Bem-EstarLifestyle

Conexões dos Signos para Julho

Um novo mês se inicia e, na realidade, constatamos que metade do ano já passou. Muitos desafios são-nos colocados nestes próximos meses, mas o importante é vivermos o agora e sermos capazes de olhar para nós, definir os nossos caminhos e abraçar o caminho da nossa vida. Para o fazermos, temos de ter consciência de quem somos, de nos sintonizarmos com o nosso propósito e com a nossa essência, e tal só é possível quando nos permitimos avançar e enfrentar os nossos medos, as nossas sombras e tomar as rédeas da nossa vida.

As Conexões para a energia dos Signos trazem-nos, juntamente com a energia do Tarot, mensagens, orientações e ideias para as doze dimensões do Ser que estão sempre a operar connosco. Através destas conexões, poderão ver a mensagem quer para o Signo Solar (o “nosso” signo), quer para o Signo Ascendente (se for diferente), e compreender ainda melhor o trabalho a fazer neste mês! Para além da Conexão dos Signos, e já para começar, uma mensagem geral para os próximos dias!

 

Julho

O sétimo mês do nosso calendário só poderia trazer a carta número VII – O Carro, carta que também está associada ao signo de Caranguejo, e que nos traz uma energia muito positiva e forte para Julho. Se no mês que passou foi, de certa forma, iniciado um novo ciclo, agora é tempo de dar impulso e força de arranque, ganhando domínio sobre os factores da nossa vida, sem controlar, mas sabendo, com a certeza que apenas a sintonia com a nossa essência nos consegue dar, qual o nosso caminho e o que precisamos de fazer. É o momento de nos focarmos no nosso propósito, com a total consciência e certeza das nossas escolhas, e alimentar a nossa determinação e a nossa vontade para atingir os nossos objectivos. Por vezes, é necessário deixar um pouco o nosso lado emocional para trás, ultrapassar algumas emoções como a carência, a insegurança e os nossos medos, e pormo-nos ao caminho, darmos os passos necessários, ainda que não saibamos muito bem o que irá dali resultar. Este mês, o que nos é pedido é que saibamos dominar o nosso caminho e compreendermos que é da experiência que vamos adquirindo e da total consciência das nossas decisões que podemos, sem margem para dúvida, chegar onde queremos. Lembremo-nos, no entanto, que dominar não é, de forma alguma, controlar, pois o controlo é fruto dos nossos apegos e dos nossos medos, enquanto o domínio é a consciência de quem somos, do que temos e do que pretendemos para nós. Assim como com um instrumento musical, não é com uma técnica mecanizada e controlo robótico de todas as funções que conseguimos tocar maravilhosamente, mas sim quando nos tornamos um com o próprio objecto e permitimos que ele nos guie através do roteiro que é a partitura. Da mesma forma, este mês deixemo-nos guiar pelos sinais, deixemo-nos levar pelos caminhos que nos são apresentados, pois apenas dessa forma a nossa vida poderá fluir.

Carneiro

Fechar ciclos implica abrir novas portas, transformarmos a nossa consciência sobre o nosso caminho, integrarmos aprendizagens e seguir em frente nos nossos caminhos. De nada serve querer sair de uma situação sem saber para onde nos vamos dirigir de seguida, e é essa tomada de consciência que poderemos obter com a energia do Rei de Espadas. Um ciclo foi fechado com a energia vivida no mês passado, mas agora é tempo de nos focarmos no caminho a seguir. Ainda que sejamos, por norma, muito impacientes e impulsivos, é tempo de focarmos a nossa mente, pois é ela quem nos vai permitir encontrar os caminhos que teremos, a partir de agora, de seguir. Muitas vezes, o mais difícil é encararmos a verdade das nossas vidas, esclarecermo-nos sobre o que nos trouxe até um determinado ponto e termos a total certeza de para onde nos queremos dirigir. No entanto, quando nos permitimos fazer tal reflexão, que nem sempre é fácil nem simpática, abrimos uma porta de conhecimento sobre nós mesmos e permitimo-nos transformar as nossas vidas. O que esta carta nos pede é que sejamos capazes de assumir a liderança do caminho das nossas vidas, sabendo, para isso, ser ponderados nas nossas decisões, mas determinados nas nossas acções. Para tal, é necessário que tenhamos uma fortíssima e importante tomada de consciência do que estamos a fechar, do caminho que pretendemos percorrer a partir de agora e, acima de tudo, de quem somos e do nosso propósito. Só dessa forma poderemos ter a certeza do caminho a percorrer, ter a força, a capacidade e o conhecimento necessários para ultrapassar todo o tipo de obstáculos, de provações e testes. Só dessa forma, sem dúvida, poderemos assumir a nossa individualidade e permitirmo-nos ser nós mesmos, em sintonia com o nosso Eu.

Touro

Mais um mês e mais uma fantástica carta para ser trabalhada pela energia de Touro. No entanto, está na altura de sabermos reconhecer todas as coisas maravilhosas que o Universo nos tem dado nos últimos tempos. Essa é a energia que o Pajem de Copas nos traz este mês para trabalhar, lembrando-nos que só podemos aproveitar uma oportunidade quando sabemos vê-la dessa forma. Por vezes a vida traz-nos desafios, traz-nos obstáculos e complicações, mas é preciso sabermos ver que em cada situação existe uma energia sublime de aprendizagem que precisamos de extrair, que serve de alimento ao crescimento da nossa alma e que nos traz emoções e sensações maravilhosas. Não tenhamos dúvidas, o Universo está a oferecer-nos coisas fantásticas para podermos sentir maior prazer na nossa vida, para vivermos mais felizes e com maior entrega. No entanto, se continuarmos, como sempre, em busca de uma suposta segurança, baseada num conceito que temos na nossa mente, e não nos permitirmos sentir o que cada situação traz às nossas vidas, compreendendo que, tantas vezes, o que pensamos ser o melhor para nós não é, de todo o que precisamos, não conseguimos, verdadeiramente, aproveitar o que de melhor a vida tem para nos dar. Este mês, deixemo-nos levar pelas emoções que cada situação nos traz, sejam elas provenientes de conhecer pessoas, de experiências pessoais, profissionais ou espirituais, pois a chave de todo este momento é deixar as emoções virem ao de cima, confiar nos nossos instintos, ter fé e permitirmo-nos ser felizes. É tempo de dar valor ao que realmente é valioso para nós e, dessa forma, alimentar o nosso caminho com amor, com gratidão e com aceitação emocional de tudo o que a vida nos dá.

Gémeos

Os desafios continuam para a energia do signo de Gémeos, embora neste mês com mais força e intensidade, com a carta O Diabo a reger-nos durante as próximas semanas. Olhemos bem para nós e compreendamos o que nos está a prender, a impedir de avançar e de nos sentirmos melhor. Ao mesmo tempo, perguntemo-nos se realmente estamos presos ou se, na verdade, é, mais uma vez, um mecanismo da nossa mente a funcionar em pleno, derivado dos nossos medos, das nossas questões, daquelas que precisamos de trabalhar mas que temos deixado assim de lado, relegadas para segundo plano. O Diabo lembra-nos que a maior prisão que vivemos é aquela em que nós mesmos nos colocamos e, desta forma, agora é o tempo de olharmos para dentro de nós, compreendermos e aceitarmos isso, pois só dessa forma conseguiremos, efectivamente, mudar e libertarmo-nos. A nossa mente pode ser uma prodigiosa criadora de coisas maravilhosas, de novos caminhos e novas realidades, mas o seu poder é tão vasto que também faz dela a mais poderosa arma de destruição que alguma vez poderemos ter. Este mês a energia que vamos experienciar pede-nos para avaliarmos e tomarmos consciência da forma como estamos a viver as nossas questões e como alimentamos os nossos pensamentos. É tempo também de largarmos os nossos apegos, a nossa necessidade de controlo mental (e não só) dos vários factores da nossa vida. Compreender onde vivemos apegos e como nos podemos libertar é assumir o nosso poder pessoal e saborear verdadeiramente a vida, mas tal só é possível quando acalmamos a mente e permitimos o coração falar, quando deixamos as nossas emoções fluírem e revelarem a beleza da nossa própria vida.

Caranguejo

No mês em que o Sol transita, maior parte do tempo, pelo seu signo, Caranguejo tem uma excelente energia para trabalhar durante as próximas semanas. O Pajem de Ouros é uma luminosa carta que nos mostra que, depois de alguns tempos de desafios, novas e muito importantes oportunidades estão a chegar. Olhemos a nossa vida, os caminhos que temos feito, as opções e escolhas que tomámos, mas façamo-lo com olhos de ver, não com a visão das nossas expectativas ou das nossas carências, das nossas ilusões de estrutura e segurança. Nem sempre o melhor caminho é aquele que planeámos, exercendo sobre ele a necessidade que temos de controlar os diversos factores, mas saibamos então reconhecer que, na verdade, a vida dá-nos sempre tudo o que necessitamos para crescer, para entender quais os melhores passos a dar, quais as melhores opções e decisões. Esta carta diz-nos que é preciso olharmos para a vida e para os caminhos que o Universo nos apresenta com optimismo e alegria, com força e determinação, reconhecendo as coisas maravilhosas que a vida nos está a dar, as oportunidades que, todos os dias, nos são dadas. Cada dia contém em si mesmo uma oportunidade de crescermos, de sermos melhores, de fazermos mais, de criarmos uma nova realidade nas nossas vidas e de atingir cada um dos nossos objectivos. Quando nos permitimos olhar para tudo desta forma, reconhecemos que cada vivência é uma dádiva, cada experiência é um professor, e que todas elas são diamantes que a cada momento nos fazem crescer a riqueza interior, aquela que verdadeiramente nos fará ser quem somos. Então, neste mês, saibamos reconhecer as oportunidades que nos estão a ser dadas e façamos delas a matéria-prima para o nosso próprio crescimento.

Leão

Pelo segundo mês consecutivo, o Sol vem iluminar a energia do signo de Leão, mas tal não é surpreendente, quando neste signo vive-se belíssima e potente conjunção entre Vénus e Júpiter, ligação muito frutuosa e positiva. Mais uma vez, o tempo é de assumirmos o nosso Eu, de reconhecemos o nosso valor e de mostrarmos o nosso brilho. Quando nos permitimos brilhar, sintonizados na mais profunda humildade e inocência, trazemos o melhor de nós, aquelas características que fazem de nós verdadeiros seres únicos e especiais. O caminho que fizemos, de atravessar o nosso lado mais sombrio, os nossos medos e dúvidas, de lidar com as questões mais profundas do nosso Eu, tem agora espaço para se manifestar em Luz, em Fé e Amor. No entanto, é preciso cultivar tais sentimentos nos nossos corações, de forma permanente e intensa. Não é apenas brilhando que poderemos crescer, mas sim reconhecendo a nossa centelha divina, baseando o nosso caminho na mais profunda fé em quem somos, nas nossas capacidades, na sabedoria que a experiência nos confere. Este mês, o Sol lembra-nos que precisamos de amar a nossa essência, de amar profundamente a nossa criança interior, cuidar dela, mimá-la e revelá-la. Isso significa que temos de ser capazes, nestas semanas, de deixar vir cá para fora quem realmente somos, mostrar-nos de forma transparente, de peito aberto, aceitando o caminho que a vida nos apresenta, as oportunidades que nos são dadas, transmitindo mais, de forma honesta, calma e sincera, o que sentimos e o que pensamos, mostrando o melhor que existe dentro de nós e permitindo-nos dar ao mundo essa nossa essência divina.

Virgem

Os meses que passaram trouxeram-nos muitas provações e muita intensidade no nosso percurso, como um verdadeiro teste à nossa resistência, à nossa resiliência e à nossa determinação em seguir o nosso caminho. No entanto, o foco da energia deste mês é bem diferente, com o Ás de Copas, uma das mais belas cartas do Tarot, a orientar-nos nas próximas semanas. Sabemos que nada nas nossas vidas existe por acaso e que tudo tem um propósito. Todo o esforço que fizemos e todo o trabalho ao qual nos dedicámos, nomeadamente em nós mesmos, teve como grande foco e intuito revelarmos a nossa essência, os nossos dons, a grande riqueza interior que temos dentro de nós. No entanto, a nossa autocrítica, o medo de falhar as nossas expectativas, e as dos outros também, fazem com que bloqueemos a expressão desses mesmos diamantes que estão dentro de nós, prontos a brilhar, fazem com que achemos que não somos merecedores de tais capacidades, de tais dons, de coisas boas, de sucesso e prosperidade. No entanto, se olharmos bem dentro de nós, veremos que tudo é reflexo de muito trabalho, dedicação, esforço e entrega, e que, por isso, é merecido. Agora é o tempo de nos permitirmos receber as bênçãos que o Universo tem para nós, de coração aberto e em profunda gratidão, compreendendo que é com essa atitude e postura, mas apenas também da forma humilde que nos é tão característica, que poderemos sentir o coração pleno de amor, de esperança e fé. Este será, sem dúvida, um mês para vivermos a bênção das emoções, deixá-las viverem em nós, enchendo a nossa alma e mostrando-nos que elas são uma manifestação profunda do divino nas nossas vidas.

Balança

Se no mês passado foi-nos pedido que nos libertássemos de todo o peso emocional que nos impede de avançar, neste mês o 6 de Ouros traz-nos a necessidade de nos reequilibrarmos e reajustarmos os nossos caminhos e a nossa vida. Uma das mais simples e fundamentais leis do Universo é, precisamente, a do dar e receber, que nos lembra que apenas recebemos na proporção daquilo que damos, só obtemos aquilo que merecemos. Tudo do qual nos libertámos nestas últimas semanas teve como propósito revermos algumas coisas que já não estavam bem nas nossas vidas mas que, por comodismo ou medo, protelámos em mexer, em agitar e renovar. Agora é tempo de reajustarmos essas energias e trabalhar para estarmos melhores connosco, para podermos obter mais da nossa vida, para atingirmos os nossos objectivos e sermos mais felizes. No entanto, temos também de perceber que não é parados e indecisos, bloqueados pelos nossos medos, que o conseguiremos fazer. Para colher bons frutos precisamos primeiro de plantar as melhores sementes, cuidar exemplarmente da terra e vigiar as árvores para que tudo corra bem, e assim também é nas nossas vidas, onde tem de haver dedicação e entrega mas, acima de tudo, onde temos de ter a total consciência de que apenas obteremos aquilo por que, de forma determinada, lutarmos. Costuma dizer-se que a sorte protege os audazes e esta carta lembra-nos que nem sempre quem está pior é quem merece a ajuda, pois o merecimento não depende da condição mas sim da dedicação. Este mês, perante estes ajustamentos e reequilíbrios, é também o momento de, se sentimos que a forma como temos vivido não nos tem trazido o que realmente valorizamos, arriscarmos algo diferente, mudarmos os nossos padrões, a nossa forma de estar e, acima de tudo, amarmo-nos, pois apenas quando nos amamos, quando reconhecemos igualmente o nosso valor, podemos ser merecedores de mais e melhor nas nossas vidas.

Escorpião

Mais um desafio chega à energia de Escorpião este mês, depois de algum aligeirar, no mês passado, da intensidade de provas que este ano tem trazido. No entanto, agora o foco é diferente, como nos indica o 9 de Espadas. Saturno voltou, em movimento retrógrado, ao nosso signo, e revela-nos uma espécie de prova final ao nosso propósito e ao nosso caminho. Da mesma forma, esta carta surge no nosso caminho. Ela traz-nos uma energia de preocupação, de vivência mais densa e profunda, mas totalmente focada no nosso exterior, quer sejam situações, quer pessoas. É preciso avaliar e perceber se o estamos a viver por genuinamente existirem problemas ou se, tão simplesmente, estamos a fugir de olhar para nós, para as nossas questões. Preocuparmo-nos é vivermos presos a questões que, ou não são nossas, ou ainda não aconteceram e, como tal, é um desperdício enorme de energia que em nada nos vai ajudar. No entanto, a vivência desta energia é também, tantas vezes, reflexo de algo mais profundo. Sob a sua energia, precisamos de tomar consciência de sentimentos de culpa e obsessões que estamos a viver, seja por que motivos for. Embora sejamos muito emocionais, a dificuldade que temos em lidar com essas mesmas emoções é grande, não só pela intensidade com que as vivemos, mas também pelo que elas revelam em nós, e compreender estas questões mais escondidas dentro de nós é dar vozes às nossas emoções, libertar os nossos medos e revelar a força e a beleza que existe dentro de nós. É muito fácil deslocalizarmo-nos do nosso centro e viver as questões que nos rodeiam, escondendo-nos de nós mesmos. Contudo, essa é uma factura que mais tarde vamos ter de pagar, pois, invariavelmente, teremos de nos confrontar, mais uma vez, com a nossa sombra. Este mês, sejamos capazes de olhar mais para nós e saber distinguir o que é nosso, do que não é, resolvendo questões que estejam pendentes ou situações que nos estão a pesar mas, acima de tudo, deixando as nossas emoções falarem com mais força e com mais clareza, mostrando a nossa essência e a nossa luz.

Sagitário

Todo o esforço, todo o trabalho e todos os desafios que vivenciámos nos últimos meses trouxeram-nos uma melhor visão de nós, um melhor conhecimento da nossa energia, das nossas prioridades e do nosso propósito. Como bem sabemos, ter conhecimento de nós mesmos e estarmos em sintonia com o nosso caminho é uma posição de vantagem perante todos os obstáculos que podem surgir, algo que é bem manifestado pela energia do 7 de Paus, a carta que nos vai auxiliar durante estas semanas. Já compreendemos que a chave de todo o nosso processo é, precisamente, estarmos em conexão com o nosso Eu, revelarmos a cada momento a nossa essência e permitirmo-nos seguir em frente naquele que, sabemos, é o nosso caminho. Também já percebemos que obstáculos vão sempre surgir, seja através das nossas questões pessoais, seja por factores exteriores que tentarão impedir-nos de chegar onde queremos chegar. No entanto, se formos capazes de compreender o trajecto que até aqui temos feito, todas as questões que nos têm sido colocadas e todas as aprendizagens sobre nós mesmos que temos sido capazes de fazer, vamos também entender que estamos preparados para enfrentar todos esses obstáculos. Na verdade, esta carta lembra-nos que foi esse mesmo caminho que nos colocou numa posição vantajosa, que nos deu capacidade de antever e de nos precavermos em relação a tudo o que contra nós poderá vir. É a sintonização perfeita com quem somos, com a certeza do nosso caminho e dos passos que queremos dar, sem baixarmos as nossas guardas nestas próximas semanas, sem viver sempre na desconfiança e no controlo de todos os factores, mas sim deixando o nosso instinto falar e ouvirmo-nos mais nitidamente, que iremos ultrapassar todas as questões que nos forem colocadas. Relaxemos um pouco e mantenhamo-nos atentos, deixemos as nossas emoções falarem, a nossa intuição guiar-nos e, acima de tudo, sem nunca dar mais valor aos problemas e aos obstáculos do que eles realmente têm.

Capricórnio

O último mês trouxe-nos mais desafios de libertação e corte, em sintonia com maior parte da energia destes últimos tempos. Quando tais processos são vividos, de forma tão intensa como nestas últimas semanas, a Luz que é libertada é imensa e necessita de ser vista e vivenciada, não pelos nossos olhos tradicionais, mais frios e pessimistas, mas sim pelo olhar da esperança e da criatividade, como a Estrela, uma das mais belas cartas do Tarot, nos pede. É tempo de acalmarmos e pacificarmos um pouco o nosso coração. Embora saibamos que as batalhas ainda não terminaram e que a escadaria ainda vai a meio (quando não sentimos que vai no início), esta carta pede-nos que saibamos também esperar e recuperar energias para fazer o resto da caminhada. Quando o fazemos, recuperamos também a esperança e a fé e vivenciamos um verdadeiro recarregar de baterias que nos mostrará, sem dúvida alguma, novos caminhos, novas soluções e uma peculiar beleza em cada situação que a vida nos traz. A nossa energia mais rígida, mais austera e, muitas vezes, fria, impede-nos de ver que sem esperança, sem aligeirarmos a pressão e a exigência que colocamos sobre nós mesmos, não encontramos tão facilmente resolução para os nossos problemas e questões, pois estamos sempre a vibrar sobre o que não é verdadeiramente importante. O nosso caminho pode ter muitas pedras para ultrapassarmos, mas são também elas que nos permitem, como dizia Fernando Pessoa, construir o nosso castelo. Contudo, se apenas olharmos para as pedras como algo negativo e mais chatices num caminho já tão duro, então nunca conseguiremos ver a beleza que é possível de ser feita com material tão rude. Este mês, permitamo-nos ver que em cada situação existe algo de magnífico e luminoso, que cada caminho, por mais difícil que seja, tem como propósito elevar-nos e auxiliar-nos a revelar a mais pura essência de nós mesmos. Se sabemos que temos tanto para dar, tantas coisas maravilhosas, então este é o momento para deixarmos de lado o pessimismo e sermos mais esperançosos na nossa visão da vida.

Aquário

Depois de toda a reflexão que temos vindo a fazer, de todas as conclusões a que chegámos, agora é tempo de agir, assumindo, definitivamente, o domínio do caminho da nossa vida e de tudo o que pretendemos para nós. O Rei de Paus, a carta que nos rege durante estas semanas, é uma carta de energia e acção, e é apenas isso que ele nos vem pedir. Não podemos apenas viver na tomada de consciência e na idealização de um caminho, da necessidade de mudanças ou de projecções sobre a nossa vida, é preciso perceber que a materialização de tais coisas têm de começar pela acção, por um simples, mas essencial, primeiro passo. O que nos está a ser pedido é que deixemos de protelar o que nos anda a ser solicitado há bastante tempo. Não podemos continuar à espera do tempo certo, do momento perfeito nem da hora exacta, pois a nossa exigência para connosco mesmos nunca nos fará ver que esse momento, na realidade, é uma criação nossa. É preciso compreender que, na verdade, somos nós os responsáveis desse momento perfeito para começar, através da nossa vontade e determinação, através da certeza que temos sobre o nosso caminho. Enquanto dermos mais lugar aos medos e dúvidas, ainda que os mascaremos com precaução, não estaremos a respeitar a nossa natureza visionária e original, apenas viveremos na sombra daquilo que poderíamos ser. O que este mês nos é pedido é que sejamos audazes e nos coloquemos na frente da nossa própria batalha. É preciso que saibamos sair da nossa zona de conforto e enfrentar os nossos medos, as nossas dúvidas, abraçando o caminho que, sabemos, é o das nossas vidas. Essa força, sem dúvida nenhuma, temos disponível com a energia deste mês, basta querermos fazer uso dela.

Peixes

A energia de Peixes é a que mais desafios tem vivido nestes últimos tempos, e este mês não é excepção. O 5 de Ouros é uma carta dura, que nos traz sentimentos muito intensos e contraditórios, mas que também tem uma nobre missão e uma bela aprendizagem disponível para que a possamos vivenciar. A vida, tantas vezes, traz-nos provações e caminhos duros, obstáculos e questões que nos fazem olhar para nós e pôr em causa muito do que temos feito. No entanto, uma coisa é certa, o Universo nunca nos traz dificuldades apenas com o intuito de, gratuitamente, nos fazer sofrer. Esta carta lembra-nos que, por maior que seja a dificuldade e a provação, nunca estamos sozinhos. Contudo, é também preciso saber pedir, mas também aceitar ajuda, baixar as guardas e reconhecer que as nossas emoções são o nosso maior dom. Quando tentamos viver todas as questões sozinhos, ao mesmo tempo que as vivemos, diluímo-nos no nosso sofrimento, fechamos o nosso coração e escondemo-nos de nós mesmos, à espera de um momento de esclarecimento e iluminação que nos trará as respostas que tanto procuramos. No entanto, tal não acontece, pois quando nos fechamos deixamos de ver o mundo à nossa volta, deixamos de nos conectar com a energia que nos rodeia e que, no fundo, também é a fonte das nossas questões, deixamos de cumprir com uma das nossas melhores características, a de sentirmos e seguirmos o nosso coração. Este mês, observemos a forma como estamos a viver os nossos problemas e questões e compreendamos onde estamos a vivê-los sozinhos. A fronteira entre a determinação e a obstinação é muito ténue, e facilmente a ultrapassamos quando deixamos de abrir o nosso coração e tentamos resolver tudo sozinhos. Pedir e aceitar ajuda não é sinal de fraqueza, mas sim o reconhecimento do quão divinas são as ligações humanas e o que podemos aprender com elas.

Tags
Show More

Leonardo Mansinhos

Nasci em Lisboa em 1980 sob o signo de Virgem e com Ascendente Capricórnio. Quando era pequeno descobri uma paixão por música, livros e por escrever. Licenciei-me em Organização e Gestão de Empresas pelo ISCTE e trabalhei durante quase uma década nas áreas de comércio, gestão e, principalmente, Marketing, mas desde muito cedo interessei-me pelo desenvolvimento espiritual. Comecei como autodidacta há mais de uma década em diversos temas esotéricos, nomeadamente em Astrologia, e, mais tarde, descobri no Tarot uma verdadeira paixão. Hoje dedico-me a esta paixão através das consultas de Tarot e Astrologia, assim como de formação, palestras e artigos nas mesmas áreas. Em 2009 co-fundei a Sopro d’Alma, um espaço de terapias holísticas e complementares, dedicado ao ser humano e onde dou as minhas consultas, cursos e palestras. Procuro, acima de tudo, ser um Ser todos os dias melhor, pondo-me ao serviço da sociedade através de tudo o que sou.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: