custa a carregar nem sempre é a solução para os nossos problemas, pois essas mesmas coisas podem ser as que nos ajudarão a crescer e a desenvolver mais tarde. Se as largamos, porque nos sentimos presos e oprimidos, porque não nos soubemos reorganizar e redefinir as nossas prioridades, olhando profundamente para o nosso coração, estamos a fugir de nós mesmos, da nossa Essência e, num primeiro momento, sentiremos uma certa leveza, as coisas até parecerão correr melhor, mas mais tarde, sem margem para dúvidas, iremos sentir o desconforto de nos faltar algo essencial ao nosso caminho.

Gémeos

Depois de tantos desafios, um novo ciclo e um novo caminho parece colocar-se à nossa frente, com a energia do Mago a dar-nos motivação, força e foco neste mês. O trabalho a que nos dedicámos nos últimos meses, com tantos altos e baixos no caminho, com tropeços e quedas, mas também com vitórias e sucessos, foi o necessário para agora, se assim quisermos, podermos abrir um novo rumo nas nossas vidas. Tudo o que passámos permitiu-nos compreender e ver em nós as capacidades, os dons e as possibilidades que estão em nós, ao nosso alcance, no nosso Eu. Então, agora, é tempo de passar da teoria à prática, é tempo de não ficarmos apenas, como tantas vezes acontece, pelo mundo das ideias e das conceptualizações, é tempo de sairmos da nossa zona de conforto, querermos realmente ver aquilo que revelámos dentro de nós e criar. Há tanto dentro de nós que necessita de ver a luz do dia, que necessita de ser materializado e trazido para o real, até porque de nada servem as ideias, os projectos e os planos, se não tiverem uma aplicação prática. Este mês, olhemos para a nossa vida e saibamos dar-nos a oportunidade de criar, a partir de agora, um novo rumo, um novo caminho. Assumir o domínio da nossa vida é termos plena consciência de que temos em nós todas as ferramentas que precisamos para construir o nosso caminho, todas as capacidades para desenvolver as nossas ideias, toda a Luz para iluminar cada passo que temos à nossa frente. Quando ganhamos essa consciência, quebramos o padrão que nos é tão habitual, de divagação e dispersão, e focamo-nos no que pretendemos para a nossa vida, canalizamos para cada uma dessas coisas o nosso potencial, a nossa vontade e a nossa entrega e, dessa forma, conseguimos criar novos ciclos, novos caminhos, uma nova realidade.

Caranguejo

O Universo tem-nos trazido alguns desafios fortes e intensos nos últimos meses, desafiando-nos a sair da nossa zona de conforto, a quebrar com os padrões e a revelar o que está no interior do nosso Eu e que precisa de ser mostrado. Agora que começamos a voltar ao ritmo habitual, é tempo também de deixar a intensidade e os problemas dos últimos tempos para trás e ver que, embora ainda haja muito que fazer, é com determinação e esperança que poderemos alcançar um porto seguro. O 6 de Espadas é uma carta forte e poderosa, que nos pede que saibamos ver para lá dos problemas e das questões, que saibamos focar-nos em nós, no caminho que queremos fazer, pois, dessa forma, veremos que o pior já passou e que agora é tempo de trabalhar calmamente para resolver o que necessita de ser resolvido. Embora tenhamos passado por caminhos difíceis e sinuosos, tenhamos tropeçado e até caído várias vezes, temos a escolha de encarar cada situação dessas como aprendizagens que precisávamos de fazer para chegarmos onde queremos chegar. Nada do que temos vivido é fruto de um acaso ou de um capricho do Universo. Tudo é, na verdade, o reflexo da escolha pela mudança que fizemos há algum tempo e que necessitava de ajustar o nosso Eu, a nossa vida, o nosso caminho, para tudo o que pretendemos que chegue até nós. No entanto, se virmos esses problemas como castigos, desanimarmos ou desistirmos, então dificilmente conseguiremos compreender que eles foram a base para que tudo agora pudesse ser reconstruído. Esta carta diz-nos e confirma-nos que as águas turbulentas ficam para trás se, calmamente, sem dramas, sem medos e sem dúvidas, formos capazes de aceitar que tudo o que vivemos já não pesa na nossa caminhada, mas precisa, com paciência, foco e paz interior, de ser resolvido, um a um. Até lá, se quisermos e permitirmos que o nosso coração fale mais que a mente, podemos já começar a vislumbrar terra firme, mudanças positivas, tempos melhores.

Leão

Muita energia positiva continua disponível para o Signo de Leão, e este mês não será excepção. Nos últimos tempos foi-nos pedido para reconhecermos o nosso valor, para nos focarmos no que pretendemos e plantarmos essas sementes. O Cavaleiro de Paus, a carta que irá guiar a nossa energia durante este mês, é mais um passo importante neste caminho, trazendo-nos a energia necessária para fazermos face a todos os desafios. O tempo é de muita energia à nossa volta e certamente sentir-nos-emos muito motivados e entusiasmados. É preciso então canalizarmos toda esta energia para o que definimos antes, para o que planeámos, para o que decidimos. Se o fizermos com entrega, de coração, com amor e fé, todos os obstáculos, certamente, serão deitados abaixo, pois ninguém nos conseguirá parar. No entanto, se a força da nossa zona de conformo, dos nossos medos, do nosso ego, do nosso orgulho e da nossa preguiça, prevalecerem, toda esta energia poderá decorrer numa forte e intensa implosão, que se manifestará desde o nosso campo energético até ao corpo físico. A energia estará disponível, mas nas nossas mãos, como sempre, estará a escolha da forma como a utilizaremos. Este é um mês muito importante e interessante, que possibilitará, assim o queiramos e assim estejamos em sintonia connosco, o desbloqueio de situações, o encaminhar de questões, o deitar abaixo de barreiras que até agora poderiam parecer intransponíveis. É preciso saber domar o nosso instinto, a nossa falta de paciência, a nossa pressa em ter resultados, pois isso não fará nada acelerar e, no fundo, só atrasará. Deixemos que o Universo faça a parte dele, deixemos a vida levar-nos e aproveitemos a viagem, façamos apenas a nossa parte, aproveitar e divertirmo-nos, mantermo-nos focados em quem somos e direccionarmo-nos para onde pretendemos chegar.

Virgem

Setembro é sempre um mês forte para o signo de Virgem, com vários planetas a transitar pela nossa energia e a trabalhar connosco. Muita energia implica muito movimento e essa é a principal base para arrancar e avançar com as nossas vidas, seja criando um novo ciclo, seja mantendo o foco no que já definimos que é o nosso caminho. O Carro, como energia que nos irá orientar durante este mês, representa exactamente esta capacidade de seguirmos em frente e de enfrentarmos qualquer situação, saibamos nós mantermo-nos focados e deixar para trás alguns dos nossos hábitos mais perniciosos. Quando estamos focados em nós mesmos, quando seguimos o nosso propósito, ainda que os obstáculos possam (e irão) surgir, encontramos em nós tudo o que necessitamos para transformar tais experiências em crescimento. Com a nossa capacidade analítica, facilmente conseguimos perceber que tudo o que vivemos foram aprendizagens, e que essas aprendizagens fizeram-nos crescer, fizeram-nos tomar consciência das nossas capacidades, permitiram-nos apurá-las e desenvolvê-las, tornando-as valências que podemos e devemos usar na nossa caminhada. Este mês, ainda que possa ser de férias, marca o tempo de avançar, de dar mais um passo em frente, de confiar em quem somos e no que temos vindo a construir, para que possamos ser, verdadeiramente, donos do nosso caminho. É o tempo de dar um impulso mais forte naquelas sementes que têm germinado dentro de nós, na nossa mente, no nosso espírito, de pôr em prática e estruturar as nossas ideias e projectos, de dar voz a tudo o que dentro do nosso coração pulsa e pede para se manifestar. No entanto, é preciso compreender que dominar a nossa vida não é criar, como tantas vezes é o nosso hábito, mais e mais mecanismos de controlo, não é tentar manipular tudo o que nos rodeia, nem sequer alimentar críticas, medos ou dúvidas. Ter o domínio da nossa vida é deixar o coração falar, deixá-lo mostrar-nos o caminho, entregarmo-nos ao nosso propósito, fazendo o que melhor sabemos fazer e permitindo que o Universo faça a sua parte.

Balança

A energia de Balança continua com mais uma excelente carta a orientar os seus caminhos. Desta vez é O Sol, uma das mais belas e positivas cartas do Tarot, que vem trazer-nos as suas bênçãos e tornar este mês um dos que maior potencial terá para ser de grande crescimento e sucesso. Um forte e desafiante caminho nos tem sido colocado, ou, de forma mais correcta, tem sido escolhido por nós, pois já compreendemos que tudo o que temos nada mais é do que o resultado de todas as nossas difíceis escolhas no passado. Então, agora, saibamos mostrar o nosso brilho, o nosso verdadeiro e genuíno brilho, saibamos revelar a nossa essência e deixar para trás todas as mazelas que obtivemos neste percurso, todas as mágoas, todas as dores, simplesmente aprendendo e integrando as suas lições. Com humildade e inocência, olhemos a nossa vida e saibamos compreender os caminhos que temos feito. Se é o nosso coração que nos tem guiado, então permitamo-nos, ainda mais, abri-lo para que possamos sentir a força e a energia que conseguimos gerar quando somos nós mesmos, quando respeitamos o nosso corpo, o nosso espírito e a nossa alma. No entanto, se continuamos presos às coisas do mundo terreno, às dúvidas e medos, às aparências e à comparação com o outro, não saberemos aproveitar o que esta maravilhosa carta tem para nos oferecer. O Sol pede que saibamos ser nós mesmos, saibamos mostrar o nosso brilho e a nossa beleza em cada momento, saibamos ser sempre orientados pela Luz, pela Fé e pela entrega ao nosso propósito de vida. Quando assim o fazemos, o Sol aquece-nos e aconchega-nos, dá-nos vida e permite-nos voltar à nossa essência. No entanto, o mesmo sol que aquece e dá vida é aquele que queima e destrói, tudo depende da forma como estamos a viver a nossa vida. Por isso, este mês, permitamo-nos também cuidar da nossa criança interior, saibamos aproveitar a vida sem nunca deixar de fazer o essencial, respeitar o nosso Eu, e certamente vamos sentir que, na verdade, tudo o que temos vivido foram alimento para subirmos mais uns degraus na nossa escadaria da vida.

Escorpião

Depois de tantos desafios que temos vivido, agora é tempo de compreender a razão de tudo o que vivemos e definir e decidir que caminho queremos tomar, e essa é a mensagem que o 3 de Paus nos vem trazer para estas próximas semanas. Durante pouco mais de metade do mês, Saturno, que no seu movimento retrógrado voltou ao nosso signo para terminar o seu trabalho e revelar as questões que estão bem escondidas no nosso interior, vai estar no último grau de Escorpião. O último grau de qualquer signo é muito forte, pois ele é a manifestação da energia de transição entre energias e, por isso, Saturno vem dar o último impulso e ir buscar o que de mais profundo existe para que possa ser revelado e trabalhado. Por isso, esta carta, neste momento, é tão importante, pois ela representa um abrir de horizontes e uma visão profunda e alargada do nosso Eu. É tempo de fazermos um profundo esforço de investirmos em nos descobrirmos, de trabalharmos os nossos medos e as nossas questões mais negras e profundas mas, ao mesmo tempo, fazer um trabalho de transmutação de tudo isso em amor, revelando a nossa centelha divina, pois é dessa forma que poderemos obter os dividendos que tanto pretendemos, de crescimento, de sucesso, de prosperidade. No entanto, se fecharmos os nossos olhos e continuarmos a viver sob os padrões antigos, o que vamos buscar é uma mão cheia de pó, de cinzas e de mais mágoas e amarguras. O que o 3 de Paus nos diz é que é o tempo de abrirmos os nossos olhos e permitirmo-nos ver mais longe o caminho da nossa vida. Este é um tempo de revelações, que nos permite perspectivar e visualizar o que temos estado a construir e para onde nos estamos a dirigir. É também o tempo de preparar o terreno para o que percebermos que está a caminho, trabalhar arduamente em nós, abrir o nosso coração e permitirmos esta transformação que se está a finalizar e dar lugar a um novo percurso.

Sagitário

Tantos desafios temos vivido e tantos temos ultrapassado, vivendo um enorme e profundo percurso de transformação como, muitos de nós, nunca tínhamos vivido. Agora, é tempo de mostrar tudo o que temos aprendido sobre nós, é tempo de revelar todas as capacidades que desenvolvemos, é tempo de receber também os dividendos do enorme esforço que temos feito. A Imperatriz, a carta que nos irá acompanhar durante todo o mês, é dona de uma maravilhosa energia, plena de emoções, prosperidade e crescimento. Ela lembra-nos que é quando abrimos o nosso coração e deixamos a energia fluir que conseguimos realmente criar. Se olharmos bem para estes últimos tempos, vamos ver que o que mais foi trabalhado em nós foi precisamente este lado emocional, a capacidade de deixar o nosso coração falar, de nos mostrar o caminho. Agora que Saturno vai entrar definitivamente no nosso signo, temos a possibilidade de colher os frutos desse esforço, com a certeza de que muito mais trabalho virá pela frente. Criar não é um processo libertino e descontrolado, mas sim um focar muito preciso e direccionado da nossa energia emocional, e isso aplica-se a tudo nas nossas vidas. Não é preciso controlar nem manipular, olhar cada pormenor e prever cada cenário, é preciso focarmo-nos no nosso propósito e concentrar a nossa energia. Tudo o que pretendemos para nós, todos os nossos objectivos e sonhos, são fruto de abrirmos o coração à nossa vida e deixarmos que a nossa essência fale por nós. Se compreendermos que tudo o que temos foi criado por nós, seja por iniciativa nossa, seja por escolhas perante o que nos foi colocado no nosso caminho, então é fácil percebermos que, em cada momento, está nas nossas mãos a capacidade de modificar o rumo da nossa vida e começar de novo. Esta é a energia que temos agora disponível e que se manifestará por um novo pulsar de emoções, de energia e de vontade, mas que só poderá acontecer se formos capazes de escolher abrir o nosso coração e mostrar as nossas emoções.

Capricórnio

A energia de Capricórnio continua a ter grandes desafios, e este mês não será excepção, com uma carta difícil de ser vivida, mas muito importante para a nossa caminhada, o 5 de Espadas. Plutão, que tem trabalhado muito sobre vários aspectos das nossas vidas, começa a terminar o seu período retrógrado e prepara-se para, mais próximo do final do mês, voltar ao movimento directo. Olhemos agora para trás e vejamos todas as experiências que foram vividas nos últimos meses, retiremos delas as devidas e preciosas aprendizagens. Muitas vezes, lutamos incessantemente por algo, entregamo-nos de peito aberto ao que acreditamos ser o mais correcto, o mais justo, e acabamos por entrar cegamente numa guerra da qual, sabemos, por muito que conquistemos, pouco ou nada iremos ganhar. Esta carta relembra-nos que, tantas vezes, por convicção ou pura teimosia, entramos em situações das quais dificilmente sairemos bem. Com o nosso carácter determinado e ambicioso, algo desta natureza pode levar-nos a sentirmos na pele o peso da desilusão ou de uma suposta falha. É tempo de parar um pouco e olharmos para aquelas pequenas coisas que nos estão, bem no nosso interior, a incomodar e a mexer connosco, abrir o nosso coração, como nos tem sido pedido e compreender qual o papel no meio de tudo isto. Muitas vezes, vale mais prescindir dos despojos das nossas guerrilhas, das nossas conquistas, e permitir que as situações, dentro de nós, se curem. Caso não o façamos, poderemos, e certamente tal acontecerá, sentir que estamos isolados, que fomos injustiçados e no nosso coração reinará apenas a mágoa e a tristeza. Aproveitemos o tempo que estamos a viver para focar a nossa energia no que é importante e permitir que cada coisa, cada situação, cada pessoa nas nossas vidas tenha o lugar que realmente tem de ter, o que merece e o que conquistou por mérito. É necessário agora abrir o coração, não para assumir responsabilidades que não são nossas, não para carregar os pesos de outros, mas sim para olharmos para dentro de nós e quebrarmos esses velhos padrões mentais, curarmos o nosso coração e direccionarmos a nossa energia para aquilo que é realmente importante, o nosso percurso, a nossa transformação, o nosso sair do casulo.

Aquário

Depois de um pequeno período de descanso, é tempo de voltar ao trabalho, com ainda mais determinação e vontade. O Imperador pede-nos que reforcemos a nossa energia e nos direccionemos para o que realmente pretendemos para nós neste momento. Não há mais tempo para esperar, para planear ou idealizar, é sim o tempo de passar à acção e avançar com toda a energia que temos em nós. Se tivermos feito o trabalho interior, de descoberta, de respeito por quem somos, de vivência e assumir do nosso próprio Eu, então agora poderemos avançar sem medo, com determinação e vontade, para aquilo que definimos como os próximos passos da nossa vida. No entanto, se pelo contrário, continuamos deslocalizados do nosso centro, focados em tudo menos em quem nós somos, se insistimos em não respeitar a nossa natureza, o nosso corpo, a nossa essência, então este mês poderá trazer desafios um pouco duros e áridos para nós. O Imperador é uma carta de vida e de conquista, que nos pede que sejamos donos do nosso próprio caminho, que saibamos caminhar nas estradas mais difíceis mas, acima e primeiro que tudo, que saibamos exactamente o que queremos para a nossa vida. Já não há tempo para ficar em divagações, idealizações e planeamentos. É preciso começar a dar passos em direcção ao que, há muito, sabemos que é o caminho das nossas vidas. Protelar esses mesmos passos é fugir de nós mesmos, é ter medo de assumirmos a nossa individualidade, as nossas capacidades, o nosso Eu. No entanto, se quisermos, este poderá ser um mês de grandes e fortes concretizações para nós, saibamos nós sair da nossa caixinha, da nossa zona de conforto, dos nossos hábitos perniciosos que em nada nos fazem crescer, mas saibamos assumir o nosso próprio crescimento e a nossa maturidade. Se já não somos crianças, porque continuamos, dentro de nós, a ver-nos como tal, impedindo-nos de avançar para o campo “dos crescidos”, com medo do que poderá surgir?

Peixes

Se os últimos meses têm sido de desafios, Setembro traz-nos um pouco de paz para podermos integrar todas as aprendizagens que temos feito nos últimos tempos. A Temperança é uma bela e transformadora carta, que nos pede que olhemos para nós e compreendamos que a transformação que temos vivido atingiu agora um novo patamar. Não significa que tenha terminado, é verdade, até porque para muitos de nós, esse caminho está apenas a começar, mas tudo o que temos vivido tem mexido connosco, tem-nos desafiado a libertarmo-nos e, neste momento, há uma nova etapa que nos espera. Neste novo patamar, permitamo-nos parar e olhar para dentro da profundidade do nosso coração. Vejamos a quantidade de informação que adquirimos sobre nós nestes últimos tempos e como ela está tão dispersa dentro de nós. Agora é o tempo de absorvermos tudo isso no nosso coração e transformar no barro que irá moldar os nossos próximos passos. Tudo nas nossas vidas são caminhos e aprendizagens, fruto das nossas escolhas e das nossas opções. Não existe um certo e um errado, existe sim a capacidade que temos de saber escolher pelo que o nosso coração nos indica e saber ouvir o que ele tem para nos dizer. Se insistirmos em fugir dele, rapidamente a vida nos coloca grandes bloqueios e grandes montanhas, atirando-nos de um lado para o outro numa vida que, já por nós mesmos, é vivida na ponta da faca das emoções. No entanto, quando ouvimos o que o nosso coração tem para dizer e nos focamos no nosso caminho, todas as escolhas são sementes que darão frutos, frutos que serão o alimento do nosso caminho e da nossa transformação. É preciso, contudo, ter calma, apaziguar o nosso coração e aceitar o que a vida nos está a trazer. Fazendo-o, traremos até nós mais luz que nos permitirá ver os próximos passos do caminho que podemos percorrer e ser-nos-á, certamente, mostrado aquilo que temos pedido ao Universo para nos revelar. Cabe a cada um de nós assumir a responsabilidade do seu caminho, das suas escolhas, e abrir o coração ao que a vida tem para nos dar.

Tags
Show More

Leonardo Mansinhos

Nasci em Lisboa em 1980 sob o signo de Virgem e com Ascendente Capricórnio. Quando era pequeno descobri uma paixão por música, livros e por escrever. Licenciei-me em Organização e Gestão de Empresas pelo ISCTE e trabalhei durante quase uma década nas áreas de comércio, gestão e, principalmente, Marketing, mas desde muito cedo interessei-me pelo desenvolvimento espiritual. Comecei como autodidacta há mais de uma década em diversos temas esotéricos, nomeadamente em Astrologia, e, mais tarde, descobri no Tarot uma verdadeira paixão. Hoje dedico-me a esta paixão através das consultas de Tarot e Astrologia, assim como de formação, palestras e artigos nas mesmas áreas. Em 2009 co-fundei a Sopro d’Alma, um espaço de terapias holísticas e complementares, dedicado ao ser humano e onde dou as minhas consultas, cursos e palestras. Procuro, acima de tudo, ser um Ser todos os dias melhor, pondo-me ao serviço da sociedade através de tudo o que sou.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: